Artikel-Schlagworte: „Pesquisa“

A vida começa aos 50!

Freitag, 18. Juli 2014

"Alguns obstáculos em nossa vida, são apenas pedras que nós mesmos colocamos em nosso caminho". Irmgard Erath

Como as mulheres de 60 vivem atualmente:

Sociedade: Nas recentes décadas muitas coisas mudaram, e não apenas na moda. Porém, a igualdade entre homens e mulheres, continua sendo um processo não concluído.

Frankfurt: a chanceler Angela Merkel completou ontem 60 anos. A imagem das mulheres desta idade alterou-se radicalmente. No mesmo ano  de nascimento de Merkel – 1954 – comemoram também aniversário: a contora de Blues Bessie Smith e a danςarina Martha Graham. Atualmente, ao lado de Melkel artistas como Jutta Speidel ou Sabine Postel refletem a imagem atual das  Mulheres de 60 anos.

Cortes de cabelos práticos e modernos ao invés de penteados complicados e carreira ao invés de serviςos domésticos: „A imagem da mulher de 60 mudou completamente“, afirma Ulrike Mascher (75 anos):  Presidente das Associações Sociais VdK – Alemanha. As alteraςões comeςam na moda, afirma Ela. Se os kilos permitem, pode-se usar qualquer roupa. As mães provavelmente podem usar as roupas das filhas e vice-versa.

Antonio Weinitschke, representante da Associação de cabeleleiros afirma:  a mulher de 60 na atualidade, tem as mesmas características de uma mulher no ínício dos  40. O que mudou de forma tão significativa na vida de nós mulheres?

1- Moda: Mulheres com 60 anos, segundo a opinião de profissionais, podem usar todos os modelos. „Moda não tem mais idade“, afirma Nina Peter do Instituo Alemão de Moda. Jovens e Maduros, em termos de moda não se diferenciam mais tão drasticamente. Até mesmo no trabalho a forma padrão de se vestir foi superada (…). „Uma mulher adulta pode simplesmente combinar um Blazer com Jeans e sair para o escritório. Pode-se combinar tudo com tudo, atualmente“.

2-Cortes de cabelos: „A moda não tende mais a envelhecer como antigamente“, categoriza  Antonio Weinitschke.“ Os cortes conservadores dos anos 50 e 60 foram substituidos por cortes esportivos, simples e práticos. „A maioria das mulheres de 60 pintam seus cabelos. Os brancos são para pessoas com características muito especiais ou clássicas avós. Não precisa-se necessariamente de um corte super curto, deve-se observar qual o corte que se harmoniza com  cabeςa e corpo. Existem também mulheres de 60 com lindos cabelos na altura dos ombros.

3-Expectativa de vida: Mulheres de 60 anos, têm segundo as estatísticas, em média ainda 25 anos de vida a sua frente.(…). A expetativa de vida para as meninas que estão nascendo ainda será, claramente, mais elástica. Elas terão ainda provavelmente, segundo as pesquisas, outros 11 anos de vida, quando se compara a expectativa de vida das meninas nascidas no comeςo da década de 50.

4-Casamento e divórcio: Mais que 1/3 dos casais se separam – a maioria em funςão da iniciativa feminina. Até meados dos anos 70, na Alemanha, a culpa por separações era atribuida aos príncipes. Consequência: „Mulheres, na Alemanha Ocidental, por questões financeiras, não podiam se separar“ – afirma a socióloga Corinna Onnen. E complementa: „Quando se pretendia casar, as moças eram enviadas para uma escola de noivas (Brautschule), com o objetivo de se evitar qualquer erro na relação. A imagem da dona de casa satisfeita e feliz  deveria se sobressair em contraposiςão à submissão imposta através do domínio masculino. Na Alemanha Oriental a emancipaςão feminina foi um fator muito importante para o sucesso econômico da região leste do país.“

5-Posiςões de chefia: Uma posiςão de ponta? Para as mulheres, há 60 anos?  Impossível!

Até a regulamentação de novas leis conjugais e direitos de família nos anos 70, o marido poderia obrigar que sua esposa  se despedisse do seu trabalho, mesmo contra a sua vontade. Atualmente 110.000 dos 3,2 milhões da forςa de trabalho feminina que tem entre 55 a 64 anos, encontram-se em posições de chefia (Estatísticas do Governo Federal – Alemanha). Em 1993: 65.100 entre 1,2 milhões.

6. Família: No país, os cuidados com os idosos e doentes seriam, sem a mão de obra femina, catastróficos – reflete Ulrike Macher  (Vdk -presidente).  „A família ainda é a maior responsável pelo acompanhamento e cuidado com as pessoas de idade e doentes. E a dedicaςão é praticamente despendida por esposas, filhas ou noras e principalmente por Mulheres que têm em torno de 60 anos de vida. Muitas vezes também Elas ajudam seus filhos na educação e cuidados dos próprios filhos (…)“.

7.Emprego e Família: Apesar de todo o esforςo e avanςo na conciliaςão entre emprego e família, a socióloga Corinna Onnen afirma: „Quem se sente responsável pelos trabalhos domésticos? Poucos homens, ainda, se encontram neste barco. Enquanto as Mulheres conseguirem, sozinhas, desempenharem todos os papéis poderão dedicar-se à uma carreira. Quando Elas se deparam com suas próprias limitações então há dificuldades, e os problemas surgem.

Esclarece ainda  a socióloga: „O desejo da Mulher jovem em ser independente financeiramente e ao mesmo tempo ser mãe representa um grande desafio para os próximos 60 anos.“

Traduςão da matéria de Ira Schaible para o  Rhein-Hunsrück-Zeitung de 17.07.2014

Beijos, com esperanςa!

Lindo fim de semana para você, Menino ou Menina, que fez a gentileza de me visitar!

Share This:

Typisch…

Donnerstag, 26. Mai 2011

"... mas tanto faz... já me esqueci de te esquecer porque..."

„Típico macho“ – balancando a cabeca negativamente, pensei ontem a noite antes de ir para a cama – caindo de sono e muito contrariada, pois Jörg ao organizar  a sua mala para uma viagem de trabalho percebeu que entre todas as camisas brancas que estavam já penduradas no guarda-roupa, ele gostaria especialmente de uma que estava sem passar. Eu o informei que esta semana já havia passado umas 7 camisas e que ele teria outras possibilidades, mas ele estava convicto de que precisava justamente „daquela“ que nao se encontrava entre as outras prontas para serem usadas. Eu encerrei a conversa dizendo que passaria hoje pela manha „aquela camisa“ – eu nao tinha energia para tratar do assunto.

Hoje, em torno das 6 eu estava passando „a camisa“ e ao mesmo tempo preparando o café da manha para toda a família que ainda dormia feito „anjo“. Agora estou sozinha. Meus anjos foram para as suas respectivas ocupacoes, cada qual satisfeito com o que vestia – para a minha sorte e alívio! Algumas vezes a questao „roupa“ pega um pouco aqui em casa, pois minhas princesas também já estao super seletivas na questao moda. Victoria gosta de pura discontracao e conforto, já Laura se preocupa em estar „moderna“, „cool“ – é capaz de se sentir desconfortável em nome da elegância. Algumas vezes me divirto com os conflitos internos dos três, aliás de nós quatro – a diferenca é que eu reclamo só com o espelho.

Vindo a calhar com os meus sentimentos „feministas“ de revolta  contra o posicionamento  natural da representacao masculina que tenho aqui, acabei de ler um pequeno artigo no jornal de hoje com referência à uma pesquisa realizada entre 5600 homens – a qual vou traduzir abaixo:

Típico homem:  preferível futebol à Supermodelo

Amsterdam: Homens e Futebol! Segundo uma pesquisa a maioria dos homens abdicariam de um encontro com uma supermodelo em funcao da vitória do seu time preferido de futebol em uma final de campeonato. Ainda um número maior trocararia a despedida de solteiro de um amigo pela vitória de seu time. Entre os 5600 entrevistados, distribuídos em 12 países – 52% dos homens afirmaram que um encontro com a supermodelo brasileira Adriana Lima é menos importante que uma vitória de seu time na liga dos campeoes. 37% esclareceram que sem qualquer hesitacao optariam pelo seu time. Outros 58% deixariam de encontrar suas esposas e namoradas em funcao do sucesso de seu time preferido de futebol.

Duvidas?

Beijos, sem hesitacao.

Informacoes e números traduzidos de um dos artigos que compuseram o caderno Welt & Wissen, Rhein-Hunsrück-Zeitung, n° 120.

Share This:

Um bom motivo

Sonntag, 6. Februar 2011

para ir para a cama…

"Amanha será um lindo dia..."

Eu me refiro  apenas à  um estudo realizado na universidade de Lübeck sobre o sono e a capacidade de aprendizagem. E a boa notícia é que comprovadamente aprendemos sim, enquanto dormimos. Os pesquisadores afirmaram, após a análise dos resultados, que o cerébro armazena, enquanto dormimos e por um tempo mais longo  justamente àquelas  informacoes que nos serao muito importantes no futuro. O pesquisador do sono Jan Born nos esclareceu como transcorre o processo:

  • Conhecimentos prioritários sao marcadas, durante o dia, na parte frontal do cerébro e na fase profunda do sono sao memorizadas no meio do cérebro.

Como transcorreu esta pequisa:

  • 191 voluntários tiveram que decorar 40 palavras  e quadros com  imagens de animais e objetos impressionistas.

Resultado:

  • Os participantes que antes dos questionamentos haviam dormido tiveram resultados muito melhores que àqueles que nao dormiram. Os resultados mais positivos ainda foram obtidos pelo grupo que além de terem tido uma boa noite de sono foram informados antes  que seriam testados.

Ao ler o resultado desta pesquisa que foi publicada na última semana no jornal regional, me senti muito aliviada pois dormir é uma das minhas atividades preferidas e sempre aconselho minhas filhas a dormirem para „crescerem e aprenderem“ – algo que sempre ouvia da minha própria mae e que ficou registrado no meu cérebro, provavelmente enquanto dormia.

Sei que ainda nao é hora de ir para a cama, mas vou desejando a vocês uma noite muito produtiva de sono e lindos sonhos!

Beijos.

Share This:

Otimismo no ar

Dienstag, 28. Dezember 2010

Minas - linda! Até mais!

„Nós seremos um povo de otimistas“ : este é um dos títulos estampados entre as reportagens de capa do jornal Rhein-Hunsrück  de hoje. Eu me surpreendi um pouco com este título. Curiosa e cética, enquanto tomava a minha primera xícara de café li muito rápido o texto e confesso que ler algo assim é muito mais agradável e confortável a notícias que geram preocupacao, tristeza e revolta – as quais sao mais frequentes nos noticiários do que gostaríamos.

Esta notícia, em especial, refere-se ao otimismo demonstrado pelos alemaes – que sao, penso eu por questoes históricas e culturais bastante pessimistas – em relacao ao próximo ano. Segundo o pesquisador Horst Opaschowiski, a esperanca e o otimismo sao os sentimentos que dominam grande parte dos cidadaos nesta passagem de ano. Para uma atmosfera de crise  e medo do futuro, 2011 nao possui mais espaco (Hamburger Stiftung Zukunsfsfragen). Com o impulso crescente da economia e a queda da taxa de desemprego, o pavor da crise que atingiu o país em 2009/2010,   chega ao fim.“ Os consumidores, ao responderem as perguntas referentes à esta pesquisa, demonstraram estarem dispostos a abandonarem a ânsia de economizar pelo medo das difuldades que sao inerentes a uma crise econômica, estando abertos a possibilidade de investirem no próprio bem estar  como passeios e aparatos, mas principalmente em viagens de férias. „Após os tempos de crise, os alemaes estao mais  dispostos à   priorizarem o que realmente é importante e necessário para tornar, de forma  duradoura, a vida mais linda. Destaca-se também a importancia de um certo equilíbrio entre o sentimento  de bem estar (sem remorso) ao proporcionar-se certo conforto e também de se contribuir para um mundo melhor“ – afirmou o pesquisador ao  comentar o resultado desta pesquisa.

Entre os entrevistados, em diferentes estados na Alemanha, 81% estao otimistas quanto ao futuro. A crise financeira deixou também marcas positivas: aprendeu-se com ela a elaborar-se com mais frequência a pergunta: para que? Sendo necessária uma resposta convincente  para a mesma. Esta sensibilizacao  implica mais consciência da necessidade de se buscar motivos e valores ao se consumir, visando: qualidade de vida, saúde, felicidade, bem estar social.(…)

Os alemaes mais otimistas, segundo esta pesquisa, vivem em Hessen. No nosso estado – Renânia Palatinado – 42% dos entrevistados têm perspectivas otimistas para o futuro.

Para o próximo ano e nos posteriores desejo, sinceramente, que vocês também tenham perspectivas muito positivas! Eu, depois de 10 anos vivendo aqui, me sinto pela primeira vez  otimista em relacao ao futuro.

Beijos.

Números e informacoes básicas traduzidas a partir do texto „Wir werden ein Volk der Optimisten“, edicao n° 301, Rhein-Hunsrück-Zeitung.

Share This:

Valores…

Donnerstag, 9. Dezember 2010

Veracidade, simplicidade, beleza rara.

Hoje o dia foi pesado de atividades e literalmente pesado de neve! Nossas vilas parecem de sonho, mergulhadas em branco. Me sinto como se estivesse numa história de príncipes e princesas do século XI. No entanto, as dificuldades em caminhar através da neve, tanto a pé, como de carro e o frio gelado que castiga a pele, me lembram que estamos apenas em pleno inverno rigoroso do século XXI. Penso que a natureza agradece e eu também por nao ter que ouvir os alarmes do „efeito estufa“. Agora, porém, nao pretendia realmente escrever sobre o tempo (um dos temas mais interessantes para os alemaes, seja para xingar ou elogiar!), mas sobre uma notícia que hoje estava em destaque no jornal „Rhein-Zeitung“. Muito boa, por sinal! Refere-se à escala de valores das criancas e jovens, segundo uma pesquisa realizada pela Unicef e a Revista infantil „Giolino“. A pesquisa foi realizada entre agosto e setembro deste ano entre 1500 criancas nas idades de 6 a 14 anos, cujo resultado tenho o prazer de transcrever abaixo:

1°- Amizade e família – sao os sublimes valores dos valores para as criancas na Alemanha;

2° – Seguranca e confianca – sao extremamente importantes na visao dos entrevistados;

3° – Respeito; justica, solidariedade, responsabilidade e educacao – sao também importantes sob a ótica dos pequenos;

  • Os entrevistados foram também questionados sobre a ausência da mae em funcao do trabalho:  elas reforcaram as dificuldades inerentes à questao, mas consideram importante a seguranca econômica que a família adquire quando ambos os pais têm emprego;

4° – Ao fim da lista destacam as criancas como sendo importantes: dinheiro, propriedades e ordem.

Nao é um bálsamo para o coracao e a alma o resultado desta pesquisa de opiniao?

Beijos.

Share This:

Etwas Lärm hilft beim denken

Dienstag, 19. Oktober 2010

Muita acao ao ar livre é também fundamental para a capacidade de concentracao.

Algo de barulho ajuda a pensar… uma afirmacao científica dos noruegueses que a primeira vista parece meio duvidosa. No entanto estudiosos observaram por longo tempo criancas, em uma sala de aula,  na Noruega e publicaram um trabalho, no qual afirmaram que absoluto silêncio nao significa necessariamente auxílio para a capacidade de concentracao. Surpreendemente eles concluíram que o total silêncio nao ajuda em nada as criancas a concentrarem-se, ao contrário, um pouco de barulho ajuda as criancas a aprenderem mais, por exemplo, algo como um rádio e uma música de fundo sao bastante eficazes para o processo de aprendizagem. Os cientistas explicam que provavelmente um pouco de ruído estimula o cerébro das criancas ao trabalho,  implusionando-as  à concentracao.

É muito interessante também o motivo que levou os cientistas à pesquisa: ajudar as criancas que dependem de medicamentos para poderem concentrar-se.

Eu, particularmente, posso afirmar que preciso também de um pouco de barulho para concentrar-me e acho maravilhoso quando tenho ao fundo uma boa música, mas quando tenho ao fundo o som da televisao, como agora, nao me incomodo muito também. Eu sei que é pedagogicamente incorreto, mas a televisao, com moderacao, é uma ótima babá e eu às vezes preciso bastante de uma babá.

Beijos.

Share This:

Inconformismo

Sonntag, 17. Oktober 2010

"... me diz porque o céu é azul, me explica a grande fúria do mundo..."

Uma palavra que tem em suas raízes diferentes significados. Agora é domingo a noite. Minhas filhas estao ocupadas com um programa de televisao que as diverte e meu marido concentrado na nossa declaracao de impostos, penso eu.

Eu estou muito feliz por poder escrever, já que amo as palavras. Hoje vou escrever algo tao pessoal como nunca. Estive lendo jornais, porém nehuma notícia sobre o que circula nas manchetes ou em outros cadernos me inspirou a escrever um post. Eu li bastante… sério! Lí notícias sobre o Haiti, sobre o islamismo, integracao, sobre o que e como  as criancas alemas brincavam antes da Guerra, as difuldades dos anos de guerra,  sobre depressao, sobre acontecimentos na regiao Hunsrück, sobre a atual economia alema, etc… etc. Eu nao fui capaz, no entanto, de abrir o meu lap top para escrever uma linha.

Mas agora preciso escrever sobre o inconformismo que sinto! Depois do nascimento do meu terceiro bebê busco preencher o vazio que o seu parto me produziu. Na tentativa de engravidar pela quarta vez, ou seja, escrever um segundo livro, o que representa para mim um desafio „quase sobrehumano“, busco as ferramentas mais competentes e a inspiracao das entranhas. Tenho que ser mulher o bastante para admitir que comecar a colocar no papel o meu segundo projeto é a uma questao de vida ou de conformidade…

O que chamo de conformidade é fazer o que sei que posso fazer, como hoje. Organizei muito bem o apartamento, fiz um ótimo almoco  para minha família. Cuidei das plantas, tirei objetos do jardim que nao sao resistentes o bastante para superar mais um inverno, costurei, relembrei pontos de crochê e no comeco da noite eu estava cansada por nao fazer nada…

Eu estava tentando me manter conformada, pensando no que eu tenho e tentando esquecer aquilo que eu nao tenho. Posso afirmar que nao quero muito, já sei que „muito“ quase sempre representa „nada“. Eu só gostaria muito  de entender a paz das estrelas, a imensidao do universo, o mistério da lua, o brilho do sol, o verde da grama, o colorido das flores, os sentimentos das pessoas, o significado da palavra paz. Talvez eu esteja querendo demais… ou nao?

Beijos.

Share This:

Egoisten sterben aus – egoístas em extinςão

Freitag, 1. Oktober 2010

Confiabilidade, responsabilidade, fidelidade - em alta.

Egoístas estao em fase de extinςão… este foi o texto de primeira página que „puxou“ muito rápido os meus olhos para a leitura do jornal, enquanto eu terminava de acordar ao tomar uma deliciosa xícara de café.

Eu nao pude acreditar nas palavras que formavam o título daquela publicacao e pensei em tratar-se de alguma piada para animar o nosso dia. De qualquer forma achei de bom gosto e fui tratando rapidinho de ler as informacoes que continham naquele pequeno texto, o qual tratava-se do resultado de uma pesquisa realizada em Hamburg pelo pesquisador do futuro (Zukunfsforscher) – Prof. Horst Opaschowski. Segundo a pesquisa desenvolvida por ele, desde o ataque terrorista de 11 de setembro 2001 „a cultura do prazer“ passou a tomar novos rumos.

As experiências acumuladas com as crises alteraram as expectativas e valores das pessoas na Alemanha – „das Ich braucht das Wir“ – o Eu precisa do Nós. A partir desta fórmula concebe-se uma nova linha de acao para a vida. A saudade de seguranca, lar, aconchego/aceitacao  social e calor humano aumenta. As pessoas tentam manter-se próximas umas das outras. Matrimônio, criancas e família sao de novo „in“.

O ideal de vida dos anos 80 e 90 – a explosao de experiências – torna-se cada vez mais questionável. As pessoas  valorizam cada vez  os princípios:

  • Confiabilidade;
  • Responsabilidade;
  • Fidelidade.

É interessante também ressaltar o que vêm impulsionando as pessoas a repensarem os seus valores: o medo de um futuro povoado e atormentado por crises de  inseguranca coletiva.

Considero compreensível e bem interessante o resultado deste trabalho. Me ajudou a entender um pouco mais o contexto no qual vivo e sobretudo a ter um pouco mais de esperanca num futuro próximo.

Beijos.

O conteúdo básico e o resultado desta pesquisa foi traduzido por Neusa Arnold-Cortez a partir do texto publicado pelo jornal Rhein-Zeitung em  01.10.2010

Share This:

„Solidão faz tanto mal quanto fumar“

Mittwoch, 28. Juli 2010

"... É impossível ser feliz sozinho..."

Esta é a traduςão literal para o título de um artigo do jornal Rhein-Hunsrück-Zeitung que eu li hoje pela manhã, com muita curiosidade.  Penso eu que todos sabemos que um pouco de solidão faz bem. Ter um tempinho conosco mesmos para encararmos  de frente os nossos problemas, nos depararmos cruamente com as nossas frustrações e experimentar, vivenciar até a exaustão os próprios sentimentos, sem dúvida nos faz muito bem. Estes momentos são muito difícies, doloridos mesmo! No entanto se não paramos para nos entendermos e nos“reorganizamos“ internamente não teremos condições de estabelecermos metas positivas para o nosso crescimento pessoal e aquisição de  sucesso na nossa busca de harmonia  conosco mesmos,  com as pessoas, com o universo e com o criador, afinal a felicidade emana de dentro para fora e sabemos que o exterior pode nos propiciar somente momentos muito curtos de satisfação… a verdadeira paz se encontra e se cultiva internamente.

Mas todos  nós sabemos também que muita solidao faz sim muito mal! E o que sabíamos empiricamente foi compravado de forma científica nos Estados Unidos, cidade de Utah  (Brigham Young University). Alí foram analisadas informacoes sobre 300.000 pessoas e o resultado foi o seguinte: pessoas com um bom círculo de amigos e conhecidos têm 50% mais chances de vida longa e saudável, àquelas que tem pouco contato social. O efeito negativo da solidao se compara ao dos fumantes e obesos.

Assim está comprovado que a rede social interfere diretamente no cuidado da própria saúde física e psicológica, a qual pode sofrer distúrbios também por stress e depressao. Algumas pesquisas mostraram também que os contatos tornam o nosso sistema imunológico mais forte, ou seja a nossa qualidade de vida está ligada diretamente ao aprimoramento dos nossos  contatos sociais, que ao meu ver têm que ser necessariamente positivos…

Beijos e um lindo  dia para vocês!

Share This: