Antônimo/Anti-ânimo

"Dance como se ninguém pudesse te ver. Ame como se seu coração nunca houvesse se quebrado. Cante como se ninguém pudesse te ouvir e viva como se não houvesse um amanhã."

Vazar-se da sensibilidade.

Transformar o coraςão em pedra.

Acercar-se de muros.

Livrar-se da capacidade de sorrir.

Tapar os poros de cimento.

Alimentar-se da ganância.

Crer em nada.

Esquecer-se de observar o fascínio diário do nascer e do pôr do sol.

Desviar os olhos do olhar interrogativo de uma criança.

Não ter  a capacidade de tentar movimentar-se no ritmo de uma música.

Não saborear a delícia da água escorrendo pelo corpo e através da garganta.

Não se alegrar com o  milagre da sonoridade da própria respiraςão.

Fugir do calor aconchegante da pele de suas crias.

Não ter tempo para a felicidade.

Existem possibilidades mais deprimentes?

Beijos.

Tags: , ,

One Response to “Antônimo/Anti-ânimo”

  1. Muito bonita. Mas o que eu quero da vida é exatamente o contrário de tudo isso. Chama-se amor. Sentir o coracao queimando no peito, transformando-se em doce. Derrubar os muros e sorrir. Suar de prazer e alegria e alimentar-se do que se tem. Crer nos nossos sonhos e fascinar-se nao apenas com o nascer do sol, mas com uma simples gotinha de orvalho que cai. Dancar, “viver e nao ter a vergonha de ser feliz” como uma crianca. Sentir a água da chuva e o calor de nossas criancas com os olhinhos fascinados esperando o futuro. Eu quero a felicidade e nada mais de depressao. Vida, vida, vida.

Leave a Reply

*