Montanha russa…

Uma estranha no ninho.

O dia praticamente acabou. Parece que durou uma eternidade… tenho que admitir que foi muito bacana o meu dia, mas nao encontro palavras para descrever o seu final… a palavra que me vem a mente é a palavra triste. Por que os acontecimentos bons sempre sao superados pelos maus? Por que tantos minutos de alegria e contentamento sao arrasados por segundos de comportamento negativo e algumas frases curtas? Nao é fácil também publicar aqui momentos de arraso. É tao fácil publicar momentos bons. Mas quem sabe se nao posso ajudar um pouquinho algumas pessoas que se sentem assim como eu… arrasadas? Um motivo real para a minha tristeza no momento nao existe, talvez seja a canseira de uma noite mal dormida e o dia extressante e interminável. Gostaria de compartilhar que me sinto exatamente como se tivesse andando o dia todo numa montanha russa. Pela manha a reportagem sobre o meu livro e a minha intencao de escrever um segundo projeto na revista interna do jornal para o qual eu trabalho. O texto e a foto ficaram exepcionais. Eu quase explodi de orgulho!!! Gostaria de mostrar ao mundo… depois o contato de uma brasileira muito simpática que vive em Dortmund. Eu amei encontrar uma pessoa com tanta experiência de vida e tao receptiva à uma nova amizade. E para coroar a minha manha de sorte, me conectei – após seguir um desses impulsos da alma – com uma pessoa super humana que trabalha diretamente com pessoas que provavelmente me ajudarao com o meu segundo projeto de livro, ou seja…. eu estava pulando de alegria pelo apartamento afora.

O meu dia de sorte terminou quando Vic comecou com suas tarefas. Sua competência matemática ao invés de se aprimorar, parece que entrou em decadência… está com problemas para dar conta da montanha de exercícios que tem que fazer para os textes. Está aprendendo também a trabalhar com as horas e me desespero quando vejo que ela já precisa de saber 3 possibilidades para ler as horas – exemplo:

Possibilidade 1: 3:30 horas

Possibilidade 2: 15:30 horas

Possibilidade3: halb 4 (ou faltam 30 minutos para as 4 horas)

Que triste para a cabecinha da minha filha que acabou de completar 7 anos e só pensa em brincar. O mais dramático é que tem saber também o que sao Nomes, escrevê-los com letras maiúsculas e diferenciá-los dos verbos, os quais sao escritos com letras minúsculas – claro, se nao for o comeco da frase.

Percebo que com Vic estou mais exigente que com Laura. Me comporto as vezes feito uma alema neurótica – tudo tem que estar perfeito: letra linda, gramática impecável… estou horrorizada comigo mesma! Socorro!

Depois da luta para estarmos prontas com as tarefas havia chegado a minha hora de dancar com o meu grupo em Emmelshausen. O osso estava duro de roer. As menininhas queriam brincar muito e dancar um pouquinho só… e o fato de eu ter herdado o cargo de uma pessoa muito querida e competente torna a minha funcao muito árdua. Me compreendem?

Chegando em casa foi difícil colocar a Vic na cama cumprindo a minha promessa que ela nao veria televisao por esquecer pela milésima vez um dos livros na escola, o qual ela necessitaria para fazer uma das tarefas. Pela milésima vez tivemos que telefonar para a vizinha para solicitar uma cópia. Enfim cumpri a minha ameaca e hoje ela foi para a cama sem televisao. Espero que amanha ela tenha na mochila tudo o que necessita para fazer t o d a s as tarefas.

Para concluir o meu desabafo: ao dar beijo de boa noite para a Laura, os seus comentários foram os seguintes:

1- “Nossa escola está cheia de russos”.

2-“Apenas minhas colegas da escola anterior e Leandro sabem que você é brasileira.”

Eu, em crise:

– Isso representa um problema para você?

Ela me respondeu:

-“Nao”.

Me perguntem agora se estou convencida disso (?)

A resposta é: Nao.

Beijos e boa noite para todas as pessoas de bem, independentemente de sua nacionalidade.

Tags: , , , ,

Leave a Reply

*