Posts Tagged ‘Babst’

Mermuth em Foco

Quarta-feira, Setembro 26th, 2012

Agora, aqui de passagem, gostaria de compartilhar com vocês algo do programa de TV na rede SWR, o qual foi transmitido ontem em torno de 19.20 hs. Clique em:

e conheça algo desta doce vila!

Estou orgulhosa de ter participado do programa, mas sinceramente só tenho críticas para mim mesma – me achei horrível e senti muito não ter ido à cabeleleira e providenciado um extra make-up. O que me alivia um pouco é o fato de Laura ter me afirmado que eu estava bem (doce da parte dela!), além de não ter ouvido críticas por parte de Jörg.

Logicamente mostrar algo do meu “Paraíso sem Bananas” foi muito interessante, independentemente das falhas.

Muito obrigada ao Babst e sua amável equipe, além de Lony que de forma tão simpática me convidou a participar do programa, e logicamente às três das minhas mais corajosas e lindas vizinhas, as quais fizerem o possível para vencer a timidez e conversar um pouco comigo sobre o nosso projeto, em frente e apesar das  câmaras.

Beijos carinhosos e um lindo dia ainda!

Uma experiência única…

Segunda-feira, Setembro 10th, 2012

4 meninos bem educados, discretos, charmosos, pacientes, simpáticos e muito competentes!

foi a que eu vivenciei na última quinta-feira, quando então tive o prazer de receber em minha casa uma visita surpreendente – uma das equipes de uma rede de televisão – SWR – esteve aqui por cerca de duas horas. Nós conversamos bastante sobre alguns aspectos pessoais da minha vida, sobre minhas atividades cotidianas, sobre Mermuth, sobre o Brasil e principalmente sobre História Alemã. Em funςão do atual projeto de trabalho deles – Mermuth caiu aleatoriamente no roteiro de filmagens. A rua onde moro foi escolhida por Lony – nossa prefeita. Ela a escolheu por considerá-la interessante no contexto da vila.

Há duas semanas Lony subiu correndo as escadas daqui de casa, o que me surpreendeu um pouco, pois costumamos sempre telefonar antes de tocar a campainha de uma casa. No entanto,  para minha surpresa maior Ela tinha em mente me perguntar se eu teria um tempo para uma entrevista com uma equipe de TV. Logicamente minha primeira pergunta foi sobre o porque Mermuth estaria em foco numa rede de televisão já que não temos qualquer novidade por aqui. Ela me informou que Eles estavam trabalhando em Hunsrück e por acaso Mermuth apareceu no roteiro. Como consequência uma das ruas da vila deveria ser nomeada e nesta rua algo de interessante deveria ser pesquisado, averiguado e filmado para passar a ser parte da programaςão do canal no dia 25.09. 12.

Bem, a minha rua é composta  por algumas construções seculares e interessantes, mas pessoas também estavam no foco de interesse do chefe da equipe – Babst, o qual foi informado por Lony que aqui morava uma brasileira engajada em atividades esportivas/artísticas  para crianςas e tão interessada em História Alemã que escreveu um livro sobre uma fase da mesma. Basicamente foi este o motivo pelo qual dias depois da visita de Lony eu recebi uma chamada telefônica de Babst – Ele gostaria de saber se poderia me visitar para conversarmos mais sobre o meu interesse por História, livros e minha vida por aqui. Logicamente eu fiquei feliz por seu interesse em minhas atividades, quem não ficaria? Logicamente  a minha resposta à sua pergunta foi positiva, ainda mais considerando a sua simpatia permeada por muita diplomacia e interesse pelo meu principal Hobby. Marcamos sim uma entrevista para a quinta, 10 horas.

Neste dia, eu acordei muito cedo pois tinha muito o que preparar. Tinha conversado com Eles no dia anterior e os intimei a tomar café da manhã aqui. A princípio recusaram com veemência a minha intimaςão afirmando que estavam aqui só para trabalhar. No entanto eu com minha hospitalidade mineira os convenci que estar bem alimentado faz parte de um bom trabalho. Assim depois da primeira etapa do dia de trabalho deles aceitaram fazer pausa na minha cozinha para um lanche, se abstiveram de café, Seckt e caipirinha, mas aceitaram água e suco (bons meninos!).

Para terminar tenho que admitir que eu estava muito  confusa até tomar uma taςa de Rotkäppchen. Depois minha timidez diminuiu um pouquinho e minhas ideias clarearam mais ou menos. Eu estava sim preocupada em fazer uma figura razoável. Aqui correu tudo muito bem, não me preocupei muito com o buraco negro que representa uma câmara e contei com a ajuda dos 4 meninos que sempre me diziam com muito tato como eu deveria me comportar ou como esconder os cabos do microfone. Agora quanto ao resultado da aventura em frente às câmaras só mesmo no dia 25. Não tenho porém qualquer expectativa super positiva, como escrevi – fazer uma figura razoável era a minha pretensão e sobretudo poder ser eu mesma além dos nervos.

Beijos e linda semana!