Archiv für die Kategorie „Generalidades“

Autistas são (também) pessoas maravilhosas!

Samstag, 29. September 2018

Na verdade eu gostaria de escrever sobre Amsterdã, a capital holandesa que conheci na última semana e o título do post seria „Amsterdã, cuidado bicicleta!“. Sim, é verdade nunca me senti mais ameaçada por uma bicicleta do que em Amsterdã… A quantidade de ciclistas e a velocidade com que atravessam a cidade, que por sinal é toda atravessada por ciclovias, me espantou de uma tal forma que passei a tomar muito mais cuidado por não estar ocupando uma „ciclovia“ do que uma „rodovia“. Foi sim uma esperiência fantástica a de tirar uns dias de férias na  na Holanda, um país que fica aqui do lado, mas o qual eu nunca tinha realmente „de perto“ experimentado. Os canais, as vacas soltas, a liberdade dos ciclistas me encantaram muito! Já planejo voltar no verão do ano que vem.

Agora o que ocupava tão intensamente os meus pensamentos que provocou a explosão das palavras escritas são as pessoas com o diagnóstico „ASS“ /“ASD“ ou melhor em português: Transtornos do espectro do autismo, com os quais me ocupo profissionalmente, mas com tanta paixão que algumas vezes, mesmo chegando em casa, meus pensamentos permanecem com eles.   Há tempos sinto que uma boa parte do meu coração pertence aos autistas. Não sei explicar o por quê, mas hoje depois de meses me ocupando intensamente com as necessidades especiais de alguns seres humanos portadores do „Autismo“, me sinto imensamente tocada e mergulhada no mundo destas pessoas tão sensíveis e especiais. Procuro intensamente entender a lógica das suas opções para favorecer-lhes  segurança e assim poderem se expressar  através das palavras ou dos gestos. Uma vez que se sentem compreendidos, transportam tanta paz através dos olhos que me sinto „de bem“ com o mundo todo. Tenho que agradecer muito à vida por me proporcionar tomar parte da rotina diária de algumas pessoas portadoras de autismo, pois me sinto absolutamente realizada ao contribuir para que eles tenham acesso à certa qualidade de vida apesar da muralha que se interpõe entre nossos mundos.

 

Beijos ♥

 

Share This:

O preconceito, a ignorância, a hipocrisia e a violência andam de mãos dadas…

Dienstag, 18. September 2018

e me causam repulsa e medo ao mesmo tempo. Há tempos que minhas teclas andam paralisadas até porque as palavras me fogem quando gostaria de expressar o meu espanto, a minha desilusão e sobretudo o medo que me causa o contexto político que assola o Brasil. Sim vivo anos fora do país onde nasci e cresci, mas do qual nunca consegui ou planejei me afastar. Novamente, quase que às vespéras das eleições presidenciais posso entender que a população brasileira está desesperada por soluções rápidas para o colapso ecônomico e social que a atinge. contudo uma solução mágica para os problemas seculares não existe. A  violência da desiguladade social que assola  o país de ponta a ponta jamais será substituida por „ordem e progresso“ através de discursos hipócritas e medidas superficiais. As feridas da colonização portuguesa, do imperialismo e do neo-liberalismo estão abertas e sangram. É muito simples culpar os últimos governos pelo caos que se instalou no contexto sócio-econômico-político brasileiro. E a crença de que um governo autoritário, ignorante, violento e preconceituoso irá tirar o país deste caos é absurdamente ingênua. É realmente muito triste observar que uma boa parcela da população do Brasil planeja apoiar mais vez um candidato à presidência que está aberta e literalmente blefando. Jamais na História da Humanidade a injustiça e a violência social foram exterminadas como um passo de mágica, de cima para baixo- através de discursos vazios, preconceituosos e violentos. O Brasil necessita de projetos sociais – que se concretizem. A população marginalizada precisa ter acesso à educação, à saúde, ao emprego. Os impostos devem ser obrigatoriamente retornados à benefícios para a população e não para uma minoria hipócrita – cercada por fios elétricos e seguranças – privilegiada à séculos. O povo brasileiro necessita urgentemente se conscientizar de que a classe política existe para trabalhar em prol da população e não a servir-se de benefícios ou privilegiar grupos econômicos, os quais sempre usaram a máquina do Estado para cavar permanentemente o fosso entre as classes socias.

Estou muito transtornada e perplexa para escrever mais. A esperança de que a sensatez se sobreponha em outubro nas urnas brasileiras – é a última que morre.

 

Beijos,

ótima semana ainda!

 

Share This:

„Como nossos pais“

Donnerstag, 16. August 2018

Hoje vivenciamos um dia extraordinário de verão. A natureza nos presentea bondosamente o calor do sol e na medida certa. Nossos corpos e almas podem simplesmente se deleitar na delicia do céu azul e se embalsamar nos sons da natureza. Sou grata ao universo pelo bálsamo de poder me misturar nesta calmaria de tons fascinantes. Apenas o contraste da minha alma cinza dolorida pela dor da minha cria sobressalta-se ao espetáculo natural e sensacional que o dia apresenta. Desde que me tornei mãe e acredito que este seja um fênomeno natural à maioria das mães e talvez de pais também… Não sei… Afinal nunca fui pai… As dores dos nossos filhos nos massacram muito mais que as nossas próprias. As nossas dores passam a não ter muita importância, seja qual for a intensidade delas. No entanto, as dores dos filhos nos atravessam de tal forma que podem nos tirar, literalmente, dos trilhos. E hoje foi um desses dias, nos quais eu sai dos trilhos para defender a integridade da minha criança que decidiu a aproximadamente três anos não ser mais criança e a se aventurar nas alegrias e decepções de amores. Estes amores que nós próprios buscamos um dia e também naqueles tempos preocupávamos nossos pais e não conseguíamos muito bem entender suas angústias, preocupações… E a dificuldade de se ouvir o „eu avisei“…

„Me diz porque que o céu é azul… me explica a grande fúria do Mundo…“

Agora depois de tantos anos e considerando minhas próprias crias… evito ou tento evitar  o „eu avisei“ até porque não diminui em nada a dor de uma decepςão que dilacera ou o receio de consequências de atos inconsequentes. As tentativas para suavizar as dores e os medos dos filhos me parecem como as ações de Dom Quixote… Colossais e ineficientes e o quanto é doloroso vivenciar os filhos crescendo não apenas com seus acertos, mas sobretudo com os seus erros. Como é difícil não ser capaz de conter as experiências negativas que dilaceram em alguns momentos a vida de nossos filhos. E como é quase insuportável a dor de observá-los através da amargura de decepções. Me resta hoje, neste momento… Apenas aceitar as regras da escola da vida: Elas são severas, mas eficientes. Se aplicam  também  aos nossos filhos independentemente de nós e nossos pais…

Beijos

Share This:

Sobre o peso da negatividade…

Freitag, 16. März 2018

„… Damit wir uns in diesem Chaos zurecht finden und die Aufgaben des Alltags bewältigen zu konnen brauchen wir die Fähigkeit Unwichtiges auszublenden und unsere Aufmerksamkeit gezielt auf die wichtigen Dinge zu lenken…“

„… Para que possamos nos encontrar ao meio deste caos e poder realizar todas as nossas tarefas diárias, precisamos ter a capacidade de ignorar banalidades e direcionar nossa atenção de forma objetiva no que realmente é importante…“

Não sei onde li este pensamento, nem quem escreveu. Tenho a mania desde sempre de anotar em qualquer papel que encontro a  minha frente o que leio e bate com meu estado de espiríto daquele momento. Não sei também a quanto tempo tenho estas linhas registradas em um caderno usado. O fato é que ontem encontrei este registro e ele de novo me fez pensar sobre a minha ansiedade dos últimos tempos. Tentei analisar a minha ansiedade e angústia (infundadas)  das últimas semanas. Sou uma daquelas criaturas que na verdade não devem se dar ao direito de reclamar de nada. Sou feliz e agradecida ao universo por estar saudável, ter me redescoberto profissionalmente depois de uma longa pausa por poder vivenciar os primeiros anos de minhas filhas com toda a intensidade possível e atualmente não preciso de mais nada. Me perguntava então porque o desânimo, porque a leve sensação de insatisfação e angústia que têm acompanhado. Não encontrei outra resposta senão o peso que a negatividade de uma pessoa mal resolvida  (no ciclo de trabalho) influencia meu estado de alma e faz com que eu me sinta cansada e desanimada. Me pergunto se individuos deste genêro são justos consigo mesmos e com as pessoas ao seu redor: Lançar a própria amargura e frustração sobre quem estiver por perto! Com certeza todos nós já passamos por situações semelhante e infelizmente não estaremos livres delas num futuro próximo ou distante, dai esta necessidade da capacidade e ignorar/ congelar energia negativa. Meu questionamento ainda se refere ao „como“. Embora já tenha lido muito a respeito e tentar aplicar alguns métodos „zens“, ainda me deparo com o problema. Alguém conhece realmente um método eficaz?

 

Beijos e muita energia positiva para você,

que me lê!

Share This:

Verdades

Dienstag, 1. August 2017

Uma manhã,

cinza,

que cai tão bem

na minha alma fria.

A lástima da letargia,

sedutora,

plantada,

calada,

na solidão

da incompreensão.

 

Beijos pros de longe,

pros de perto ♥

Share This:

Um dia (quase) qualquer de abril…

Freitag, 14. April 2017

Alguns tantos anos passados. Tenho a sensação que sei muito menos do  que há vinte anos atrás, apesar da luta diária para aprender e crescer enquanto pessoa. Já me perdi muitas vezes entre os grandes e pequenos desafios que esta maravilhosa escola da vida me apresentou. Tenho mergulhado desde sempre de cabeça em alegrias, tristezas, conquistas e fracassos. Sim, aprendi ao longo desses anos que não vale a pena lamentar o passado, tampouco planejar com detalhes o  futuro. Esta sensacional lição da vida, venho incorporando à minha alma, o que a torna leve e de certa forma compensa a frustração das somas de aniversários. Contudo, nesta primavera tenho muito que agradecer ao criador do universo, pois estou saudável, carregada de energia física, e espiritual. Além do que, na reta final de mais uma formaςão profissional e com a certeza de que posso olhar para o futuro com positividade. O universo é muito bom comigo! No meio aos desafios que não procurei, acabei me encontrando num novo mundo profissional que me torna a cada nova experiência uma pessoa melhor. O contato diário com pessoas marcadas, sofridas me ensinam o quanto a vida tem me privilegiado desde que nasci. Atualmente experimento com muita intensidade cada sorriso das minhas filhas, as cores das flores me fascinam e ouvir os passarinhos cantando no quintal me tranquilizam. Uma sensação de equilibrio num dia (quase) qualquer de abril.

 

Beijos!

 

Share This:

Anjo que se foi

Freitag, 24. Februar 2017

Nosso  anjo

saido das entranhas brancas,

brancas de operações.

Chegou bem devagar,

se instalando em coraçōes,

avançando em ilusões

sorrateiras.

Suas marcas me sensibilizaram

sua docura e brandura

me acalmaram.

Fiquei feliz

na luz do sol

no sabor

no calor

por nos permitir

de uma forma quase normal

sorrir….

Ainda uma vez…

Adeus meu doce anjo de um olho só

seja feliz agora além

da dor

sem cor…

 

Com carinho para H.♥

 

 

Share This:

Nachdenken/Pensamento

Mittwoch, 8. Februar 2017

Das Schiksal wird schon seine Gründe haben/ O destino terá, com certeza,  seus motivos.

Tradução livre.

voltaire

Share This:

De Mulher para Mulher

Samstag, 10. Dezember 2016

Até porque penso que nenhum homem deste planeta possa realmente entender o universo feminino: Um complexo desgraçado ou engraçado (como se queira interpretar) de sentimentos, medos, procupações, alegrias, amores e neuras. Logicamente não se pode generalizar, mas assim me percebo, me sinto e assim percebo muitas das minhas relações do sexo feminino. O universo masculino há muito tempo procuro sim compreender, desde os tempos de infância, quando meu meu pai me parecia mais um muro do que que uma pessoa. Assim, falando enquanto mulher para mulheres percebo uma tênue possibilidade de ser entendida, se é que alguém pode ou quer ler este post, afinal o  mundo virtual é outra complexidade entre pessoas, prioridades e sentimentos.

Antes que eu me perca pensei em escrever sobre a idade, as rugas, a deformação corporal, psicológica, espiritual… os tormentos de uma mulher que ultrapassou o 1/2 século de vida. Não sei se é o caso da maioria, mas sei que este é o meu caso… Sim, passei dos 50, nem eu mesma acredito! Mas este é o fato! Procuro entender os preconceitos, as posições das pessoas que estão próximas a mim nesta fase da minha vida. Se estivesse muito preocupada com a opinião delas, estaria muitas vezes deprimida. É óbvia a linha de divisão entre jovens e não-jovens ou jovens e velhos? Algumas vezes me sinto assim… quando me defronto com o comportamento dos meus (alguns) colegas de escola ou vida de forma geral.

Por que escola? Claro, na busca de perspectivas concretas de trabalho, aposentadoria, seguro de saúde num país que não é o meu, me vi forçada a voltar para os bancos de escola, a qual estou prestes a finalizar (Graças a Deus!). Como eu poderia definir esta opção? Complicada, mas necessária! Quais entraves? O idioma,  a idade, o saco! Claro… nada acontece por acaso… estamos nesta vida para aprender…sempre, em qualquer lugar, em qualquer cultura. Conselho? Há alguém que precisa? Há alguém que gostaria de um? Há alguma mulher que necessita urgentemente de se sentir de novo uma pessoa? Há alguma mulher que gostaria imensamente de novo se encontrar? Encare seus problemas nus e crus, arregasse as mangas e vai fazer o que você tem que fazer? As lágrimas? Você pode secar! Os medos? Você pode superar… se você quiser… Se você nao puder? Procure ajuda!

 

Beijos e lindo fim de semana!

 

Share This:

Tempo Perdido/Verlorene Zeit

Dienstag, 4. Oktober 2016

A Legião Urbana/ Die Stadtliche Menchenmenge

Todos os dias quando acordo/ Alle Tage, wenn ich wahr werde
Não tenho mais o tempo que passou/Habe ich nicht mehr die vergangene Zeit
Mas tenho muito tempo:/Aber  ich habe viel Zeit:
Temos todo o tempo do mundo/Haben wir alle Zeit der Welt
Todos os dias antes de dormir/ Alle Nacht, bevor ich schlafe
Lembro e esqueço como foi o dia/Erinnere ich mich und vergesse,  wie  mein Tag es war
„Sempre em frente/ Immer weiter
Não temos tempo a perder.“/Wir haben keine Zeit zu verlieren
Nosso suor sagrado/ Unsere heiligen Schweiß
É bem mais belo que esse sangue amargo/Es ist viel schöner als dieser bitteren Blut
E tão sério/ Und so ernst
E selvagem/ Und wild
Selvagem/wild
Selvagem/wild
Veja o sol dessa manhã tão cinza:Schau die Sonne in diesem Morgen so grau
A tempestade que chega é da cor dos teus olhos/Der Sturm, der kommt hat   deine Augenfarbe
Castanhos/Braun
Então me abraça forte/Also halt mich fest
Me diz mais uma vez que já estamos/Sag mir noch Mal, dass wir sind
Distantes de tudo/Weiter weg von allen
Temos nosso próprio tempo/Wir haben unsere eingene Zeit
Temos nosso…Haben unsere
Não tenho medo do escuro/ Ich habe keine Angst vor der Dunkelheit
Mas deixe as luzes acesas/Aber lass das Licht an
Agora/Jetzt
O que foi escondido é o que se escondeu/Was war versteckt ist, bleibt verborgen
E o que foi prometido, ninguém prometeu/Was verprochen wurde, keiner hat versprochen
Nem foi tempo perdido/Es war keine verschwendete Zeit
Somos tão jovens/Wir sind so Jung
Tão jovens/ So jung
 
 
Beijos
com saudades ♥

 

 

Share This: