Posts Tagged ‘Depoimento’

Na primavera- 1945- chegam os americanos

Segunda-feira, Junho 7th, 2010

Memorial aos mortos na 1a e 2a Guerra Mundial - Mermuth

“Há 65 anos atrás o nosso munícipio – Eifel – também foi ocupado pelos soldados aliados”.

Este é o subtítulo de um depoimento que li, um dias destes, num caderno especial do jornal regional. Eu achei interessante a forma direta que o Sr. Werner utilizou para expressar a sua visão pessoal quando, juntamente com sua família e vizinhos, ele vivenciou a chegada dos americanos e depois a dos franceses no município vizinho à Hunsrück.

“Muitas pessoas tiveram que deixar as suas casas. Em muitas situaςões, os aliados se comportaram como vândalos. E  ao cair da noite as pessoas tinham que permanecer em suas próprias habitaςões (Ausgangssperre).

Com os americanos a ocupaςão não foi tão brutal como a  francesa. Os soldados americanos presenteavam as crianςas com chocolate e chicletes. Meses depois chega também, como iniciativa americana, comida na escola.

Mais desagradável foi a ocupaςão francesa, a partir do verão de 1945. Vilas inteiras foram ocupadas por famílias de soldados ou destruídas. Para os agricultores, sobretudo, o domínio francês foi quase intolerável, pois tinham que assistir passivamente a sua própria  produςão – por exemplo – de batatas, no outono, sendo transportadas para fora de suas propriedades  e retornando em abril em forma de sementes, as quais deveriam ser compradas. Os agricultores reconheciam os mesmos sacos de estopa que haviam usado para embalar a colheita, antes que esta se tornaria posse dos franceses. Uma explosão de revolta não era pensada… as pessoas estavam com as suas reservas de energia esgotadas pelos longos anos de sofrimento com àquela guerra. Sobre a qual se falava apenas em meias palavras pelos cantos das casas… o sentimento de medo e resignaςão prevaleciam… não havia tempo e espaςo para mais problemas…

Os franceses eram, na sua maioria tão pobres, que não havia possibilidade de se obter nada deles, a não ser talvez lentilhas com pedras ou tâmaras sujas.

Uma vez, tivemos acesso à cultura francesa através do Instituto Francês em Mainz.

Interessante foi também a apresentaςão de um filme sobre a boa convivência entre franceses e angerianos! Só para quem queria acreditar!

Casamentos entre franceses e alemães nao existiram, já que havia muitos tabus de ambas as partes (erbfeind – heranςa de inimizade). Simplesmente, algum prisioneiro de guerra trouxe para cá, depois de muitos anos, sua noiva francesa e alguns jovens se aventuraram por terras estranhas…”

Depoimento para o caderno “Heimat” – Rhein Zeitung em 05/ 05/ 2010