Posts Tagged ‘Pensamentos’

Nachgedacht/ Pensamento

Segunda-feira, Outubro 10th, 2016

“Acht au auf deine Gedanken / Preste atenção nos seus pensamentos,

denn sie werden Wörter/ Pois eles serão palavras.

Achte auf deine Wörter/ Preste atenção nas suas palavras,

denn sie werden Handlungen/ Pois elas serão ações.

Achte auf deine Handlungen/ Preste atenção nas suas ações,

denn sie werden Gewohnheiten/ Pois elas se transformam em rotina.

Achte auf deine Gewohnheiten/ Preste atenção na sua rotina,

denn sie werden dein Charakter/ Pois ela será o seu caráter.

Achte auf deinen Charakter/ Preste atenção ao seu caráter,

denn er wird dein Schicksal/ Pois ele será o seu destino

 

 

Tradução livre: Fragmentos do Talmude

Beijos.

 

 

 

A Escuridão/outras facetas

Segunda-feira, Março 19th, 2012

Ter anos significa também a possibilidade de ter lembranςas.

A segunda-feira comecou numa tranquilidade fora do comum… O relógio não despertou como deveria, mas eu não perdi a hora, na verdade muito antes das 5 eu já estava acordada – não em consêquencia de uma insônia, mas sim porque ontem após colocar Laura na cama, cerca de 20 horas, eu mesma já estava dormindo no sofá. O fim de semana foi de muito trabalho e extremamente produtivo. Além de ter comeςado  com a faxina de primavera – os dias estão de novo, graςas a Deus, bem claros e quando temos sorte até ensolarados – então se percebem todas as teias de aranhas e também as marcas do inverno nas janelas e portas. Para compensar este tipo de trabalho que ocupou a minha sexta, no sábado fiquei muito contente ao poder fazer algo diferente – tivemos aqui em Mermuth, “O dia da Comunidade/Município (Gemeindetag)” – um acontecimento promovido ao menos uma vez por ano em todas as vilas,cujo objetivo é reunir um bom número de moradores para executarem tarefas em comum como limpeza e  reformas nas construςões municipais, corte de galhos das árvores que adornam as ruas e parques, coleta do lixo nas margens das ruas que ligam nossa vila à vila mais próxima e em alguns pontos na mata, onde as pessoas fazem pausa para lanches na estaςão primavera-verão. Uma aςão comunitária muito interessante na qual participo desde que posso levar Laura e Vic para também ajudarem, pois na minha opinião esta é uma forma prática de Educaςão Ambiental, além de proporcioná-las ainda mais uma oportunidade de  integraςão à comunidade. Este ano para a minha sorte fui escolhida pela nossa prefeita não para limpar as janelas da Casa Municipal (Gemeindehaus) como nos anos anteriores, mas para ajudar as crianςas na coleta do lixo. Lá estava eu também em cima de um trator, meio velho, na busca de garrafas vazias, plásticos e toda a sorte do lixo que prejudica a natureza e faz mal para os olhos. Quando terminamos a nossa aςão eu estava bem cansada, mas muito contente por ter participado da atividade. Laura e Vic também estavam satisfeitas e orgulhosas com o próprio trabalho. Como o fim de semana foi de trabalho, a tarde continuei com minha aςão de primavera no nosso jardim – minhas tulipas receberam terra removida e percebi que nascem com muito vigor. O jardim ganhou também algumas cores com as flores – Schwiegermütterchen – que plantei.

Para completar o fim de semana, o domingo foi ótimo também. Gauck foi eleito para a presidência do país – a Alemanha precisava muito deste resultado. Laura teve, felizmente, tempo e disposiςão para estudar matemática e Victoria  para treinar no violão (para a minha satisfaςão e orgulho!) o refrão de “Another brick in the Wall”, além de terminar todas as tarefas e ler o 2° capítulo do livro que lhe foi indicado na escola (lindinho!): Die kleine Eule – Jill tomlinson.

Na verdade, este livro  me inspirou a escrever hoje, pois me fez pensar bastante. Sua personagem principal  é uma pequena “Coruja-das-torres” (Schleiereule) que tem medo do escuro e se recusa terminantemente a sair a noite para caςar. Sua mãe muito preocupada com o comportamento avesso  de sua cria a aconselha a voar para o mundo para   conversar com outras pessoas sobre a Escuridão e ouvir outras opiniões para conhecer algo mais sobre o que seja escuridão. A pequena coruja seguindo o conselho de sua mãe, sai do seu ninho e vai averiguar outros pontos-de-vistas. No capítulo 1 do livro ela encontra-se com um menino que a informa que a Escuridão é emocionante, pois somente no escuro os fogos de artifício adquirem as cores e os efeitos espetaculares e ele gosta muito de fogos de artifício. Aqui Platsch (a pequena coruja) aprende muito sobre fogos artificiais e um dos encantamentos da Escuridão. Assim Plastsch reune  coragem e sai na outra noite, do seu ninho, para participar mesmo que a distância do espetáculo de fogos. No entanto Plastch não estava ainda disposto a apreciar a escuridão e sua mãe o aconselhou de novo à buscar outras opiniões sobre a escuridão. Plastsch encontra uma Senhora sentada no jardim e se atreve a perguntar-lhe sobre a sua relaςão com o escuro. A Senhora informa Plastsch que “a Escuridão é bondosa”, a qual além de esconder todas as suas rugas lhe proporciona a linda companhia das lembranςas. Ela afirma em sua conversa com Plastsch: “Na escuridão eu nunca me sinto só, pois tenho tanto a recordar…”

Ao acompanhar Vic em sua leitura eu pensei muito sobre a tremenda mensagem que já recebemos nos dois primeiros capítulos do livro. Eu mesma nunca havia percebido a escuridão como positiva, mas hoje estou também completamente convencida de que ela é: emocionante e bondosa!

Bem quanto aos outros capítulos não posso adiantar, mas talvez venha ainda a compartilhar com vocês outras facetas da escuridão.

Beijos e linda semana!