Archiv für die Kategorie „Viver em diferentes culturas“

„Carreira é mais importante para as mulheres do que filhos“

Samstag, 30. September 2017

Pesquisa: O que as mães esperam do Estado

Berlim: As prioridades de vida entre homens e mulheres se assemelham cada vez mais. Este é o resultado de uma pesquisa da Revista feminina „Brigitte“. O desejo de „igualdade“ é grande, mas ainda não se concretizou, afirmou Brigitte Huber  (chefe redatora) durante a apresentação dos resultados da pesquisa “ Minha vida, meu emprego e eu“.

2000 homens e mulheres entre 18 e 69 anos responderam à perguntas relacionadas à carreira, ao desejo de ter filhos, salários e  serviços domésticos. As respostas apontam na direção de que as mulheres nos dias atuais têm fortes ambições, assim como os homens de seguirem uma carreira. Sobre o significado/importância do trabalho – o peso é equivalente para homens e mulheres. Apenas para as mulheres (82%) é mais importante do que para os homens (74%) o contato com  pessoas no campo profissional. Sem dúvida, para ambos  a flexibilidade financeira e as atividades significativas no dia-a-dia que o trabalho proporciona são fundamentais.

Tornarem-se mães pelo contrário, não é realmente um aspecto prioritário para as mulhures no se refere à realização pessoal, afirma Brigitte Huber.  A independência financeira para 94% das entrevistadas é absoluta prioridade. Apenas 68% mencionaram sobre  o desejo de se tornarem mãe.

Esta nova prioridade feminina se explica, segundo a técnica em comunicação e sexóloga Christiane  Funken  (Universidade Técnica de Berlim) através dos altos índices de separação e o medo da pobreza na velhice. (…). A verdade é que ainda é muito difícil  se conciliar a vida profissional com as responsabilidades de mãe e os deveres de casa. Como alternativa para a superação deste entrave, as entrevistadas sugerem um aumento signifitivo do valor (Kindergeld)  repassado pelo Estado (através de impostos ) para as famílias, mais flexibilidade de horários de trabalho e outras formas de atendimento  às crianças independentemente do círculo familiar.

 

Tradução livre „Karriere ist Frauen wichtiger als Kinder“ – Rhein- Hunsrück- Zeitung

 

Uma drástica realidade!

Para se pensar. Nós Mulheres somos realmente muito  mais que mão-de-obra…

 

Beijos e uma linda  semana!

 

Share This:

Outono, despedidas, incertezas…

Donnerstag, 28. September 2017

“ O ser humano tem três formas de agir com sabedoria: a primeira através da reflexão, esta é a mais nobre. A segunda através da imitação, esta é a mais fácil e a terceira através da experiência – esta é a mais amarga“.

Este com certeza é um ditado chinês que combina perfeitamente com o meu estado de espírito atual, principalmente a terceira alternativa, assim como a estação do ano que nos alcança no hemisfério norte. A nostalgia do outono misturada com a neblina diária e as cores das folhas que se despedem de uma fase da vida – caem bem com o meu estado de espiríto nas recentes semanas. Depois da euforia da formatura e a ansiedade por causa dos novos desafios, minha nova rotina de vida começou de uma forma inesperadamente positiva, mas como tudo que é bom dura pouco, outras semanas de muita provação me envolveram de tal forma que  me sinto doente de corpo e alma. Ontem estive pensando o que fazer para chacoalhar/ eliminar a poeira sinistra que se infiltra nos meus poros, espantar o desânimo físico e espiritual. Planejei e até fiquei feliz com a possibilidade de ir prá minha Zumba sessão-terapia, mas estava tão cansada que me joguei no sofá, peguei o livro de auto-ajuda (10 Gebote für gelassene Frauen/ 10 mandamentos para mulheres descontraídas) para ler… Em dez minutos não conseguia mais me concentrar, embora o livro seja muito interessante. Hoje, depois de uma noite mal dormida, resolvi tentar colocar em palavras a frustração do lado avesso. Penso muitas vezes em como é fácil escrever sobre vitórias e alegrias e como é complicado expor as fragilidades, mostrar as feridas e cicatrizes. Me sinto também intimidada por „chorar de barriga cheia“. Caramba o mundo está cheio de pessoas que batalham tanto por oportunidades, outras que buscam diariamente a sobrevivência. Como acho triste a ruminação por problemas tão pequenos quando comparados às catastrofes naturais, sócio-econômicas e políticas que se abatem sobre o nosso planeta ♥

Pronto já me sinto melhor!

Beijos e

tudo de bom!

Share This:

Nachdenken/Reflexão

Mittwoch, 16. August 2017

You can´t stop  the waves but you can learn to surf.

Du kannst die Wellen nicht stoppen, aber du kannst lernen zu surfen.

Você não pode parar as ondas, mas você pode aprender a surfar.

 

Yogi Swami Satchidananda

Share This:

Nachdenken/Reflexão

Montag, 24. Juli 2017

Entdecke alle Theorien, berrersche alle Techniken, aber wenn du eine Seele berührst, sei nur eine andere Seele.

Descubra todas as teorias, dominine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma, seja apenas outra alma.

 

Carl G. Jung

Share This:

Nachdenken/Reflexão

Freitag, 14. Juli 2017

Dumme lernen nicht aus ihren Fehlern, denn sie wissen ja schon alles.

Imbecis não aprenden nada com os próprios erros, pois eles sim já sabem tudo.

 

Thomas Böckler

Share This:

Muito além de entraves…

Donnerstag, 29. Juni 2017

Sabe aquela fase em que você sente que a maré está a seu favor? Pois é, hoje me sinto assim! E pensei o porque não deveria escrever aqui que estou contente por estar me sentindo ao menos „agora“ realizada e em paz comigo mesma. Me sinto num daqueles raros momentos que não estou „nem aí“ para o que pensam ou falam de mim… Me permito curtir ao extremo, mesmo que seja apenas comigo mesma, minha libertação do banco da escola. Yes! Tenho meu diploma alemão! Quase no segundo século de vida, lá estava eu de novo numa escola, cercada de colegas de todas as idades e que não falam o meu idioma, senão o alemão ou russo. Contudo,  eu estava cheia de expectativa e motivação para encarar três anos de uma outra qualificação profissional e o que mais me animava é que o tempo na prática era bem maior que o tempo teórico. Confesso que me iludi pensando que não seria tão pesado quanto ouvi, ao informar algumas pessoas que havia me decidido, por vários motivos, fazer um curso profissionalizante de três anos – para trabalhar com pessoas deficientes física e psiquicamente. Muitas pessoas se assustaram com a minha disposição para encarar uma longa e diária maratona de trabalho, provas, projetos e a dificuldade de conciliar tudo com as tarefas de mãe e dona-de-casa.  Como se sabe, na  Alemanha não se tem o luxo de uma ajudante doméstica, como no Brasil. Aqui a gente tem que se virar mesmo e fazer tudo sozinha. Quando eu me encontrava disposta, dividia as tarefas domésticas com Laura e Vici, mas quando eu já estava saturada de „encheção de saco“ descarregava meu cansaço cognitivo e frutraçōes na vassoura, no rodo, no aspirador de pó e panelas… Vocês sabem da dificuldade para se envolver adolescentes nas nossas preocupações com a limpeza e organização da casa! Mas ficar reclamando nunca foi meu „slogan de vida“ e procurei na medida do possível, dia-a-dia, superar os desafios da minha própria opção e estou muito aliviada de ter conseguido terminar, até que com bastante sucesso (considerando minha idade e problemas com a língua) minha escola de formação profissional alemã e me sinto feliz por estar exercendo de coração uma profissão (Heilerziehungspflegerin ) reconhecida neste país, do qual  dificilmente vou me afastar. Logicamente para mim me sentir de novo absolutamente integrada no mundo do trabalho é uma satisfação muito grande, mas o que me levou a escrever este post foi a necessidade de motivar outras pessoas a recomeçarem, quando sentirem esta necessidade. Não se deixem abater pelas dificuldades, afinal a sensação de realização é muito boa e dar um „pé na bunda“ da frustração é melhor ainda!

Beijos ♥

 

Share This:

Nachdenken/Reflexão

Montag, 5. Juni 2017

Ich will nicht mehr die Welt verändern, dafür bin ich zu müde. Ich will nur gut machen was ich grade mache. Eu não quero mais mudar o mundo, para isso estou muito cansada! Eu quero apenas fazer bem o que estou fazendo agora.

Beijos.

Share This:

Quando o Brasil vai merecer o Brasil?

Mittwoch, 24. Mai 2017

Es ist nicht zu fassen! Verdammt! Nos últimos anos consigo xingar bem melhor em alemão. Compreensível já que há quase 17 anos tento me integrar à cultura deste país. Sim, por aqui se xinga bastante, mas também se trabalha bastante e se paga altíssimos impostos. Algumas vezes me pego transtornada pelo tanto que temos que trabalhar apenas para pagar os impostos. No entanto, por outro lado – penso e vivencio uma Alemanha sem contrastes sociais extravagantes e quando observo a rotina do país sob uma ótica estrangeira/brasileira me sinto orgulhosa por não constastar uma diferença mórbida, inaceitável entre pobres e ricos assim como no Brasil ou no terceiro mundo em geral. Tenho tido a sorte de conhecer algumas diferentes regiões do mundo e automaticamente as comparo com o Brasil, o país onde nasci e vivi por muitos  anos e Alemanha, para onde a vida me transplantou. Com certeza, ambos os países têm seus fortes e seus fracos, mas o que mais me agrada por aqui é que a época da burguesia se orgulhar de si mesma já está ultrapassada e o que me desagrada no Brasil é que a burguesia ainda não se conscientizou que não existe mais lugar para ela no planeta. O planeta definitivamente não suporta mais o constraste entre milionários e pobres. É tão difícil entender isto? Hoje lendo o jornal que meu vizinho me deixou na escada, pois não assino jornal – é caro! Li logo na primeira página sobre novas/velhas sujeiras do contexto político-econômico no Brasil. É triste, é revoltante! O mundo se espanta e se entristece com o retrocesso histórico que abate o Brasil, como se já não bastasse tantas loucuras, guerras e injustiças no nosso fantástico Planeta Terra. Precisamos de gente séria no poder! Por favor o Brasil precisa merecer o Brasil!

 

Minhas condolências!

Share This:

Nachdenken/Refexão

Dienstag, 23. Mai 2017

 

„O Sonho é a melhor prova de que nós não estamos totalmente presos em nossa pele, assim como parece.“

Christian Friedrich Hebbel

Share This:

Nachdenken/Reflexão

Mittwoch, 12. April 2017

„Wir sind nicht das, was die Leute von uns erwarten, oder so wie sie sich uns wünschen. Wir sind, wer wir zu sein beschlossen haben. Den anderen die Schuld zu geben ist immer einfach. Damit kannst du dein ganzes Leben zubringen, aber letztlich bist du  allein für deine Erfolge oder deine Neiderlagen verantwortlich.“

„Nós não somos o que as pessoas esperam ou desejam que sejamos. Nós somos o que nós póprios decidimos ser. Culpar os outros é sempre muito simples.Com isso você pode se ocupar a sua vida inteira, mas no final você é responsável pelo seu sucesso ou fracasso.“

Share This: