Posts Tagged ‘Brasil’

Gesucht! (w/m/d) – Procura-se (f/m/d)

Quarta-feira, Junho 26th, 2019

Simples assim…

Olhando hoje um jornal semanal e anúncios de trabalho, embora não esteja atualmente procurando um emprego – Diga-se de passagem que com muito suor e stress tenho um – Observei ao lado dos mesmos as letras w (weiblich/feminino; m männlich/masculino) a letra d (drittes Geschlecht oder divers/ terceiro sexo ou diverso). Impregnada de notícias do Brasil me coloquei a pensar em quanto me sinto confortável em estar vivendo num país europeu e justamente porque aqui já (praticamente) superamos os preconceitos absurdos sobre a opção sexual das pessoas. Que hipocrisia é essa de se pensar que os heteros estão num patamar superior às pessoas que por motivos biológicos, sociais ou estritamente pessoais se interessam, admiram, se relacionam intimamente com pessoas do mesmo sexo ou sei lá ? Me admiro muito sobre o porquê as pessoas encontram tempo e motivação para julgarem o comportamento das outras pessaos, enquanto há tanto para aprender, conhecer, realizar, aprimorar-se como pessoa, como família, como profissional? O absurdo dos preconceitos tem me incomodado muito nos últimos tempos e por isso resolvi escrever abertamente como uma forma de tentar me solidariezar com as pessoas que sofrem diariamente qualquer tipo de discriminação. Me pego pensando em o quanto nada somos para termos a mísera ilusão de “superioridade” por sermos heteros, brancos/ mestiços, termos frequentado os bancos escolares. No fundo somos apenas essência, energia. Esqueçamos de tudo o mais e, sim, que sejamos capazes de nos apaixonar e nos dedicar (ou tentar) aos seres vivos deste planeta.

Beijos.

Ps. A propósito na foto estou eu e não com uma namorada, mas sim com uma linda profi cabeleleira, a qual me atendeu numas das praias do Quênia – Na maravilhosa Mama África!

Carta aberta à Tábata Amaral

Domingo, Maio 5th, 2019
 

Sim, estou muito preocupada com os rumos que a Educação está tomando no Brasil. Embora viva há muitos anos na Alemanha sempre estive conectada, inclusive politicamente, com o Brasil. Acho muito triste o retrocesso, no qual o nosso lindo “verde e amarelo, branco, azul, anil” Brasil já está mergulhado… Acredito que desde o impeachment de Dilma Rousseff. Eu não sou PT, mas votei em Lula e em Dilma (1° Mandato) em Frankfut, pois acreditava que o Brasil necessitava ventilação, com urgência, no seu sistema sócio-econômico e político. Vivenciei com entusiasmo a libertação do país das garras do FMI (Inacreditável) e de uma janela em terras germânicas, observei o Mundo admirando um Brasil que caminhava a passos largos para um processo de erradicação da miséria e da ignorância. Infelizmente o PT se perdeu… As lideranças também se corromperam ou não se fortaleceram o suficiente para não caírem na velha e mordaz máquina de privilégios, representada pelo poder político no mundo e no Brasil. É realmente lamentável que o povo não pôde (nem poderia) – num espaço de tempo tão curto – assegurar a sua capacidade de raciocinar na luta pelos seus direitos enquanto “pessoa/gente” e “cidadão” de um país com tanto potencial quando o Brasil. Assim a velha, retrógrada, larápia e infâmia política, aproveitando dos erros dos governos anteriores, está de volta ao poder no Brasil. E me assusta o quão a passos largos tenta impor as regras de domínio da classe elitizada à um povo sem acesso à Educação (pensamento crítico/embasamento histórico-sócio-econômico), à saúde, até mesmo à vida, já que prega a liberação de armas (Lobismo) ao invés da implantação de projetos sociais. Hoje estava assistindo uma entrevista sua pelo youtube e pensei na maravilha que seria poder apoiá-la na sua juventude, competência, leveza e sobretudo na sua coragem de se envolver neste velho jogo sujo que se chama política. Eu a admiro por isso e por favor não perca a sua essência e a consciência de suas origens, pois são elas que mantêm a sua autenticidade e a tornam um raio de luz neste mundo atual de obscuridade, num país que já foi habitado por gente tão alegre e, justamente por sua alegria e resilência admirada no mundo inteiro.

Desculpe-me pela intimidade do “você”.

Grande abraço e muita força para a luta contra os dragões da ignorância e da ganância.

Ótima semana de trabalho para todos nós!

Beijos


O preconceito, a ignorância, a hipocrisia e a violência andam de mãos dadas…

Terça-feira, Setembro 18th, 2018

e me causam repulsa e medo ao mesmo tempo. Há tempos que minhas teclas andam paralisadas até porque as palavras me fogem quando gostaria de expressar o meu espanto, a minha desilusão e sobretudo o medo que me causa o contexto político que assola o Brasil. Sim vivo anos fora do país onde nasci e cresci, mas do qual nunca consegui ou planejei me afastar. Novamente, quase que às vespéras das eleições presidenciais posso entender que a população brasileira está desesperada por soluções rápidas para o colapso ecônomico e social que a atinge. contudo uma solução mágica para os problemas seculares não existe. A  violência da desiguladade social que assola  o país de ponta a ponta jamais será substituida por “ordem e progresso” através de discursos hipócritas e medidas superficiais. As feridas da colonização portuguesa, do imperialismo e do neo-liberalismo estão abertas e sangram. É muito simples culpar os últimos governos pelo caos que se instalou no contexto sócio-econômico-político brasileiro. E a crença de que um governo autoritário, ignorante, violento e preconceituoso irá tirar o país deste caos é absurdamente ingênua. É realmente muito triste observar que uma boa parcela da população do Brasil planeja apoiar mais vez um candidato à presidência que está aberta e literalmente blefando. Jamais na História da Humanidade a injustiça e a violência social foram exterminadas como um passo de mágica, de cima para baixo- através de discursos vazios, preconceituosos e violentos. O Brasil necessita de projetos sociais – que se concretizem. A população marginalizada precisa ter acesso à educação, à saúde, ao emprego. Os impostos devem ser obrigatoriamente retornados à benefícios para a população e não para uma minoria hipócrita – cercada por fios elétricos e seguranças – privilegiada à séculos. O povo brasileiro necessita urgentemente se conscientizar de que a classe política existe para trabalhar em prol da população e não a servir-se de benefícios ou privilegiar grupos econômicos, os quais sempre usaram a máquina do Estado para cavar permanentemente o fosso entre as classes socias.

Estou muito transtornada e perplexa para escrever mais. A esperança de que a sensatez se sobreponha em outubro nas urnas brasileiras – é a última que morre.

 

Beijos,

ótima semana ainda!

 

Brasil mostrando a sua cara

Quarta-feira, Maio 30th, 2018

Mesmo que quisesse me alienar, já que estou a 10.000 kms de distância física do Brasil, eu não poderia! Através dos meios de comunicação paralelos é interessante manter-se informada, bisbilhotar e de alguma forma  participar deste  momento econômico, político e social tão importante na História do nosso país!

Acompanhei também o movimento “Fora Dilma” e me perguntava o porque a parcela da população que promovia este momento acreditava que os problemas do país como que um “milagre” – apenas trocando os atores – seriam resolvidos. Eu tenho o privilégio de poder observar tudo de fora do país, mas ao mesmo tempo sinto um certo peso na consciência por não estar sofrendo com o caos instalado no país que amo tanto! Por circunstâncias da vida e não para fugir dos problemas  estou vivendo fora do Brasil desde 2000, até porque acredito que o “paraíso” não se encontra neste planeta. Em qualquer lugar que se esteja a luta diária de pessoas honestas, socialmente e ecológicamente comprometidas é árdua!

A paralização dos caminhoneiros no âmbito nacional está expondo abertamente as feridas do povo brasileiro e afetando a comodidade das classes privilegiadas. O momento atual é muito interessante e positivo. Percebo as pessoas se conscientizando dos seus direitos e falando abertamente sobre as suas prioridades, independentemente de partidos ou ideologias. Infelizmente muitos ainda acreditam em “milagres” e agora pregam  a substituição de “Temer e sua equipe administrativa” pelos militares. Ainda não entenderam que simplesmente “trocar personagens” não abala a estrutura decadente de 518 anos. As pessoas que clamam por intervenção militar  não conhecem o significado de expressōes como Socialismo e Comunismo. Suas convicções refletem a ignorância de uma parcela  da população vítima do sistema carrasco que se instalou no país desde a chegada dos portugueses no Brasil. Um sistema que sempre privilegiou àqueles que têm acesso à Educação e à informação  de qualidade.

O processo de mudança estrutural é lento e doloroso, mas necessário! Sob a minha ótica pessoal, o povo já pagou esta conta! É hora da classe política e da economicamente privilegiada pagarem as parcelas que os tocam!

 

Beijos com carinho!

Verdades e Valores

Segunda-feira, Outubro 23rd, 2017

Para se pensar: Uma dessas raras, inteligentes e lindas mensagens que se lê na mídia. Me encantou tanto que não posso deixar de publicar aqui no meu canto virtual.

Nenhuma estrela subestima outra estrela; algumas brilham mais, outras brilham menos. Mas nem por isso são adversárias.
Nenhuma ave julga o vôo ou o canto de outra ave, todas são livres para cantar e voar.
O lírio não inveja a orquídea, e esta não menospreza o botão de rosa prestes a desabrochar, pois todos perfumam conforme seus dons e carismas.
Não há rivalidade entre entre as árvores, se dá mais frutos ou se outra demora anos para produzir. A seiva é igual em todas; não há distinção nem discriminação.
O sol não se incomoda com o passeio das nuvens, pois a chuva tem a sua vez e a sombra tem seu espaço.
Na fauna, nenhum animal se envergonha por não saber nadar ou por não saber voar. Alguns são mais ferozes, outros mais pacatos e amorosos, porém não reclamam do que têm, nem de como vivem, e não desperdiçam o que lhes é dado, não desobedecem e amam ao Criador sobre todas as coisas.
E o arco-íris?Oa, ele não se queixa de manifestar tão poucas vezes com suas sete cores mágicas. Tambbém nunca criticou a lua que paira todas as noites com suas quatro fases.
O verão dá boas-vindas ao outono, que deseja prosperidade ao inverno, que saúda com alegria a chegada da primavera, e esta acolhe com flores o regresso do verão.
O peixe foi feito para borbulhar, a fêmea para parir, o lobo para uivar, a serpente para rastejar, o vento para soprar… e nós, humanos?
Qual a razão de tanta desarmonia social? Como podemos evoluir se nosso íntimo está em ruínas?
Contemplemos a sábia harmonia da natureza. Percebamos que existe uma característica para cada organismo, um espaço para cada espécie, um dom para cada ser; e nesse cenário de perfeita sincronia e harmonia, há algo de infinito de que devemos participar e que devemos construir com nossos gestos e virtudes.
Oxalá sobre toda a mística universal que nos rege, nós, seres humanos, possamos nos aproximar de um passarinho sem que ele fuja, de uma planta sem feri-la, conviver com os animais sem agredi-los, respeitar a vida e os direitos dos semelhantes, oferecendo-lhes flores, poemas, sorrisos, canções…
Então a natureza contemplará a sábia harmonia dos seres humanos.

LUIZINHO BASTOS – Delfim Moreira/ MG/ Brasil – Outubro de 2017

Beijos com carinho e uma linda semana!

 

Kein Stern unterschätzt einen anderen Stern; einige leuchten heller, aber  sie sind keine Gegenspieler.
Kein Vogel beurteilt den Flug oder das Lied eines anderen Vogels, alle sind frei zu singen und zu fliegen.
Die Rose beneidet die Orchidee nicht, und die Orchidee verachtet nicht die Rosenknospe, die sich nach ihren Gaben und Charismen für alle Parfüme schenken.
Es gibt keine Rivalität zwischen den Bäumen, wenn sie mehr Früchte trägt oder wenn es noch ein paar Jahre dauert, bis sie produziert werden. Der Saft ist in allen gleich; es gibt keine Unterscheidung oder Diskriminierung.
Die Sonne stört den Spaziergang nicht, denn der Regen ist an der Reihe und der Schatten hat seinen Platz.
In der Fauna schämt sich kein Tier dafür, nicht zu wissen, wie man schwimmt oder nicht weiß, wie man fliegt. Einige sind hart, der andere ruhigsten und liebevoll, aber nicht beschweren, was sie haben oder wie sie leben, und nicht verschwenden, was ihnen gegeben wird, nicht ungehorsam und Liebe, den Schöpfer aller Dinge.
Und der Regenbogen? Oj ja! Er beschwert sich nicht über wir selten er mit seinen sieben magischen Farben gesehen wurde. Er hat auch nie den Mond kritisiert, der jede Nacht mit seinen vier Phasen hängt.
Der Sommer begrüßt den Herbst, der im Winter Wohlstand wünscht, der mit Freude die Ankunft des Frühlings begrüßt, und es begrüßt mit Blumen die Rückkehr des Sommers.
Der Fisch wurde zum Blasen gebracht, das Weibchen gebären, der Wolf heulen, die Schlange kriechen, der Wind blasen … und wir Menschen?
Was ist der Grund für so viel soziale Disharmonie? Wie können wir uns entwickeln, wenn unser innerstes Wesen in Trümmern ist?
Betrachten wir die weise Harmonie der Natur. Wir erkennen, dass es für jeden Organismus ein Merkmal gibt, für jede Spezies einen Raum, ein Geschenk für jedes Wesen; und in diesem Szenario vollkommener Synchronisiert und Harmonie gibt es etwas Unendliches, an dem wir teilnehmen müssen und das wir mit unseren Gesten und Fähigkeiten aufbauen müssen.
Ich wünsche auf allen Universal-mystische uns regeln, wir Menschen können einen Vogel nähern, ohne dass er weg läuft, eine Pflanze ohne es zu schädigen, mit den Tieren leben, ohne sie zu beschädigen, das Leben und die Rechte zu respektieren während wenn wir  ihnen Blumen, Gedichte, Lächeln, Lieder anbieten …
Dann wird die Natur die weise Harmonie der Menschen betrachten.

LUIZINHO BASTOS – Delfim Moreira; MG/ Brasilien, – Oktober 2017

Quando o Brasil vai merecer o Brasil?

Quarta-feira, Maio 24th, 2017

Es ist nicht zu fassen! Verdammt! Nos últimos anos consigo xingar bem melhor em alemão. Compreensível já que há quase 17 anos tento me integrar à cultura deste país. Sim, por aqui se xinga bastante, mas também se trabalha bastante e se paga altíssimos impostos. Algumas vezes me pego transtornada pelo tanto que temos que trabalhar apenas para pagar os impostos. No entanto, por outro lado – penso e vivencio uma Alemanha sem contrastes sociais extravagantes e quando observo a rotina do país sob uma ótica estrangeira/brasileira me sinto orgulhosa por não constastar uma diferença mórbida, inaceitável entre pobres e ricos assim como no Brasil ou no terceiro mundo em geral. Tenho tido a sorte de conhecer algumas diferentes regiões do mundo e automaticamente as comparo com o Brasil, o país onde nasci e vivi por muitos  anos e Alemanha, para onde a vida me transplantou. Com certeza, ambos os países têm seus fortes e seus fracos, mas o que mais me agrada por aqui é que a época da burguesia se orgulhar de si mesma já está ultrapassada e o que me desagrada no Brasil é que a burguesia ainda não se conscientizou que não existe mais lugar para ela no planeta. O planeta definitivamente não suporta mais o constraste entre milionários e pobres. É tão difícil entender isto? Hoje lendo o jornal que meu vizinho me deixou na escada, pois não assino jornal – é caro! Li logo na primeira página sobre novas/velhas sujeiras do contexto político-econômico no Brasil. É triste, é revoltante! O mundo se espanta e se entristece com o retrocesso histórico que abate o Brasil, como se já não bastasse tantas loucuras, guerras e injustiças no nosso fantástico Planeta Terra. Precisamos de gente séria no poder! Por favor o Brasil precisa merecer o Brasil!

 

Minhas condolências!

Tempo Perdido/Verlorene Zeit

Terça-feira, Outubro 4th, 2016

A Legião Urbana/ Die Stadtliche Menchenmenge

Todos os dias quando acordo/ Alle Tage, wenn ich wahr werde
Não tenho mais o tempo que passou/Habe ich nicht mehr die vergangene Zeit
Mas tenho muito tempo:/Aber  ich habe viel Zeit:
Temos todo o tempo do mundo/Haben wir alle Zeit der Welt
Todos os dias antes de dormir/ Alle Nacht, bevor ich schlafe
Lembro e esqueço como foi o dia/Erinnere ich mich und vergesse,  wie  mein Tag es war
“Sempre em frente/ Immer weiter
Não temos tempo a perder.”/Wir haben keine Zeit zu verlieren
Nosso suor sagrado/ Unsere heiligen Schweiß
É bem mais belo que esse sangue amargo/Es ist viel schöner als dieser bitteren Blut
E tão sério/ Und so ernst
E selvagem/ Und wild
Selvagem/wild
Selvagem/wild
Veja o sol dessa manhã tão cinza:Schau die Sonne in diesem Morgen so grau
A tempestade que chega é da cor dos teus olhos/Der Sturm, der kommt hat   deine Augenfarbe
Castanhos/Braun
Então me abraça forte/Also halt mich fest
Me diz mais uma vez que já estamos/Sag mir noch Mal, dass wir sind
Distantes de tudo/Weiter weg von allen
Temos nosso próprio tempo/Wir haben unsere eingene Zeit
Temos nosso…Haben unsere
Não tenho medo do escuro/ Ich habe keine Angst vor der Dunkelheit
Mas deixe as luzes acesas/Aber lass das Licht an
Agora/Jetzt
O que foi escondido é o que se escondeu/Was war versteckt ist, bleibt verborgen
E o que foi prometido, ninguém prometeu/Was verprochen wurde, keiner hat versprochen
Nem foi tempo perdido/Es war keine verschwendete Zeit
Somos tão jovens/Wir sind so Jung
Tão jovens/ So jung
 
 
Beijos
com saudades ♥

 

 

“Pelos bailes da (alma) vida…”

Sábado, Agosto 6th, 2016

Num turbilhão de pensamentos me veio à cabeça, agora mesmo, o maravilhoso som de nosso grande Milton Nascimento e me percebi aberta para compartilhar algumas sensações, impressões e sentimentos, os quais me arrebataram nos últimos tempos. Faz bastante tempo que não encontro em mim  mesma qualquer motivação para escrever aqui… cansaço, desânimo, falta de tempo. Quando comecei, encurralada por circunstâncias pessoais, uma “quase” que nova formação profissional numa escola alemã, sob um sistema dual, ou seja teoria e prática paralelamente eu não tinha ideia de que estava prestes a medir diariamente minha capacidade intelectual, emocional e física. Eu me sentia tão motivada e não sei exatamente porque não tinha dúvidas de que daria conta do recado. Me sentia forte contra todas as prováveis dificuldades para conciliar todos os desafios em função do idioma, minha idade, minhas responsabilidades de mãe, esposa, dona de casa, amiga, irmã, tia, conhecida, colega. O fato é que estando na reta final do meu curso me sinto de novo empolgada pelas conquistas (bastante áridas) dos dois últimos anos, mas entre um bismestre e outro tive sérias dúvidas se realmente conseguiria ir em frente. Me senti muitas vezes no meu limite. Nesta busca de descanso físico, psíquico e emocional embarquei com a família há algumas semanas para a Ásia. Fomos todos sedentos para a trópica Sri Lanka. Eu só queria colocar as pernas prá cima todos os dias a beira-mar, mas acabei impulsionada à novas aventuras pelo litoral e interior do país. Me admirei pela calma, educação e simpatia daquele povo de pele batida pelo sol, habitantes de uma ilha bem próxima ao Equador. Andando na confusão de pessoas e tráfico senti a convivência pacífica entre indus, cristãos, muçulmanos e budistas, os quais representam a maioria da população. Fui muito bem recebida nos dois templos que visitei, as pessoas me olhavam nos olhos e sorriam prá mim. Me senti um pouco intrusa naquele mundo de flores, incensos e abdicação. Observando a paciência e tolerância das pessoas num trem super lotado (trajeto Kandy – interior/ litoral) me senti envergonhada pela minha boa vida num país europeu, indo prá lá e prá cá no conforto do carro aquecido ou refrigerado e no silêncio daquelas pessoas ressoavam nossas reclamações mesquinhas por nada.

Uma coisa é certa, não voltei descansada das férias, mas contagiada pela beleza da ilha tropical que visitei e sobretudo pelos príncipios das pessoas que habitam esta pequena porção do paraíso.

Por falar em paraíso,  as imagens deslumbrantes do Rio de Janeiro e outras regiões do Brasil que chegam até nós em função dos jogos olímpicos me fizeram perceber que sinto uma saudade danada desta outra porção do paraíso. Ontem, assistindo a festa de abertura dos jogos me  peguei várias vezes com lágrimas nos olhos e como foi bom ouvir Tom Jobim, Jorge Benjor, assistir à espetáculos de luzes, sons, dança, cores, história e criatividade! Independente de Temers, Aércios, Dilmas e Lulas, eu gostaria tanto de sonhar com um Brasil de oportunidades para todas as pessoas de boa vontade! Gostaria também de sonhar com brasileiros  interessados em injetar energia  em causas sociais e não individuais e sobretudo a consientização de que cada um de nós é responsável por um país, um mundo livre de corrupção, pobreza e injustiça

Beijos e

lindo fim de semana!

Nos Bailes da Vida – Am Ball des Lebens

Sábado, Setembro 26th, 2015

Foi nos bailes da vida ou num bar                         Es war im  Ball des Lebens oder in einem Kneipp
Em troca de pão                                                            Für’s Brot,
Que muita gente boa pôs o pé na profissão       dass viele gute Leute ein Fuß                                                                                     in den Beruf angefassen haben
De tocar um instrumento e de cantar                  um   ein Instrument zu spielen und zu singen
Não importando se quem pagou quis ouvir       Unabhängig davon, ob die dafür bezahlt hat, hören wollte.

Foi assim                                                                            Es war so

Cantar era buscar o caminho                                  singen war das Suchen von den Weg
Que vai dar no sol                                                        welcher Ziel, die Sonne ist
Tenho comigo as lembranças do que eu era      Ich habe bei mir die Erinnerungen von was ich es war
Para cantar nada era longe tudo tão bom           um zu singen, nichts war zu weit, alles so schön
Até a estrada de terra na boléia de caminhão    sogar auf einem LKW durch unfertigen Strassen.

Era assim                                                                            Es war so

Com a roupa encharcada e a alma                          mit den  nassen Klamoten und die Seele
Repleta de chão                                                              volle Boden
Todo artista tem de ir aonde o povo está             alle Kunstler muss sein wo das Wolk ist
Se for assim, assim será                                            wenn so sei würde, so wird es sei
Cantando me disfarço e não me canso               am singen verkleide  ich mich und werde nicht müde
De viver nem de cantar                                           von Leben, und auch nicht von singen

Fernando Brant / Milton Nascimento

Ótima música brasileira no outono germânico!

Beijos!

Ps. Concordo com sugestões para a melhoria da tradução!

Obrigada desde já!

Tá escrito! Brasil Amor incondicional!

Sábado, Julho 12th, 2014

Quem cultiva a semente do Amor
segue em frente não se apavora
Se na vida encontrar dissabor
vai saber esperar sua Hora (2x)

às vezes a felicidade demora a chegar
aí é que a gente não pode deixar de sonhar
guerreiro não foge da luta e não pode correr
ninguém vai poder atrasar quem nasceu pra vencer

é dia de sol mas o tempo pode fechar
A chuva só vem quando tem que molhar
Na vida é preciso aprender se colheu tem que plantar
é Deus quem aponta a estrela que tem que Brilhar

Ergue essa cabeça mete o Pé e vai na fé
Manda essa tristeza embora
Basta acreditar que um Novo dia vai raiar
Sua hora vai chegar (2x)

Wer sich kümmert um das Semen des Liebes

Geht weiter, bekommt keine Panik

Wenn im Leben Enttäuscht ist

Wird schon die eigene Wartezeit erkennen

Manchmal, das Glück dauern bis es kommt

In dieser Punkt man darf nicht aufhören um zu träume

Kein Kämpfer entgeht dem Kampf und darf nicht weg laufen

Niemand wird in de Lage sein um ein Gewinner zu stören

Diee Sonne scheint, aber das Wetter kann schlecht werden

Die Regen kommt, nur wenn es nass sein muss

Im Leben, muss man lernen, dass gutes wird geerntet was man gut pflanzt

Es ist Gott, der darauf hinweist was für eine Stern, die muss leuchten

Kopf hoch, fest schießen und geh auf den Glauben

Weg mit der Traurigkeit

Du kannst glauben, dass ein neuer tag anbricht

Deine Zeit wird kommen.