A Lei do Reforςo Positivo

Porque "o sol nasce prá todos, só não sabe quem não quer..."

Há alguns anos atrás, que para mim parece – foram ontem – nos meus tempos de aluna de magistério na E.E. Major João Pereira, eu ouvi pela primeira vez esta expressão “lei do reforςo positivo”. Eu entendi o que isto significava, teoricamente, porém na prática só nos últimos anos tenho prestado mais atenςão à  esta lei. Me atendo à este princípio, ao meu instinto de mulher e mãe – tenho  procurado sempre não reforςar os erros das minhas filhas, senão os acertos. Algumas vezes eu cheguei a me questionar se estava realmente tomando o caminho certo, inicialmente com Laura, não gastando muito da minha energia em puní-la quando ela não fazia tudo exatamente como e quando deveria fazer, porém a preocupaςão em elogiá-la nos seus acertos batia forte no meu peito e eu não exitava em expressar a minha satisficaςão com eles.   Paralelamente,  sempre  procurei apoiá-la nas suas dificuldades e incentivá-la para a superacão das mesmas.

Desde cedo, eu pude reconhecer os seus fracos e os seus fortes. Eu quis salvá-la dos seus fracos, como eu penso todas as mães querem fazer por seus filhotes, mas claro, isto está além das possibilidades da nossa capacidade de doaςão e do nosso amor.  Eu procurei então mostrar para Ela os seus fracos para que ela pudesse superá-los. Também não foi possível, apesar de todo o meu esforςo com explicaςões, sermões, broncas… eu dizia todos os dias para ela: Laura, você precisa  estar muito mais concentrada e aplicada nas suas atividades escolares… Laura… logo virão as notas! Então….

As primeiras notas chegaram com a terceira série e as lágrimas também! Eu fiquei tão ou mais triste que Laura por suas primeiras notas. Choramos juntas quando lamentávamos o seu 5 no primeiro trabalho de matemática.

As lágrimas e a tristeza amadureceram a sua cabecinha tão linda e inocente! Laura passou a ficar preocupada com os trabalhos e concluiu que deveria se preparar melhor. Outras notas chegaram e desde então, já me alegrei bastante com a sua alegria por uma boa nota.

Na última semana ela chegou em casa vibrando de alegria por ter tirado um 1 (a melhor nota que se pode ter)- em alemão,  e sua última nota de matemática foi 2, com o detalhe de que não houve um 1 na classe.

Um dia destes ela me disse: ” mamãe, eu não quero ser ruim na escola… eu não quero tirar mais uma nota ruim…”

Eu quase explodi de felicidade, não pelas notas em si, mas pelo fato que minha filha aprendeu muito rápido que temos que batalhar para superar os desafios que vamos encontrando pelos nossos caminhos e que o sentimento de realizaςão nos fortalece a lutar ainda mais para a superaςão dos nossos fracos.

É muito doloroso reconhecer que não sabemos tudo, que precisamos muitas vezes de ajuda para a superaςão dos nossos limites, porém sentir o sabor do sucesso nos permite lustrar a auto-estima, o que nos rende o respeito de nós mesmos para conosco e o das pessoas que nos cercam. Quando nos sentimos capazes e aceitos as perspectivas se abrem e a obtenςão de sucesso naquilo que fazemos se torna bem mais provável. É a lei do reforco positivo agindo… Precisamos estar muito atentos aos nossos acertos e erros, utilizá-los sempre a nosso favor – os acertos servem para lustrar a nossa auto-estima, o que é muito importante e os erros para analisarmos os nossos fracos e aprender com eles para a superaςão dos mesmos, ao menos em parte… afinal ninguém é perfeito e a vida é assim: uma dinâmica fenomenal do processo: ensino-aprendizagem.

Beijos e sucesso!

Tags: , , ,

Leave a Reply

*