Posts Tagged ‘Michel Teló’

Nossa! Nossa!

Quarta-feira, Fevereiro 22nd, 2012

Batalhamos sim por um "mundo melhor"!

Como comeςar meu post de outra maneira?  Impossível, já  que tenho a música “Ai se eu te pego” na versão de Michel Teló” na cabeςa. Não sei quantas vezes a ouvi, cantei e dancei neste carnaval. Aliás o Hit do carnaval, ao menos aqui em Hunsrück. Sei que têm muitos brasileiros realmente entendidos ou não em música que torcem o nariz ao ouví-la, mas eu sinceramente estou amando ouvir uma música em português na boca dos alemães. O mais interessante é que eles realmente se empenham em cantá-la, mesmo não tendo estudado a pronúncia das palavras – exemplo: na segunda feira em uma festa aqui na vila próxima o cantor do dueto responsável pela animaςão pronunciava “chabado na balada…” ou invés de “sábado na balada…”- eu achei muito engraςado, mas ao invés de criticar e sorrir cinicamente – coisas que já vivenciei múltiplas vezes desde que  coloquei os pés neste país, quando nós estrangeiros pronunciamos o  “r” na ponta da língua ou invés de na garganta ou os malditos üs/äs/ös – eu cantei e dancei com o melhor bom humor e tolerância já que sei o quanto é difícil você tentar se expressar num idioma o qual você não domina. Voltando a pensar em coisas agradáveis, enfim o carnaval acabou – estou muito feliz porquê hoje é quarta feira de cinzas e não posso nem pensar em coreografias ou apresentaςões pois em um “bom” alemão – ich habe de Nase voll/ eu tenho o nariz cheio! Sei que vocês me entendem!  Minha primeira experiência como  “Hobby Choreograph” foi de muito aprendizado e chateaςão. Com isso conheci outras pessoas bastante simpáticas e interessantes, além de poder testar minha paciência, nervos e bom humor, mas infelizmente quase me desperei com a falta de respeito e consideraςão de algumas pessoas “adultas” , as quais indiretamente estavam ou infelizmente ainda estão ligadas à esta minha mais recente “atividade”.  Só posso pensar em como é triste quando algumas pessoas que apesar da “idade” e do “tamanho”, além das “rugas” demonstram que não incorporaram ainda certos valores que são normalmente inerentes ao ser humano adulto. Bem, fato é que sobrevivi, só tenho que me livrar da tensão nas costas e da dor de cabeςa, não pelos goles a mais, acho que pelos goles de menos…

Beijos e linda semana!

O Brasil (em alta) aqui…

Sexta-feira, Janeiro 13th, 2012

logicamente também por questões econômicas, mas este post trata-se basicamente de um aspecto cutural.

Um dia desses, sem mais e nem menos indo para a cidade mais próxima para fazer compras, ouvi em uma das minhas rádios preferidas – SWR 3 – uma música em português em um rítmo bastante alegre e divertido. Não pude acreditar nos meus ouvidos…  aumentei o som para ter certeza que não confundia português do Brasil com o de Portugal ( como em Danza Kuduro) ou com espanhol – como já aconteceu comigo, por fraςões de segundos, algumas vezes. No entanto naquele dia, atravessando a rua gelada da vila próxima a Mermuth eu não havia me confundido, estava mesmo tocando um som original em português do Brasil em uma rádio alemã – algo sim extraordinário! Eu ouvi com muito atenςão a letra da música e só pude achá-la  divertida, claro além de um pouco safada. Admito que gostei tanto da música (justamente porque trouxe para mim  naquela manhã gelada e cinza – um pouco do brilho do sol e da alegria do Brasil!) que fiquei pensando em como e por que este som veio parar em terras germânicas. Desde que vivo aqui (cerca de 11 anos) apenas o que ouvi, muito raramente, foi “Chorando se foi quem um dia só me fez chorar…” ou em tempos de carnaval uma versão tecno estranha da “Aquarela do Brasil”. Então ouvir algo brasileiríssimo e inédito foi uma tremenda surpresa para mim. Três dias depois ouvi de novo na mesma rádio o som brasileiro e prestei mais atenςão na letra da música e tentei descobrir o nome do cantor. Poucos dias depois eu estava procurando no You Tube algo sobre “Ai se eu te pego” – lá encontrei  Michel Teló, muito simpático por sinal e com uma voz e carisma contagiantes, cujo clip copiei e transferi para o meu blog e a letra traduzi quase que literalmente. Observei também a coreografia demonstrada por Neymar no vestiário do Santos FC – mostrei para minhas filhas que se além de divertirem com a brincadeira, aprenderam rapidinho a cantar e danςar a música. Confesso não ser uma grande fã de futebol, mas gostei muito de poder entender então como “Ai se eu te pego” /Michel Teló vieram parar em Hunsrück.

Bem, vez ou outra, ouςo a música na rádio e o CD já comprei via Amazon – eu, Laura e Vic cantamos e  danςamos sempre que temos um tempinho e inspiraςão. Hoje vi que existe uma versão em alemão da música, mas sinceramente fiquei chocada com o como vulgar a versão foi escrita e está sendo cantada por 3 rapazes. Tenho que registrar que a minha traduςão é muito melhor. Lí também comentários negativos sobre a música. Concordo que a letra não é realmente uma riqueza cultural e que outras tantas incontáveis músicas populares brasileiras são muito melhores, mas nunca chegaram aqui na Alemanha, ou se chegaram não foram tocadas na rádio e não atingiram público. Posso entender porque esta música em especial tem possibilidades de atingir um público maior neste país – ela é alegre, leve (ninguém é de ferro!), nos proporciona descontraςão, nos impulsiona ao movimento, além do que foi introduzida aqui de um jeito muito expontâneo por um jogador de futebol. Sobre o qual, meu marido havia mostrado há semanas atrás  uma reportagem enorme em um caderno especial da revista Focus. Lí a reportagem de cabo a rabo, gostei muito do perfil de Neymar e sobretudo do fato dele ainda estar jogando no Santos/Brasil ao invés de estar aqui na Europa em algum club espanhol, inglês ou alemão. Me impressionei também com o posicionamento do seu pai quanto a carreira do filho e o glamour que o cerca atualmente.

Ao terminar de ler a reportagem eu só pude pensar: como seria bom se ele conseguir permanecer assim – um menino alegre e bom de bola! Como o Brasil precisa dele! Como nós brasileiros aqui fora precisamos dele! Espero muito que ele não se perca…

Beijos e muita sorte!

A propósito a traduςão literal da música é dificilmente entendida pelos alemães, pois “delícia/köstlich”  é uma expressão usada somente para comes e bebes e não para pessoas. O conteúdo da música, seu significado e rítmos envolvem diretamente a questão cultural.

Delícia…

Quarta-feira, Dezembro 21st, 2011

http://www.youtube.com/watch?v=eOnb2mdlXYk&feature=related

Ser surpreendida ontem com este brasileiríssimo som ao sintonizar a SWR 3.

Cante, curta, dance…

Nossa, nossa / Auweia, auweia
Assim você me mata/ So bringst  du mich um,

Ai, se eu te pego/ Aua, wenn ich dich kriege,

Ai, ai, se eu te pego/ Aua, aua, wenn ich dich kriege,

Delícia, delícia/ Köstlich, köstlich
Assim você me mata/ So bringst du mich um
Ai, se eu te pego/Aua, wenn ich dich kriege
Ai, ai, se eu te pego/ Aua, aua, wenn ich dich kriege

Sábado na balada/ Samstag auf der Party
A galera começou a dançar/ Die Leute haben angefangen zu tanzen
E passou a menina mais linda/ Und das schöneste Mädchen ist vorbei gegangen
Tomei coragem e comecei a falar/ Ich bin  mutig geworden und habe angefangen  zu sprechen:

Nossa, nossa/Auweier, auweier
Assim você me mata/ So bringst du mich um
Ai, se eu te pego/ Aua, wenn ich dich kriege
Ai, ai se eu te pego/ Aua, aua wenn ich dich kriege

Delícia, delícia/ Köstlich, köstlich
Assim você me mata/So bringst du mich um
Ai, se eu te pego/Aua, wenn dich dich kriege
Ai, ai, se eu te pego/ Aua, aua, wenn ich dich kriege

Beijos tropicais!