Artikel-Schlagworte: „mulher“

„Carreira é mais importante para as mulheres do que filhos“

Samstag, 30. September 2017

Pesquisa: O que as mães esperam do Estado

Berlim: As prioridades de vida entre homens e mulheres se assemelham cada vez mais. Este é o resultado de uma pesquisa da Revista feminina „Brigitte“. O desejo de „igualdade“ é grande, mas ainda não se concretizou, afirmou Brigitte Huber  (chefe redatora) durante a apresentação dos resultados da pesquisa “ Minha vida, meu emprego e eu“.

2000 homens e mulheres entre 18 e 69 anos responderam à perguntas relacionadas à carreira, ao desejo de ter filhos, salários e  serviços domésticos. As respostas apontam na direção de que as mulheres nos dias atuais têm fortes ambições, assim como os homens de seguirem uma carreira. Sobre o significado/importância do trabalho – o peso é equivalente para homens e mulheres. Apenas para as mulheres (82%) é mais importante do que para os homens (74%) o contato com  pessoas no campo profissional. Sem dúvida, para ambos  a flexibilidade financeira e as atividades significativas no dia-a-dia que o trabalho proporciona são fundamentais.

Tornarem-se mães pelo contrário, não é realmente um aspecto prioritário para as mulhures no se refere à realização pessoal, afirma Brigitte Huber.  A independência financeira para 94% das entrevistadas é absoluta prioridade. Apenas 68% mencionaram sobre  o desejo de se tornarem mãe.

Esta nova prioridade feminina se explica, segundo a técnica em comunicação e sexóloga Christiane  Funken  (Universidade Técnica de Berlim) através dos altos índices de separação e o medo da pobreza na velhice. (…). A verdade é que ainda é muito difícil  se conciliar a vida profissional com as responsabilidades de mãe e os deveres de casa. Como alternativa para a superação deste entrave, as entrevistadas sugerem um aumento signifitivo do valor (Kindergeld)  repassado pelo Estado (através de impostos ) para as famílias, mais flexibilidade de horários de trabalho e outras formas de atendimento  às crianças independentemente do círculo familiar.

 

Tradução livre „Karriere ist Frauen wichtiger als Kinder“ – Rhein- Hunsrück- Zeitung

 

Uma drástica realidade!

Para se pensar. Nós Mulheres somos realmente muito  mais que mão-de-obra…

 

Beijos e uma linda  semana!

 

Share This:

Muito além de entraves…

Donnerstag, 29. Juni 2017

Sabe aquela fase em que você sente que a maré está a seu favor? Pois é, hoje me sinto assim! E pensei o porque não deveria escrever aqui que estou contente por estar me sentindo ao menos „agora“ realizada e em paz comigo mesma. Me sinto num daqueles raros momentos que não estou „nem aí“ para o que pensam ou falam de mim… Me permito curtir ao extremo, mesmo que seja apenas comigo mesma, minha libertação do banco da escola. Yes! Tenho meu diploma alemão! Quase no segundo século de vida, lá estava eu de novo numa escola, cercada de colegas de todas as idades e que não falam o meu idioma, senão o alemão ou russo. Contudo,  eu estava cheia de expectativa e motivação para encarar três anos de uma outra qualificação profissional e o que mais me animava é que o tempo na prática era bem maior que o tempo teórico. Confesso que me iludi pensando que não seria tão pesado quanto ouvi, ao informar algumas pessoas que havia me decidido, por vários motivos, fazer um curso profissionalizante de três anos – para trabalhar com pessoas deficientes física e psiquicamente. Muitas pessoas se assustaram com a minha disposição para encarar uma longa e diária maratona de trabalho, provas, projetos e a dificuldade de conciliar tudo com as tarefas de mãe e dona-de-casa.  Como se sabe, na  Alemanha não se tem o luxo de uma ajudante doméstica, como no Brasil. Aqui a gente tem que se virar mesmo e fazer tudo sozinha. Quando eu me encontrava disposta, dividia as tarefas domésticas com Laura e Vici, mas quando eu já estava saturada de „encheção de saco“ descarregava meu cansaço cognitivo e frutraçōes na vassoura, no rodo, no aspirador de pó e panelas… Vocês sabem da dificuldade para se envolver adolescentes nas nossas preocupações com a limpeza e organização da casa! Mas ficar reclamando nunca foi meu „slogan de vida“ e procurei na medida do possível, dia-a-dia, superar os desafios da minha própria opção e estou muito aliviada de ter conseguido terminar, até que com bastante sucesso (considerando minha idade e problemas com a língua) minha escola de formação profissional alemã e me sinto feliz por estar exercendo de coração uma profissão (Heilerziehungspflegerin ) reconhecida neste país, do qual  dificilmente vou me afastar. Logicamente para mim me sentir de novo absolutamente integrada no mundo do trabalho é uma satisfação muito grande, mas o que me levou a escrever este post foi a necessidade de motivar outras pessoas a recomeçarem, quando sentirem esta necessidade. Não se deixem abater pelas dificuldades, afinal a sensação de realização é muito boa e dar um „pé na bunda“ da frustração é melhor ainda!

Beijos ♥

 

Share This:

Um dia (quase) qualquer de abril…

Freitag, 14. April 2017

Alguns tantos anos passados. Tenho a sensação que sei muito menos do  que há vinte anos atrás, apesar da luta diária para aprender e crescer enquanto pessoa. Já me perdi muitas vezes entre os grandes e pequenos desafios que esta maravilhosa escola da vida me apresentou. Tenho mergulhado desde sempre de cabeça em alegrias, tristezas, conquistas e fracassos. Sim, aprendi ao longo desses anos que não vale a pena lamentar o passado, tampouco planejar com detalhes o  futuro. Esta sensacional lição da vida, venho incorporando à minha alma, o que a torna leve e de certa forma compensa a frustração das somas de aniversários. Contudo, nesta primavera tenho muito que agradecer ao criador do universo, pois estou saudável, carregada de energia física, e espiritual. Além do que, na reta final de mais uma formaςão profissional e com a certeza de que posso olhar para o futuro com positividade. O universo é muito bom comigo! No meio aos desafios que não procurei, acabei me encontrando num novo mundo profissional que me torna a cada nova experiência uma pessoa melhor. O contato diário com pessoas marcadas, sofridas me ensinam o quanto a vida tem me privilegiado desde que nasci. Atualmente experimento com muita intensidade cada sorriso das minhas filhas, as cores das flores me fascinam e ouvir os passarinhos cantando no quintal me tranquilizam. Uma sensação de equilibrio num dia (quase) qualquer de abril.

 

Beijos!

 

Share This:

De Mulher para Mulher

Samstag, 10. Dezember 2016

Até porque penso que nenhum homem deste planeta possa realmente entender o universo feminino: Um complexo desgraçado ou engraçado (como se queira interpretar) de sentimentos, medos, procupações, alegrias, amores e neuras. Logicamente não se pode generalizar, mas assim me percebo, me sinto e assim percebo muitas das minhas relações do sexo feminino. O universo masculino há muito tempo procuro sim compreender, desde os tempos de infância, quando meu meu pai me parecia mais um muro do que que uma pessoa. Assim, falando enquanto mulher para mulheres percebo uma tênue possibilidade de ser entendida, se é que alguém pode ou quer ler este post, afinal o  mundo virtual é outra complexidade entre pessoas, prioridades e sentimentos.

Antes que eu me perca pensei em escrever sobre a idade, as rugas, a deformação corporal, psicológica, espiritual… os tormentos de uma mulher que ultrapassou o 1/2 século de vida. Não sei se é o caso da maioria, mas sei que este é o meu caso… Sim, passei dos 50, nem eu mesma acredito! Mas este é o fato! Procuro entender os preconceitos, as posições das pessoas que estão próximas a mim nesta fase da minha vida. Se estivesse muito preocupada com a opinião delas, estaria muitas vezes deprimida. É óbvia a linha de divisão entre jovens e não-jovens ou jovens e velhos? Algumas vezes me sinto assim… quando me defronto com o comportamento dos meus (alguns) colegas de escola ou vida de forma geral.

Por que escola? Claro, na busca de perspectivas concretas de trabalho, aposentadoria, seguro de saúde num país que não é o meu, me vi forçada a voltar para os bancos de escola, a qual estou prestes a finalizar (Graças a Deus!). Como eu poderia definir esta opção? Complicada, mas necessária! Quais entraves? O idioma,  a idade, o saco! Claro… nada acontece por acaso… estamos nesta vida para aprender…sempre, em qualquer lugar, em qualquer cultura. Conselho? Há alguém que precisa? Há alguém que gostaria de um? Há alguma mulher que necessita urgentemente de se sentir de novo uma pessoa? Há alguma mulher que gostaria imensamente de novo se encontrar? Encare seus problemas nus e crus, arregasse as mangas e vai fazer o que você tem que fazer? As lágrimas? Você pode secar! Os medos? Você pode superar… se você quiser… Se você nao puder? Procure ajuda!

 

Beijos e lindo fim de semana!

 

Share This:

um ano letivo prá lá de especial!

Donnerstag, 25. Juni 2015

Foto1Sim estamos apenas em junho – no Brasil  impossível se pensar em fim de ano letivo, mas em terras germânicas estamos na reta final do ano letivo 2014/15. Um ano  prá lá de pesado e decisivo não apenas para minhas filhas, mas prá mim também. Quase morri de preocupação, não apenas pelo desempenho das crianças na escola, mas sobretudo pelo meu próprio. Afinal, sentar de novo em uma cadeira de escola depois de anos, num país com um idioma e cultura tão diferentes do meu próprio não é nada engraçado!

Não gostaria de reclamar das minhas dificuldades agora! Me sinto até mesmo privilegiada por ter esta chance na vida. Paralelo a teoria, tenho aprendido diretamente em prática tanto e tanto sobre pessoas com deficiências, personalidades e histórias diferentes, únicas!

No entanto, mesmo com certa dor na consciência me permito choramingar um pouco pelo o quanto estou cansada física, emocional, psicologicamente! Nestes últimos dias eu simplesmente não consigo raciocinar mais… Fico feliz da vida quando posso executar apenas atividades simples e mecânicas. Não estou me permitindo longas reflexões com receio de ter uma pane. Escrever mais um em alemão me causa, no momento, pânico!

Por isso estou muito feliz por estar escrevendo em português em plena sala de aula, pois já entreguei o último trabalho para nota há duas horas.

Já sei que minhas notas não estão espetaculares, mas relativamente boas. Tenho a impressão que as professoras estão otimistas em relação a mim para  o segundo ano. Minha nota na prática ainda vou ver, mas receber  feedback positivo regularmente dos nossos clientes me anima a ir para o trabalho com satisfação todos os dias, apesar do cansaço.

Agora a ótima notícia é que tenho férias no fim de julho  e estamos nos preparando para voar para a África! Outra espécie de aventura, com cerveja… Ah, com certeza, quis dizer!

 

Beijos!

Share This:

Participe! Vale pena!

Dienstag, 3. Februar 2015

Share This:

A vida começa aos 50!

Freitag, 18. Juli 2014

"Alguns obstáculos em nossa vida, são apenas pedras que nós mesmos colocamos em nosso caminho". Irmgard Erath

Como as mulheres de 60 vivem atualmente:

Sociedade: Nas recentes décadas muitas coisas mudaram, e não apenas na moda. Porém, a igualdade entre homens e mulheres, continua sendo um processo não concluído.

Frankfurt: a chanceler Angela Merkel completou ontem 60 anos. A imagem das mulheres desta idade alterou-se radicalmente. No mesmo ano  de nascimento de Merkel – 1954 – comemoram também aniversário: a contora de Blues Bessie Smith e a danςarina Martha Graham. Atualmente, ao lado de Melkel artistas como Jutta Speidel ou Sabine Postel refletem a imagem atual das  Mulheres de 60 anos.

Cortes de cabelos práticos e modernos ao invés de penteados complicados e carreira ao invés de serviςos domésticos: „A imagem da mulher de 60 mudou completamente“, afirma Ulrike Mascher (75 anos):  Presidente das Associações Sociais VdK – Alemanha. As alteraςões comeςam na moda, afirma Ela. Se os kilos permitem, pode-se usar qualquer roupa. As mães provavelmente podem usar as roupas das filhas e vice-versa.

Antonio Weinitschke, representante da Associação de cabeleleiros afirma:  a mulher de 60 na atualidade, tem as mesmas características de uma mulher no ínício dos  40. O que mudou de forma tão significativa na vida de nós mulheres?

1- Moda: Mulheres com 60 anos, segundo a opinião de profissionais, podem usar todos os modelos. „Moda não tem mais idade“, afirma Nina Peter do Instituo Alemão de Moda. Jovens e Maduros, em termos de moda não se diferenciam mais tão drasticamente. Até mesmo no trabalho a forma padrão de se vestir foi superada (…). „Uma mulher adulta pode simplesmente combinar um Blazer com Jeans e sair para o escritório. Pode-se combinar tudo com tudo, atualmente“.

2-Cortes de cabelos: „A moda não tende mais a envelhecer como antigamente“, categoriza  Antonio Weinitschke.“ Os cortes conservadores dos anos 50 e 60 foram substituidos por cortes esportivos, simples e práticos. „A maioria das mulheres de 60 pintam seus cabelos. Os brancos são para pessoas com características muito especiais ou clássicas avós. Não precisa-se necessariamente de um corte super curto, deve-se observar qual o corte que se harmoniza com  cabeςa e corpo. Existem também mulheres de 60 com lindos cabelos na altura dos ombros.

3-Expectativa de vida: Mulheres de 60 anos, têm segundo as estatísticas, em média ainda 25 anos de vida a sua frente.(…). A expetativa de vida para as meninas que estão nascendo ainda será, claramente, mais elástica. Elas terão ainda provavelmente, segundo as pesquisas, outros 11 anos de vida, quando se compara a expectativa de vida das meninas nascidas no comeςo da década de 50.

4-Casamento e divórcio: Mais que 1/3 dos casais se separam – a maioria em funςão da iniciativa feminina. Até meados dos anos 70, na Alemanha, a culpa por separações era atribuida aos príncipes. Consequência: „Mulheres, na Alemanha Ocidental, por questões financeiras, não podiam se separar“ – afirma a socióloga Corinna Onnen. E complementa: „Quando se pretendia casar, as moças eram enviadas para uma escola de noivas (Brautschule), com o objetivo de se evitar qualquer erro na relação. A imagem da dona de casa satisfeita e feliz  deveria se sobressair em contraposiςão à submissão imposta através do domínio masculino. Na Alemanha Oriental a emancipaςão feminina foi um fator muito importante para o sucesso econômico da região leste do país.“

5-Posiςões de chefia: Uma posiςão de ponta? Para as mulheres, há 60 anos?  Impossível!

Até a regulamentação de novas leis conjugais e direitos de família nos anos 70, o marido poderia obrigar que sua esposa  se despedisse do seu trabalho, mesmo contra a sua vontade. Atualmente 110.000 dos 3,2 milhões da forςa de trabalho feminina que tem entre 55 a 64 anos, encontram-se em posições de chefia (Estatísticas do Governo Federal – Alemanha). Em 1993: 65.100 entre 1,2 milhões.

6. Família: No país, os cuidados com os idosos e doentes seriam, sem a mão de obra femina, catastróficos – reflete Ulrike Macher  (Vdk -presidente).  „A família ainda é a maior responsável pelo acompanhamento e cuidado com as pessoas de idade e doentes. E a dedicaςão é praticamente despendida por esposas, filhas ou noras e principalmente por Mulheres que têm em torno de 60 anos de vida. Muitas vezes também Elas ajudam seus filhos na educação e cuidados dos próprios filhos (…)“.

7.Emprego e Família: Apesar de todo o esforςo e avanςo na conciliaςão entre emprego e família, a socióloga Corinna Onnen afirma: „Quem se sente responsável pelos trabalhos domésticos? Poucos homens, ainda, se encontram neste barco. Enquanto as Mulheres conseguirem, sozinhas, desempenharem todos os papéis poderão dedicar-se à uma carreira. Quando Elas se deparam com suas próprias limitações então há dificuldades, e os problemas surgem.

Esclarece ainda  a socióloga: „O desejo da Mulher jovem em ser independente financeiramente e ao mesmo tempo ser mãe representa um grande desafio para os próximos 60 anos.“

Traduςão da matéria de Ira Schaible para o  Rhein-Hunsrück-Zeitung de 17.07.2014

Beijos, com esperanςa!

Lindo fim de semana para você, Menino ou Menina, que fez a gentileza de me visitar!

Share This:

Meno(s)- pausa:

Donnerstag, 14. November 2013

"Não existe nem vitória, nem derrota no ciclo da natureza, existe movimento". Manuscrito de Accra

apenas um trocadilho bem humorado para me compensar de alguma forma a seriedade do tema „menopausa“. Eu estaria mentindo se escrevesse que estou encarando alegre e facilmente uma nova fase de minha vida. Sim os anos passam muito rápido para todas nós e sem planejarmos ou desejarmos o fato é que novas fases de nossas vidas nos apossam simplesmente!

Na verdade até que visitei meu ginecologista há algumas semanas para os preventivos necessários não havia pensado neste fenômeno que compromete a nossa juventude e nossa capacidade reprodutiva. Me sinto na verdade, ao menos espiritual e psicologicamente, na „flor da idade“, mas o Doutor através de sua pergunta, a qual me pareceu a mais ofensiva do mundo -“ A Senhora tem sentido os sintomas da menopausa?“ – me jogou uma realidade fria da cara. Eu fiquei de verdade chocada com a pergunta direta e rápida do médico e respondi – sorrindo – para disfarςar minha confusão interna: – ainda não!

Eu sai do consultário do médico pensativa quanto aos sintomas da menopausa e me lembrei de minha mãe conversando com as tias sobre calor e suador inesperado e desagradável… depois me recordei também das reclamações de minhas ex-colegas de trabalho que passavam pela experiência. Assim naquela manhã conclui que eu realmente nao sentia qualquer sintoma sequer parecido com àqueles que já havia ouvido através de conversas discretas entre um cafezinho e outro.

Contudo o bárbaro é que depois de algumas semanas senti pela primeira vez este calor inesperado e estranho. A princípio pensei que fosse o aquecimento que estava num grau muito elevado associado a uma xícara de café quente, mas depois de outros sucessivos me lembrei da pergunta do Doutor e conclui que sim – provavelmente sentia finalmente um dos sintomas da menopausa.

Hoje pensando no tanto  que tenho a fazer, mas com o tema rodopiando na  cabeςa – resolvi compartilhar meus pensamentos para me livrar um pouco deles e também para prestar minha solidariedade à todas as Mulheres que já superaram ou estão nesta fase de suas vidas. Para mim não é difícil encarar o fenômeno em si, pois penso que este é um fenômeno natural -assim  totalmente suportável, mas o que Ele representa não é muito simples encarar! De uma perspectiva pessimista parece que caminho na direςão do nada. De uma perspectiva descontrolada penso que tenho ainda muito o que fazer… De uma perspectiva estética me preocupo com os „pneus“ que  insistem em se instalar onde antes haviam „curvas“.

Existe outra alternativa a não ser tentar acreditar que  em todas as fases da vida temos novos desafios e em todas elas podemos encontrar certa beleza?

Beijos.

Share This:

Quotas

Montag, 24. September 2012

"Se você quiser que algo politicamente seja dito, procure um homem. Se você quiser que algo seja feito, procure uma mulher." Margret Thatcher

devem ajudar as Mulheres profissionalmente.

As mulheres têm as mesmas chances e direitos que os homens – isto é claro aqui  na Alemanha. No entanto, na prática, os homens têm ainda as melhores chances de  assumirem postos de confianςa e maior responsabilidade. Algo que naturalmente não é justo com relaςão às mulheres. Este é o motivo pelo  qual  havia muitas  discussões entre os políticos, sobre a possibilidade de incluir legalmente quotas em posiςões de ponta  para as mulheres . Pois bem, ao final da discussão a lei de quotas foi aprovada pelo Conselho Federal alemão. Agora o assunto será tratado pelo Parlamento Federal. Após as regularizaςões necessárias as grandes empresas terão que reservar um número de vagas no topo da administraςão exclusivamente para representantes do sexo feminino, pois atualmente as posiςões „chaves“ são quase que apenas ocupadas  apenas por homens.

Entre todos os envolvidos nas discussões quem mais se alegrou com a decisão do Conselho foi Ursula von der Leyen, pois há tempos Ela defendia o princípio de quotas. Logicamente nem todas as pessoas do círculo político e financeiro são favoráveis à esta decisão, inclusive entre as próprias mulheres há divergências. Algumas delas preferem que as empresas livremente  decidam conceder postos de confianςa não apenas para o homens, mas também para as mulheres.

Ps. Eu particularmente penso que a luta de foices está apenas comeςando! Me sinto bem por não ter qualquer intenção em ocupar um „lugar de ponta“ em qualquer instituiςão que seja. Filha de um machista e casada com um deles, admito estar  sempre na torcida para que nós mulheres tenhamos sim o direito a optar por estar ou não em „posiςões chaves“ e talvez a lei de quotas nos ajudem um pouquinho, pois sei que o jogo de xadrez que os homens jogam para ocupar tais posiςões tem regras bastante obscuras…

Beijos e linda semana!

Texto base:  Kindernachrichten -Rhein-Hunsrück -Zeitung, 22.09.12

Share This:

Pussy Riot – uma pequena homenagem!

Montag, 20. August 2012

"Pensamentos permanecem livres"/ "Мысли остаются свободными"

„Meu nome é MULHER

Eu era a Eva

Criada para a felicidade de Adão

Mais tarde fui Maria

Dando à luz aquele

Que traria a salvação

Mas isso não bastaria

Para eu encontrar perdão.

Passei a ser Amélia

A mulher de verdade

Para a sociedade

Não tinha a menor vaidade

Mas sonhava com a igualdade.

Muito tempo depois decidi:

Não dá mais!

Quero minha dignidade

Tenho meus ideais!

Hoje não sou só esposa ou filha

Sou pai, mãe, arrimo de família

Sou caminhoneira, taxista,

Piloto de avião, policial feminina,

Operária em construção…

Ao mundo peço licença

Para atuar onde quiser

Meu sobrenome é COMPETÊNCIA

E meu nome é MULHER..!!!!“

Autor desconhecido

Beijos e linda semana nao só para as meninas, mas também para meninos inteligentes!

Share This: