Posts Tagged ‘Dia da Mulher’

Nunca é tarde… para nada

Segunda-feira, Julho 18th, 2016

Segunda parte:

No começo se planeja:

  1. Escolha um desejo não realizado. Não será fácil se decidir. Para facilitar sua opção a dica é que se siga o instinto e não a razão.
  2. Se recolha e com toda a calma trace detalhes. Paralelamente integre suas ações para a concretização do seu sonho em sua rotina de vida. Por exemplo, para visitar uma ópera ou ir ao cinema, é preciso optar concretamente por qual área ou filme, qual o dia da semana que será mais adequado e a possibilidade de convencer um(a) amigo(a) para o programa.
  3. Calcule os obstáculos e possibilidades de entraves. O que pode acontecer se houver atraso para a saída do trabalho? Qual o meio de transporte mais viável? Quanto tempo é necessário para o local?

Psicólogos aconselham a se planejar desde o início os prováveis bloqueios/obstáculos para a realização dos planos. Exatamente na primeira tentativa de se sair da “zona de conforto” algo pode rapidamente falhar quando não se planeja  bem (…).

Por que esperar?  Quando o plano está pronto não faz sentido adiá-lo. Independente do que se deseja, compensa sempre não esperar muito para ouvir a sua voz interior (intuição). Costumes, rotina e a necessidade de segurança já tem muito espaço em nossas vidas. A famosa questão “quando, senão agora” vale todos os dias (…). Uma coisa é certa: Ninguém deve se arrepender por decidir-se a concretizar um plano, pois mesmo que o resultado não seja o esperado, pelo mesmo se tem a cabeça e o coração livres para novos planos e vivências.

Então, qual é mesmo aquele seu desejo  insistente, incômodo, contínuo? Comece agora mesmo a planejar concretizá-lo. Vale a pena sim!

Beijos!

 

Você está convidada! Participe se puder!

Segunda-feira, Fevereiro 10th, 2014

“Ser ou nao ser: eis a questao!”

Segunda-feira, Março 7th, 2011

"Desligar a tomada" - pode ser um sonho bom!

Quem nao conhece o questionamento mais famoso da história literária? Claro, todos nós já ouvimos algumas vezes esta pergunta tao tocante que Shakespeare formulou há décadas atrás. No entanto o meu questionamento interno neste momento é sobre nós mulheres e nossa necessidade de perfeicao. Acredito que os homens também têm sede de perfeicao, tanto é que sao altamente competitivos – porém nao posso realmente descrever os sentimentos masculinos, faco o possível para tentar compreendê-los apartir da minha perspectiva feminina e confesso que é bem difícil. Tenho quase uma vida buscando entender os complexos, dores e alegrias dos caras. A minha  ex e atual convivência com três destes representantes: meu pai, sogro e marido me deixam completamente, em várias circunstâncias,  confusa. No entanto esta também é uma das facetas das herdeiras de Eva: tentar desfazer nós das almas. Estamos muitas vezes disponíveis para ouvir, entender, ajudar, apoiar as pessoas que fazem parte do nosso círculo familiar, amigos ou simplesmente conhecidos. O que pode se tornar mesmo um grande problema quando nao somos capazes de reconhecer e/ou impor limites para a esfera privada da pessoa a ser ajudada e muito importante: a nossa própria, enquanto indivíduo. Penso que faz parte da nossa natureza, há execessoes logicamente, mas em grande parte das mulheres há o instinto maternal vazando pelos poros. E algo terrível: a necessidade de “ser perfeita”: corpo escultural, ótima performance na cama – paralelamente: ter filhos doces, educados, inteligentes, dedicados à escola, à música, aos esportes, à comunidade, etc. E para completar o perfil impecável: ter um otimo trabalho, onde podemos demonstrar a profissional competente que somos, ganhando assim um bom dinheiro para contribuir com as despesas da casa. E, claro a manutencao da ordem/ limpeza do apartamento e jardim além da harmonia nos contatos sociais e de quebra fazer deliciosos pratos salgados e doces para a família e outros extras para as festas da escola, da comunidade…

Eu me pergunto: como, quando, onde, quem é capaz de “tudo isso”? A única resposta que me chega aos lábios é a seguinte: ninguém! Ah! Me esqueci ainda que além de tudo você têm que dominar o idioma estrangeiro, com cuidado para nao esquecer também da perfeicao com o idioma materno e quem sabe outros paralelos, além das novidades tecnológicas que vao sendo implantadas na sua vida e você acaba se sentindo na obrigacao de saber tudo. A mais pura e simples verdade é que precisamos nos aceitar mais como somos – temos os nossos limites. Nao somos e nunca seremos  perfeitas. Nao há um ser humano que seja perfeito! A perfercao é algo divino e nós somos somente reflexo da divindade. Sejamos mais compreensivas conosco mesmas. Nao precisamos ter vergonha de nossos fracos. Precisamos sim, valorizar um pouco mais os nossos fortes!

Amanha é o dia internacional da mulher – faca algo lindo para você mesma! Eu vou tentar!

 

Beijos.