Jornal na escola

Novo registro de tempos muito difícies!

Este é outro projeto que considero muito legal que desenvolve-se na escola das minhas filhas, que nao é privada e sim pública – algo que gosto muito por aqui, todas as criancas, ao menos que eu conheco, frequentam a mesma escola, a qual tem um nível que nao deixa absolutamente a desejar, pelo contrário. Esta é uma das vantagens, sob o meu ponto de vista – sensacionais – em se viver neste país. A diferenca entre ricos e pobres nao é tao acentuada como no Brasil. Na regiao onde eu moro, por exemplo, nao existe qualquer escola privada e todas as criancas têm as mesmas possibilidades. Se há execessao é por puro desinteresse dos pais. Um outro exemplo contrastante entre os dois países está aqui debaixo do meu nariz – o pediatra das minhas filhas vive na mesma vila que eu e sua casa também nao tem muros ou piscina. Seu luxo é ter um cavalo e um cachorro. Ele e sua família sao “a simplicidade”, o status e o título de Dr. nao representam quase nada! Nao quero agora vangloriar o sistema alemao em contrapartida com o brasileiro. No entanto, tenho que admitir que amo nao me sentir menos por poder dirigir um Kia ao invés de um BMW e que muitas pessoas que têm os seus BMWs  e Mercedes aqui na minha vila nao demonstram o menor orgulho de suas próprias aquisicoes. Perdao… estive viajando um pouco e fugi do meu tema principal: o jornal na escola.

Todos os dias cada crianca da 4a série recebe um exemplar do jornal da regiao  e sob orientacao da professora trabalham com os temas em foco, se atendo em uma coluna especial chamada: “Kindernachrichten” – notícias para criancas, onde os diferentes temas da atualidade sao escritos em uma linguagem mais apropriada para os pequenos. Neste post eu gostaria exatamente de traduzir na íntegra a notícia em destaque – ontem – desta coluna tao especial do jornal Rhein-Hunsrück-Zeitung (n° 97 – 27.04.2011). O tema é comovente, tenho certeza que para cada um de nós!

Muitos demonstrantes contra a energia atômica:

Na terca feira, pela 25. vez, lembra-se de um acontecimento muito sério: o acidente da usina atômica de Tschernobyl. Tschernobyl localiza-se na Ucrânia, algo como 2000 kms de distância da Alemanha. Alí no dia 26 de abril de 1986 acontecia um acidente, em uma usina atômica, com altíssimo grau de perigo para a populacao e o meio ambiente. Até hoje, 25 anos depois as pessoas desta regiao sofrem as consequências da radiacao nuclear, a qual nao pode ser sentida através do olfato ou paladar ou mesmo percebida através da visao, mas pode causar sérias doencas.

O tema energia atômica e suas consequências sao temas muito atuais em funcao de um outro acidente nuclear com consequências catastróficas, ocorrido em Fukuschima – Japao. Por isto também a tradicional manifestacao de Pácoa – contra a utilizacao de energia atômica – este ano obteve maior repercussao que nos últimos anos. Na verdade esta manifestacao ocorre há cerca de 30 anos, ela surgiu nos tempos da Guerra Fria quando o medo de uma guerra atômica tirava o folêgo de mihoes de pessoas em todo o mundo. Assim na Alemanha nasceu a “Manifestacao pacífica de Páscoa dos adversários de armas nucleares”, a qual sobreviveu até os dias atuais. Nesta Páscoa as pessoas aproveitaram a oportunidade para demonstrarem novamente que apoiam de forma veemente o fechamento de todas as usinas nucleares existentes em território alemao e que a energia utilizada no país seja obtida apenas através de outras fontes, pois o que pode acontecer ao se investir e fazer uso deste tipo de energia nos foram evidenciados através da tragédia de Tschernobyl – há 25 anos atrás, a qual se repetiu este ano, infelizmente, em Fukushima.

Sem mais comentários…

Beijos.



Tags: , , , , , , ,

Leave a Reply

*