Posts Tagged ‘Escola’

Muitos têm stress ou (melhor) pressão!

Quinta-feira, Novembro 22nd, 2012

"Wer die Relativitätstheorie befriffen hat, dem fällt Ein-Stein vom Herzen/ Quem compreendeu a teoria da relatividade, derrubou uma pedra do coração." Gerhard Krug

Um pequeno bálsamo para mães/pais e crianςas…

Vocês se sentem por parte da escola algumas vezes realmente pressionados e têm a sensação de que no momento tudo é demais? Então vocês nao estão sozinhos. Pesquisadores obtiveram muito recentemente o resultado de uma grande pesquisa realizada em todo o território alemão e concluiram através das respostas às perguntas por Eles elaboradas que uma a cada três crianςas que frequentam as segundas e terceiras séries se sentem muitos stressados, ou seja sob muita pressão no ambiente escolar. Segundo os resultados da pesquisa os fatores de stress que  acompanham e perturbam os pequenos em suas rotinas de vida para  podem ser ordenados da seguinte forma:

  1. Escola;
  2. Brigas e aborrecimentos;
  3. Situaςões de conflitos na família.

Mas o que significa realmente este termo -stress- tão moderno e popular?

Do  inglês para o português podemos traduzir para pressão/tensão e para o alemão – Druck/Anspannung.

Sob pressão todos nós  reagimos de forma especial tanto física, mental, psicológica ou espiritualmente. Estas reaςões nos ajudam a sermos capazes de solucionar certos problemas e superar muito desafios. No entanto muitas pessoas não se sentem bem quando muito pressionadas e procuram assim aconchego na solidão e em situações de ralaxamento. Por isso é muito importante que encontremos em nossas rotinas de vida o equilíbrio entre tensão e relaxamento, pois convivermos bem com a tensão nos fortalece para a superaςão de novos desafios, mas por outro lado não devemos esquecer do relaxamento e nos dedicarmos também aos nossos hobbys. Ouvir música, praticar esportes, brincar ou simplemente não fazer nada – só isso pode nos ajudar com muita frequência a enfrentar o próximo dia com mais disposiςão e otimismo!

Texto traduzido “praticamente” na íntegra da coluna Kindernachrichten/notícias para crianças: Jornal Rhein-Hunsrück. Nr.: 272 – 22.11.12

Ps: A matéria de capa de hoje do jornal veio a calhar com o meu momento. Me sinto agora melhor por saber que não estou sozinha na batalha. É muito triste para uma mãe perceber o stress, o medo e a desolaςão nos olhinhos de uma crianςa que gostaria apenas de ter mais tempo para brincar do que se prender a uma cadeira horas inteiras correndo atrás das melhores notas… Eu sei que se conselho fosse bom, seria vendido, no entanto enquanto mãe e educadora eu cheguei a conclusão que não deveríamos aceitar que nossas crianςas fossem despachadas para a escola com 5 anos.

Beijos para pequenos e grandes!

“Cá” entre nós!

Quinta-feira, Agosto 30th, 2012

"Já errei, acertei, perdoei, odiei... estou sempre aprendendo viver..." Chaplin

Estou com muitas dificuldades para escrever um post de caráter pessoal. Faz tempo que não me sento para organizar parte dos meus  pensamentos, minhas dificuldades, meus altos e baixos e sobretudo publicá-los. Atualmente tenho muitos problemas para encarar o mundo vasto e algumas vezes bastante sombrio que a Web representa. No entanto, tenho que admitir que através das minhas aventuras no plano virtual tenho “encontrado” pessoas amáveis e inteligentes e tenho a chance também de “reencontrar” pessoas queridas que fazem parte também do meu mundo real,  pessoas que estão entre  1 a 10.000 kms de distância. Temos encarado também aqui em casa muitos problemas técnicos com a rede telefônica e por consequência a nossa conexão. Estou sim de certa forma tentando me desculpar pela minha “ausência” aqui neste retângulo que de forma interessante me transporta além de fronteiras internacionais e oceanos – isso me deslumbra um pouco, mas de verdade! – só um pouco. Meu deslumbre indescritível se encontra ao meu redor, nas pessoas que me inundam de alegria, espanto, raiva, tédio, tristeza, vergonha, decepção, ansiedade… ou seja as pessoas com as quais convivo e deixam transbordar a própria autenticidade. Entre estas pessoas se encontram meu pequeno, mas estupendo círculo de amigas, todas as crianςas e pré-adolescentes com os quais trabalho, boa parte dos meus vizinhos, o pai das minhas filhas e logicamente Elas. Minhas filhas que neste mês completaram mais um ano de vida. Tenho que agradecer bem alto ao criador por tê-las me presenteado assim doces, mas também algumas vezes  rebeldes como são e principalmente saudáveis física-pisico-socialmente. Me entristeςo muito quando percebo que alguém está doente e não sei qual das formas de doenςa é mais dolorosa: a física ou a psíquica. De qualquer forma penso que temos que nos cuidar para que nossa alma não adoeςa, então temos uma chance de passar por esta vida mais satisfeitos do que insatisfeitos, afinal o que conta mesmo e nos proporciona profundos momentos de paz e felicidade são as coisas mais simples e naturais como o sorriso de uma crianςa, o olhar curioso de um bebê, o pôr do sol, o nascer do sol, uma chuva forte num dia quente de verão, o calor aconchegante de uma casa cheirando a café numa manhã calma e fria, a alegria de nossos filhos quando chegam em casa contando sobre suas mais recentes experiências…

A propósito, sobre recentes experiências tenho muito a compartilhar:

  • Minha cozinha, meu lugar preferido para trabalhar e filosofar está reformada e fazem parte da decoraςão  alguns detalhes muito pessoais e (pelo menos para nós) – muito interessantes. Por exemplo uma foto ampliada de algumas montanhas de Minas Gerais. A moldura tem o formato janela. Uma ideia maravilhosa, tenho que admitir, do  meu príncipe.
  • Sobre o cansaςo e conflitos que esta reforma nos custou, melhor não comeςar a escrever!
  • As crianςas voltaram para a escola e já estamos profundamente envolvidos com trabalhos, avaliaςões e notas. Notas, inclusive  são novidades para Vic, mas já teve que digerir um 2 (no Brasil significa um 8 – na escala 0-10) em Artes, e um 3 (ou seja um 7 na escala 0-10) em Ditado – nada mal, mas Ela estava convicta que teria um 2 em funςão dos seus “4 pequenos erros” – Ela chegou em casa meio decepcionada com o “3”, mas por sorte não pensou muito mais no assunto. Para a minha tranquilidade “parece” estar um pouco preocupada com o trabalho de Matemática que vai ter na próxima semana;
  • Estou fazendo esporte com as crianςas 3 vezes na semana e o meu grupo de terςas está lotado de crianςas bem pequenas, doces e arteiras;
  • Nas quartas-feiras  tenho vivenciado  aventuras com gesso, terrakota e cores com crianςas de 5as e 6as séries – a experiência está sendo ótima!
  • Em duas semanas reencontro meu grupo animado de meninas para nos prepararmos para o carnaval 2013;
  • Na próxima semana vou ter o prazer de receber uma equipe de televisão aqui em casa (SWR), a qual por puríssima coincidência descobriu que uma brasileira em Mermuth se interessa tanto por História Alemã que ousou escreveu um livro sobre parte desta História e está muito envolvida num segundo projeto. Ontem um representante desta equipe me telefonou e me pareceu muito simpático e interessado em conversar comigo a respeito. Agora a ressonância disto e como eu vou me comportar em frente as câmeras – só Deus sabe! Tenho que confessar que já me sinto tímida! Estou pensando também se devo marcar uma hora na cabeleleira e perguntar sobre um make-up…

Acho que já escrevi demais… acho que estava com saudades!

Beijos

Felicidade se aprende!

Terça-feira, Julho 3rd, 2012

O futuro tem início neste segundo. Não tenha a pretensão de prevê-lo, tenha a coragem de construí-lo desde já!

Aqui estou eu levando (da melhor forma possível) a vida…  as férias escolares… o caos… mesmo que através da chuva, do frio, do mal tempo que insiste em nos acompanhar (infelizmente) verão adentro. Hoje num dos raros dias que prometem apenas sol, resolvi que vou limpar as janelas e trabalhar um pouco no jardim com a esperanςa de no fim da tarde poder ler  cheia de preguiςa e cansaco na minha única e cobiςada “espreguiςadeira” que ganhei há uns 3 ou 4 anos atrás. Estou convicta que mereςo esta pausa. Sinto que minhas baterias estão descarregadas. Sem ânimo até para brigar com Laura e Vic que agora estão comendo “Kinder Country” ao invés de pão com geléia ou outra coisa saudável. Mas tenho que compartilhar com vocês que tudo está correndo muitíssimo bem por aqui! Estou muito empenhada com as minhas figuras em gesso e tenho investido bastante tempo em comprar e aplicar novidades, afinal em agosto comeςo a trabalhar oficialmente num novo projeto pedagógico da escola frequentada por Laura. Estou muito feliz com  os novos desafios e perspectivas que isto representa. Por falar em escola, o ano letivo 2011/12 chegou ao fim e graςas a Deus não posso reclamar dos boletins das minhas duas princesas –  eles não trazem resultados espetaculares, mas também nem um catastrófico. Podemos concluir que tivemos progresso e que não podemos nos dar ao luxo de “relaxar” no próximo ano letivo – bastante trabalho nos aguarda!

Por “falar” em escola gostaria também de compartilhar com vocês algo interessante que li ontem (Rhein-Hunrück-Zeitung, Nr.151)

“Felicidade pode-se aprender – inclusive na Escola”

Recomendado para imitaςão: entre alunos de Bremen encontra-se há algum tempo “Felicidade” como conteúdo programático. Em um projeto-piloto alunos da oitava série estudam tudo  que faz parte de  uma vida feliz. Desde fevereiro as crianςas ou adolescentes se ocupam intensamente com os temas:

  • Confianςa;
  • Percepção;
  • Projeto de vida.

Para o próximo ano as “Aulas de felicidade” devem ser integradas à programaςão oficial – afirmou a Diretora da escola – Annette McCallum. No entanto “notas” não estão previstas para a matéria – para a felicidade dos alunos!

Beijos e linda semana!

Um domingo perfeito

Segunda-feira, Junho 4th, 2012

Ninguém é tão rico que não precisa dele e ninguém tão pobre que não possa oferecê-lo. É grátis e faz toda a diferenςa. Não se compra, solicita-se, empresta-se ou imprimi-se. Ele possui o seu valor quando é presenteado - o sorriso."

para ir pro cinema. Assim posso tentar descrever o dia de ontem: frio, cinza e muito molhado! Não tenho nada a reclamar, pelo contrário… este foi exatamente o programa que havia decido para mim há semanas atrás quando li a notícia de que seria exibido no Pro-Winzkino de Simmern um filme, cujos atores principais estão muito distantes de Hollywood, mas para a minha sorte e honra aqui no nosso município. Eles fazem parte das pessoas que compõem o grupo denominado “Die Vergessene Generacion – Kinder des Krieges/ ” A geraςão esquecida – Filhos da Guerra”. Eu já tive o prazer de conversar pessoalmente com alguns deles e com outros que não compuseram ainda uma  fita cinematográfica. O fato é que não sei explicar porque, mas a motivaςão para escrever um material didático sobre o tema não me sai da cabeςa apesar de já ter ouvido tantas vezes opiniões contrárias e negativas sobre esta possibilidade. No entanto, ontem obtive mais uma confirmaςão de que não vou abandonar o rascunho de projeto tão facilmente! Quando eu cheguei no Hall de entrada do cinema, fiquei muito feliz por constatar não estar muito atrasada, pois ainda havia algum representante de autoridades (não sei exatamente o nome dele) oficializando a abertura do evento, apenas então fomos para a sala de projeςão, porém antes disso todas as pessoas daquele círculo que me conhecem  me presentearam sorrisos e muito acolhimento, fiquei muito feliz por sentir-me de certa forma parte deles.

Durante a projeςão eu estava muito bem acompanhada por uma das “Testemunhas do Tempo”, a qual me concedeu no último ano a honra de poder visitá-la e   traduzir  suas lembranςas de dias cruéis de guerra. É simplesmente inacreditável que esta Mulher, Mãe e Avó consiga ser tão carinhosa, amável e alegre após ter vivenciado momentos realmente dramáticos, sobrevivendo ao longo de anos sobre um fio entre a vida e a morte quando tinha direito, enquanto crianςa, a brincar e ir para a escola. Ontem, ao lado desta grande Mulher, eu me emocionei e chorei muito ao assistir o depoimento dela e das outras testemunhas. Foi muito tocante! Estou convencida de que vou em algum tempo e lugar tentar compartilhar um pouco do que venho  vivenciando conhecendo pessoas lindas, apesar das marcas de suas feridas daquele tempo – as quais  ainda não estão cicatrizadas. Esta é uma faceta da 2a Guerra Mundial que não consta nas enciclopédias ou documentários oficiais. Esta é uma faceta da Guerra que me atrai como imã – Histórias personalizadas e cheias de sentimentos.

Me resta apenas agradecer aos “Filhos da Guerra” por serem tão generosas conosco e nos permitirem compartilhar de suas lembranςas, de seus medos e verdades.

Beijos.

Em tempo: Estou muito feliz porque para este meu novo projeto conquistei a parceria do Professor de História Cleber Diniz, da Coordenadora Pedagógica Alessandra Cruz, dos colegas e Direςão da Fundaςão Roge.

A Fórmula mágica…

Quarta-feira, Março 14th, 2012

"Prevenir é melhor que remediar".

para quando se sente raiva, medo ou enfrenta-se problemas. Sentimentos desconfortáveis como estes são inerentes à vida. No dia-a-dia eles causam, frequentemente, discórdias e separam as pessoas. Para evitarmos isto foi apresentada à nós a “Fórmula mágica de Klaro”. Ela é muito fácil de ser aplicada e ajuda também na rotina familiar.

Experimente:

1-Stopp!

Antes de agir  de forma impensada, eu tenho que…

2-Acalmar-me

Para isso devo respirar fundo três vezes. Então…

3-Pensar

  • O que aconteceu?
  • Como eu me sinto?
  • Qual seria uma situaςão mais agradável para mim que esta?
  • Como eu posso dizer isto?

Parece muito simples, mas achei fascinante quando Victoria chegou da escola ontem me explicando a fórmula de Klaro – o pequeno mascote do projeto pedagógico que vem sendo trabalhado na escola, o qual tem como objetivo básico combater e prevenir o vício e a violência no ambiente escolar e na família. Considero o projeto espetacular pois através dele as crianςas já com 6, 7 anos aprendem a conhecer, entender  e trabalhar os próprios sentimentos, algo que muitos de nós adultos ainda não aprendemos, infelizmente.

Ps. Outras informaςões sobre “Klaro” você pode ler aqui mesmo no meu blog:

Simplesmente, “Klasse”!

Prevenir é melhor que remediar – parte 1:

Beijos e um lindo dia ainda!

Expectativas…

Sexta-feira, Janeiro 27th, 2012

"Ziel des lebens ist da leben selbst" - "O objetivo da vida é a própria vida". Samuel Beckett

Me sinto hoje como se tivesse sido atropelada, muito cansada! Por outro lado feliz porque hoje é o meu dia preferido – sexta feira. No entanto tenho a previsão de um fim de semana muito badalado, cheio de expectativas, estress, mas tenho certeza que será muito produtivo! Hoje, daqui a pouco, vou estou participando de um evento na escola da Laura em homenagem às vítimas do holocausto. Sábado e domingo vou estar  muito envolvida com a programaςão de carnaval  na vila mais próxima. Amanhã vamos ter o nosso ensaio geral e no domingo a primeira apresentaςão da estaςão 2012. Para mim o evento representa um grande desafio considerando que vamos ter a estréia da nossa coreografia – “Wir hexen eine bessere Welt”/ Nós transformamos o mundo para melhor – impossível uma traduςão literal, já que em português não existe o verbo “bruxar”. Fato é que estou absolutamente envolvida com a coreografia e minhas pequenas grandes dancarinas (garotas de 5 a 8 anos) que se propuseram com o maior entusiasmo (para minha surpresa!) estudar e apresentar uma coreografia com a música tema de Bibi Blocksberg: a pequena, linda, justa e doce bruxinha.

O grande desafio no entanto ainda  será apresentar uma coreografia com uma conotaςão “crítica”, algo que ainda não observei aqui na nossa região. A coreografia se encerra quando as crianςas apresentam para o público uma faixa onde se lê em vermelho “Wir hexen eine bessere Welt” e 3 coraςões onde se lê: Gerechtigkeit (justiςa), Toleranz (tolerância), Frieden (paz). Não sei se a mensagem da coreografia poderia ser mais clara, mas estou bem curiosa para perceber como as pessoas reagirão a minha estréia como uma espécie de pseudo-coreógrafa com uma boa pitada de ousadia. Logicamente que gostaria muito de obter um “feedbeck” positivo, mas não estou muito segura disto. Insisto apenas na ideia porque as crianςas receberam com alegria e entusiasmo a possilidade de danςar uma coreografia de Bibi Blocksberg – uma bruxinha que elas “conhecem” e amam.

Conto para vocês o resultado da  experiência.

Mudando de assunto, hoje é o dia também da entrega de boletins. Os sentimentos se misturam – de alegria por bons resultados e o receio dos resultados não desejáveis. No entanto tenho percebido que Laura e Vic tiveram um salto de crescimento, não apenas físico, mas também em outros aspectos. Tenho a afirmar, porém, que a batalha é árdua e diária, mas quando se compreende que “educaςão é um processo”, portanto sem resultado imediatos – fica mais fácil não se decepcionar com notas e comentários no boletim que não traduzem realmente perfeiςão… e no final das contas… quem é perfeito?

Beijos e lindo fim de semana!

Habilidades

Segunda-feira, Setembro 26th, 2011

Porque - "tudo é relativo".

Voll krass – simplesmente brilhante! Assim eu poderia definir a minha última semana, pois ela esteve bem recheada  de novas experiências. Mas como nada funciona 100 % em nossas vidas, dois fatos me aborreceram bastante. Um mais do que o outro. Comecando por aquele que me aborreceu menos:

  • Na sexta tivemos na escola da Vic a Festa ABC: uma ideia brilhante da professora para coroar o estudo de todas as letras do alfabeto, incluindo a leitura e escrita e todas as combinacoes possíveis das mesmas, ou seja as criancas estao alfabetizadas. Achei linda a iniciativa da professora, pois é uma forma também de valorizar o esforςo dos pequenos do domínio de habilidades fundamentais para toda a vida. E temos que admitir que o processo do aprendizado da leitura e escrita não é nada fácil, tanto é que infelizmente, em pleno século XXI, ainda existem milhões de analfabetos ou semi-analfabetos espalhados por muitos países. Pois bem, o fato é que empolgada com a festa, lá eu estava envolvida diretamente com a proposta de uma Coreo A E I O U – nao ousei muito e trabalhei com uma  boa e conhecida música, já com uma coreografia praticamente pronta, afinal eu nao tinha dias para treiná-la com as crianças, senão apenas cerca de 3 horas e apresentá-la no fim da ABC Festa. Tudo teria corrido muito bem e eu estaria absolutamente satisfeita com o resultado se nao fosse o fato de depois da 1a hora de trabalho eu ter despachado minha filha para a cozinha. Nao foi possível suportar a Vic bagunçando a minha coreografia e perturbando as outras crianças (no auge da agitaςão) que tentavam aprender os passos da mesma… em um impulso eu deixei muito claro que ela deveria ir ajudar na ABC Sopa, um outro workschop organizado para a festa. Confesso que não foi agradável vê-la saindo triste e com a cabeça baixa da sala de música… mas eu não tive tempo para pensar sobre isto, pois na minha frente estavam as outras crianςas – com carinhas de espanto –  olhando para mim e esperando novas orientações. Depois da pausa eu falei que ela poderia vir para a nossa sala se se comportasse direito, mas ela já havia tomado a decisão de nao participar mais da  nossa danςa. Assim quando a apresentamos para o restante da classe, pais e avós que chegaram no final da manhã para participarem da festa, Vic estava na “platéia” e nao fez qualquer comentário sobre a nossa performance.
  • O outro aborrecimento refere-se à minha incompetência como motorista. Saindo do pátio da casa para levar Laura e sua mala para a cidade mais próxima, de onde então ela viajaria de ônibus com toda a classe e duas professoras para um seminário em Bad Ems, me esqueci que meu príncipe encrementou a entrada do mesmo com umas pedras (grandes) e lá estavam elas comprimindo a parte lateral do nosso velho e poderoso Kia quando eu, bem rápido (!) deixava o pátio para alcanςar a rua… ou seja mais uma “marquinha” no carro… levei uma bronca e ouvi algumas ofensas, sem poder revidar, já que nao havia o que ser dito, apenas lamentado…

Hoje já estou um pouco conformada, pois sábado em contato com outras mães e contando sobre a A E I O U – dança e o problema que tive com Vic, elas me falaram que isto é absolutamente normal e que elas enfrentam também este tipo de situaςão com frequência. Quanto ao Kia…  melhor pensar que é melhor o carro com estrago, do que eu… ou seja – “es gibt schlimmeres” – há coisa pior!

Beijos e linda semana!

Vá! Vá! Coloque-se a caminho!

Quarta-feira, Agosto 10th, 2011

Prá que simplificar, quando se pode complicar????

Geh! Geh! Mach dich auf den Weg!

Este é o refrao de uma das muitas músicas que ouvi ontem na celebracao religiosa de início do ano letivo 2011/12. A celebracao foi organizada com muito carinho e embora estíssemos em uma igreja católica, os responsáveis pela mesma foram dirigentes evangélicos – algo que gosto muito aqui, embora os habitantes sejam bastante conservadores, em muitas celebracoes e eventos as igrejas agem em conjunto. No entanto mais interessante ainda foi o fato de que os alunos da 6a série foram as pessoas mais ativas e presente no altar. Muitas vezes eu tive lágrimas nos olhos! Foi lindo compartihar com minha filha o seu primeiro dia na nova escola… tao grande ainda para ela, uma menininha tao doce que em poucos dias estará também comemorando os seus 10 anos de vida. Deus, como é lindo e difícil ser mae! Como o tempo voa… me lembro ainda que outro dia eu estava beijando os pézinhos de Laura, um bebê muito fofo! Atualmente já estou comprando para ela sapatos com o mesmo número que eu própria uso. Nao é fácil acreditar! Ver os próprios bebês crescendo é emocionante e doloroso… Você vai sentindo que parte de você está praticamente “fora de controle”, que tem vida própria, que tem sentimentos e sonhos íntimos. Nao me resta muito a nao ser tentar ser sua melhor amiga para ter o luxo de vivenciar muito de pertinho as experiências mágicas que vao surgindo no caminho daquela parte minha já “tao independente” – gut so! Bom assim… faz parte do crescimento. Me recordo frequentemente de Gibran “Os nossos filhos nao sao nossos filhos, sao filhos da vida…”. Procuro quase que desesperadamente preparar minhas crias para a vida. A vida é linda sim, basta termos saúde para desfrutá-la com todos os seus altos e baixos. Incompreensível para mim sao como as pessoas se comportam. Penso que com quase meio século de vida posso compartilhar que estou de bem com a vida, posso também me proporcionar o direito de nao estar de bem com pessoas preconceituosas, mesquinhas e antipáticas. Ainda estou extremamente inconformada com alguns momentos que vivencei ontem durante o encontro dos pais dos novos alunos da escola IGS – Emmelshausen. Na verdade quanto a grande e desconhecida maioria nao tenho nada a declarar, porém quanto a uma minoria, a qual “conheco” desde que nossos filhos tinham cerca de 2 anos preciso “dizer” que me encontro no ponto mais decepcionante da minha vida neste país. Nao sei se por minha condicao de estrangeira, mas o fato é que observei ontem tantas fisionomias frias e vazia na direcao da minha pessoa. Me perguntei (após observar e olhar frequentemente na direcao de algumas pessoas para cumprimentá-las, afinal  já trocamos muitas ideias, informacoes, preocupacoes, convites para aniversário entre os filhos) – o que eu fiz de errado? Perguntei também no auge da incompreensao (was habe ich falsch gemacht?) pro meu príncipe, que também nao entendia nada, porém como os homens encaram tudo com mais naturalidade que nós mulheres ele tentou me conformar me dizendo que estávamos na classe errada, ou seja nossa filha nao estava mais na classe dos filhos daquelas pessoas, cujos rostos já tiveram para mim sorrisos tao abertos  e ontem tinham apenas indiferenca…

Tenho que encerrar meu post. No entanto tenho ainda que compartilhar que apesar da ducha gelada daquelas senhoras e senhores –  eu tive um ótimo dia! Minhas filhas chegaram das escolas muito felizes, pronto meio dia estava ganho! A tarde eu tive minha primeira hora (oficial) de esportes com os baixinhos de 4, 5 anos – Eles também estavam felizes e eu já havia me esquecido do círculo antipático e entediante que havia “discreta e com a frieza da pedras de gelo” me excluído (sei lá porque) de seus comentários, troca de informacoes e sorrisos.

Finalizando, hoje tem futebol (masculino) a noite – Alemanha X Brasil. Estou ouvindo o tempo todo comentários sobre a partida. A informacao principal é de que o time brasileiro nao se encontra em “forma”. Só me resta desejar sorte para o Brasil, considerando o resultado da copa América… (schade!).

Beijos.

Festa no Pátio

Segunda-feira, Maio 30th, 2011

De coracao, seja bem vindo...

As muitas semanas de pré-organizacao do evento valeram a pena. O dia estava lindo, criancas e adultos bem humorados e cheios de expectativa para o início da festa, a qual foi cuidadosamente preparada com o objetivo de inaugurar oficialmente o pátio da escola da vila mais próxima à nossa – Gondershausen – onde localizam-se a pré-escola e a escola das nossas criancas. O pátio que por alguns anos esteve tao abandonado foi no sábado o motivo da festa que esteve muito linda e contou com a presenca além, claro de 99,9 % das criancas, também dos pais, irmaos, avós e autoridades como o prefeito, os padres das igrejas católica e evangélica e com as bandas locais de música. Todas as possiblidades para comes e bebes estavam sob a responsabilidade dos pais, os quais participaram também ativamente nas atividades recreativas e pedagógicas que foram preparadas com muita competência pelos professores. O dia foi um sucesso e, no seu final o pátio que há cerca de dois anos estava em reconstrucao estava oficialmente inaugurado. Eu acompanhei todo o processo e achei tao interessante como tudo foi conduzido que nao posso deixar de compartilhar “um pouco” de tudo que vivenciamos desde entao. Tudo comecou com uma pesquisa entre as próprias criancas sobre como elas próprias projetariam o pátio. A partir das ideias e esbocos de projetos que elas desenvolveram foi organizado o projeto oficial do pátio sob uma concepcao de relacao estreita entre: natureza/aprendizagem. O interessante é que tudo ocorreu sob a coordenacao dos professores e pais, ou seja, o Estado nao teve qualquer envolvimento direto com o projeto. Muito diferente do que eu conhecia no Brasil no tocante às escolas públicas. A participacao macica dos pais, ao menos aqui onde moro, promovem melhorias muito significativas na qualidade do ensino. Nao participamos somente das festas batendo bolos, fazendo café ou vendendo salsichas… mas também em atividades pedagógicas quando solicitados. Eu como sou apaixonada pelas minhas filhas e por tudo o que envolve o processo “Educacao” estou sempre bastante envolvida – somente pelo prazer de compartilhar muito de perto o entusiamo e alegria das criancas pelas visitas e novidades. No sábado lá estava eu entre a música, o riso, a curiosidade das criancas e os olhares solidários ou céticos dos adutos. A minha funcao era a de preparar Smoothies (morango ou banana) – outra palavra que compoe o dialeto “denglich” (para o meu desgosto!), em Minas dizemos somente: “Vitamina”. A lista de possibilidades é enorme, nao posso citar aqui todas, pois precisaria de muito tempo e espaco. Desde crianca fazíamos nós mesmos os nossos “Smoothies”. Em minha casa, principalmente de abacate com ou sem banana, já que tínhamos sempre muito abacate e banana no quintal. O engracado é que aqui isso é novidade, muitas criancas ainda preferiram “Limo” – fanta ou sprit, mas para a minha felicidade muitas foram experimentar a minha “deliciosa vitamina” de banana ou morango e leite muito gelado –  com muita espuma, com pouco acúcar, bastante acúcar ou sem acúcar – conforme a opcao do cliente. Quase no final da festa já nao tínhamos mais morangos e mesmo depois de terminada a festa outras criancas ainda gostariam de comprar uma de banana. Foi muito legal atender tantas pessoas interessadas na “novidade”. Na próxima vez vou ampliar as possibilidades, suco geladinho de melao, acerola, abacate com ou sem banana, limonada suica,… vou me divirtir com o espanto das minhas “colegas” , que obviamente têm pânico do liquidificador… verdade!

Beijos e linda semana!

Jornal na escola

Quinta-feira, Abril 28th, 2011

Novo registro de tempos muito difícies!

Este é outro projeto que considero muito legal que desenvolve-se na escola das minhas filhas, que nao é privada e sim pública – algo que gosto muito por aqui, todas as criancas, ao menos que eu conheco, frequentam a mesma escola, a qual tem um nível que nao deixa absolutamente a desejar, pelo contrário. Esta é uma das vantagens, sob o meu ponto de vista – sensacionais – em se viver neste país. A diferenca entre ricos e pobres nao é tao acentuada como no Brasil. Na regiao onde eu moro, por exemplo, nao existe qualquer escola privada e todas as criancas têm as mesmas possibilidades. Se há execessao é por puro desinteresse dos pais. Um outro exemplo contrastante entre os dois países está aqui debaixo do meu nariz – o pediatra das minhas filhas vive na mesma vila que eu e sua casa também nao tem muros ou piscina. Seu luxo é ter um cavalo e um cachorro. Ele e sua família sao “a simplicidade”, o status e o título de Dr. nao representam quase nada! Nao quero agora vangloriar o sistema alemao em contrapartida com o brasileiro. No entanto, tenho que admitir que amo nao me sentir menos por poder dirigir um Kia ao invés de um BMW e que muitas pessoas que têm os seus BMWs  e Mercedes aqui na minha vila nao demonstram o menor orgulho de suas próprias aquisicoes. Perdao… estive viajando um pouco e fugi do meu tema principal: o jornal na escola.

Todos os dias cada crianca da 4a série recebe um exemplar do jornal da regiao  e sob orientacao da professora trabalham com os temas em foco, se atendo em uma coluna especial chamada: “Kindernachrichten” – notícias para criancas, onde os diferentes temas da atualidade sao escritos em uma linguagem mais apropriada para os pequenos. Neste post eu gostaria exatamente de traduzir na íntegra a notícia em destaque – ontem – desta coluna tao especial do jornal Rhein-Hunsrück-Zeitung (n° 97 – 27.04.2011). O tema é comovente, tenho certeza que para cada um de nós!

Muitos demonstrantes contra a energia atômica:

Na terca feira, pela 25. vez, lembra-se de um acontecimento muito sério: o acidente da usina atômica de Tschernobyl. Tschernobyl localiza-se na Ucrânia, algo como 2000 kms de distância da Alemanha. Alí no dia 26 de abril de 1986 acontecia um acidente, em uma usina atômica, com altíssimo grau de perigo para a populacao e o meio ambiente. Até hoje, 25 anos depois as pessoas desta regiao sofrem as consequências da radiacao nuclear, a qual nao pode ser sentida através do olfato ou paladar ou mesmo percebida através da visao, mas pode causar sérias doencas.

O tema energia atômica e suas consequências sao temas muito atuais em funcao de um outro acidente nuclear com consequências catastróficas, ocorrido em Fukuschima – Japao. Por isto também a tradicional manifestacao de Pácoa – contra a utilizacao de energia atômica – este ano obteve maior repercussao que nos últimos anos. Na verdade esta manifestacao ocorre há cerca de 30 anos, ela surgiu nos tempos da Guerra Fria quando o medo de uma guerra atômica tirava o folêgo de mihoes de pessoas em todo o mundo. Assim na Alemanha nasceu a “Manifestacao pacífica de Páscoa dos adversários de armas nucleares”, a qual sobreviveu até os dias atuais. Nesta Páscoa as pessoas aproveitaram a oportunidade para demonstrarem novamente que apoiam de forma veemente o fechamento de todas as usinas nucleares existentes em território alemao e que a energia utilizada no país seja obtida apenas através de outras fontes, pois o que pode acontecer ao se investir e fazer uso deste tipo de energia nos foram evidenciados através da tragédia de Tschernobyl – há 25 anos atrás, a qual se repetiu este ano, infelizmente, em Fukushima.

Sem mais comentários…

Beijos.