Artikel-Schlagworte: „Pessoal“

Sobre o peso da negatividade…

Freitag, 16. März 2018

„… Damit wir uns in diesem Chaos zurecht finden und die Aufgaben des Alltags bewältigen zu konnen brauchen wir die Fähigkeit Unwichtiges auszublenden und unsere Aufmerksamkeit gezielt auf die wichtigen Dinge zu lenken…“

„… Para que possamos nos encontrar ao meio deste caos e poder realizar todas as nossas tarefas diárias, precisamos ter a capacidade de ignorar banalidades e direcionar nossa atenção de forma objetiva no que realmente é importante…“

Não sei onde li este pensamento, nem quem escreveu. Tenho a mania desde sempre de anotar em qualquer papel que encontro a  minha frente o que leio e bate com meu estado de espiríto daquele momento. Não sei também a quanto tempo tenho estas linhas registradas em um caderno usado. O fato é que ontem encontrei este registro e ele de novo me fez pensar sobre a minha ansiedade dos últimos tempos. Tentei analisar a minha ansiedade e angústia (infundadas)  das últimas semanas. Sou uma daquelas criaturas que na verdade não devem se dar ao direito de reclamar de nada. Sou feliz e agradecida ao universo por estar saudável, ter me redescoberto profissionalmente depois de uma longa pausa por poder vivenciar os primeiros anos de minhas filhas com toda a intensidade possível e atualmente não preciso de mais nada. Me perguntava então porque o desânimo, porque a leve sensação de insatisfação e angústia que têm acompanhado. Não encontrei outra resposta senão o peso que a negatividade de uma pessoa mal resolvida  (no ciclo de trabalho) influencia meu estado de alma e faz com que eu me sinta cansada e desanimada. Me pergunto se individuos deste genêro são justos consigo mesmos e com as pessoas ao seu redor: Lançar a própria amargura e frustração sobre quem estiver por perto! Com certeza todos nós já passamos por situações semelhante e infelizmente não estaremos livres delas num futuro próximo ou distante, dai esta necessidade da capacidade e ignorar/ congelar energia negativa. Meu questionamento ainda se refere ao „como“. Embora já tenha lido muito a respeito e tentar aplicar alguns métodos „zens“, ainda me deparo com o problema. Alguém conhece realmente um método eficaz?

 

Beijos e muita energia positiva para você,

que me lê!

Share This:

„Pedra no sapato“

Sonntag, 14. Januar 2018

Sim, vivenciamos a todo vapor o ano novo. Desculpem-me se não escrevi nenhuma mensagem de natal ou de desejos de feliz ano aqui ou em qualquer rede social. Estive muito ocupada com as pessoas que estão por perto de mim e que não tem acesso à redes socias ou nem sequer conhecem o significado do termo „mídia“, a

vector illustration of green clover picture

qual comparo com cada vez mais frequência à um balão vazio rodopiando por ai, sem rumo, nem eira  e nem beira. Algumas vezes busco, nas horas de descanso,  mensagens com substância e nem sempre encontro. O vazio da aparência me sufoca. Ando nestes últimos tempos  me redescobrindo como eu mesma. Me sinto quase que nua perante algumas análises de mim mesma, do mundo que me cerca e do mundo de forma generalizada. Me percebo muitas vezes como uma „pedra no sapato“ das pessoas com as quais convivo, o que me trás muitas vezes a pura sensação de desconforto. Eu gostaria de simplesmente estar representando o meu papel de „pessoa“ neste mundo, com todas as suas habilidades, marcas, sucessos, insucessos e incapacidades, mas o dia-a-dia me atrai para profundas reflexōes sobre o destino de pessoas marcadas de solidão e incompreensão. Uma luta se trava dentro de mim sobre como não sair da minha própria zona de conforto e comprar brigas que não são as minhas.  Acabo me envolvendo nestas batalhas, nas quais nem sempre saio ganhando. No entanto me sinto feliz ao perceber que sou capaz de abalar algumas estruturas e  a noite colocar a cabeça no travesseiro e dormir. A paz na consciência não tem preço. Simplesmente estar de bem conosco mesmos significa qualidade de vida.

Sim, é ano novo! Sim, são novos e velhos desafios! O teatro político, econômico e social invade nossas vidas através dos meios de comunicação, mas no fundo o que conta mesmo são nossas batalhas pessoais e cotidianas. Desejo para você, de coração, muita força, saúde e persistência para a luta diária. Persiga seus sonhos, insista em suas qualidades e não desista jamais de suas verdades mesmo que se sinta muitas vezes uma pedra no sapato das pessoas. Independente de anos novos ou velhos persista em suas positivas convicções de sociedade, de mundo. Vale a pena!

Beijos!

Uma semana espetacular!

Share This:

De Mulher para Mulher!

Montag, 6. November 2017

Realmente um guia prático para a auto-realização. Vale a pena ler!

São tantos os desafios, lembranças, inspirações e impulsos internos e externos que com certeza este post será absurdamente confuso. Ainda tenho as sensações da Sicilia no meu corpo, depois dos dias lindos de sol vivenciados na ilha italiana. Uma nova etapa em minha vida profissional se inicia no próximo mês, o que me causa uma mistura de alegria e tristeza ao mesmo tempo. A perda para o universo de um ente muito querido  e por último as palavras e mensagens certeiras de uma grande mulher, mãe, profissional, escritora e amiga:  Sandra Santos – em (Re) descobrindo quem é você – rodopiando na cabeça.

Sim, com certeza nós mulheres somos malucas, sonhadoras e muito batalhadoras. Exigimos de nós mesmas muito mais do que deveríamos. Esquecemos rápido do que tão arduarmente conquistamos e vamos nos  dividindo em tantos pedaços para auxiliar as pessoas que amamos ou/e então àquelas que precisam de nossa ajuda para dar o próximo passo na direção da vida. Contudo, na próxima manhã, nos aprontamos para os novos dasafios que nos aguardam na vida profissional/ pessoal, paralelemente nos martirizamos por nossas falhas das horas anteriores e buscamos incansavelmente „dar o melhor de nós mesmas“. O fato é que nesta árdua tarefa, nos esquecemos de exigir algo daqueles que nos rodeam.

Se vocês me pemitem um conselho: não se esquecem de si mesmas! Este é o meu atual desafio! Ser feliz comigo mesma e minhas realizações, não me sentir „usada“ e ao mesmo tempo contribuir para dias melhores para todas as pessoas que participam, direta ou indiretamente do meu dia-a-dia.

Com certeza é muito difícil driblar esta nossa capacidade „Multitasking“, a qual Sandra cita também em seu livro, mas  penso eu  que  com uma certa dose de humor …  e algo mais … sim, é possível!

Para você saber mais sobre  a Sandra e sua trajetória profissional, bem como seus projetos literários acesse o Seite da Autora o qual é também muito interessante e cheio de dicas práticas para quem saiu do Brasil para se aventurar em terras germânicas.

 

Beijo!

Linda semana!

 

 

 

Share This:

Outono, despedidas, incertezas…

Donnerstag, 28. September 2017

“ O ser humano tem três formas de agir com sabedoria: a primeira através da reflexão, esta é a mais nobre. A segunda através da imitação, esta é a mais fácil e a terceira através da experiência – esta é a mais amarga“.

Este com certeza é um ditado chinês que combina perfeitamente com o meu estado de espírito atual, principalmente a terceira alternativa, assim como a estação do ano que nos alcança no hemisfério norte. A nostalgia do outono misturada com a neblina diária e as cores das folhas que se despedem de uma fase da vida – caem bem com o meu estado de espiríto nas recentes semanas. Depois da euforia da formatura e a ansiedade por causa dos novos desafios, minha nova rotina de vida começou de uma forma inesperadamente positiva, mas como tudo que é bom dura pouco, outras semanas de muita provação me envolveram de tal forma que  me sinto doente de corpo e alma. Ontem estive pensando o que fazer para chacoalhar/ eliminar a poeira sinistra que se infiltra nos meus poros, espantar o desânimo físico e espiritual. Planejei e até fiquei feliz com a possibilidade de ir prá minha Zumba sessão-terapia, mas estava tão cansada que me joguei no sofá, peguei o livro de auto-ajuda (10 Gebote für gelassene Frauen/ 10 mandamentos para mulheres descontraídas) para ler… Em dez minutos não conseguia mais me concentrar, embora o livro seja muito interessante. Hoje, depois de uma noite mal dormida, resolvi tentar colocar em palavras a frustração do lado avesso. Penso muitas vezes em como é fácil escrever sobre vitórias e alegrias e como é complicado expor as fragilidades, mostrar as feridas e cicatrizes. Me sinto também intimidada por „chorar de barriga cheia“. Caramba o mundo está cheio de pessoas que batalham tanto por oportunidades, outras que buscam diariamente a sobrevivência. Como acho triste a ruminação por problemas tão pequenos quando comparados às catastrofes naturais, sócio-econômicas e políticas que se abatem sobre o nosso planeta ♥

Pronto já me sinto melhor!

Beijos e

tudo de bom!

Share This:

Muito além de entraves…

Donnerstag, 29. Juni 2017

Sabe aquela fase em que você sente que a maré está a seu favor? Pois é, hoje me sinto assim! E pensei o porque não deveria escrever aqui que estou contente por estar me sentindo ao menos „agora“ realizada e em paz comigo mesma. Me sinto num daqueles raros momentos que não estou „nem aí“ para o que pensam ou falam de mim… Me permito curtir ao extremo, mesmo que seja apenas comigo mesma, minha libertação do banco da escola. Yes! Tenho meu diploma alemão! Quase no segundo século de vida, lá estava eu de novo numa escola, cercada de colegas de todas as idades e que não falam o meu idioma, senão o alemão ou russo. Contudo,  eu estava cheia de expectativa e motivação para encarar três anos de uma outra qualificação profissional e o que mais me animava é que o tempo na prática era bem maior que o tempo teórico. Confesso que me iludi pensando que não seria tão pesado quanto ouvi, ao informar algumas pessoas que havia me decidido, por vários motivos, fazer um curso profissionalizante de três anos – para trabalhar com pessoas deficientes física e psiquicamente. Muitas pessoas se assustaram com a minha disposição para encarar uma longa e diária maratona de trabalho, provas, projetos e a dificuldade de conciliar tudo com as tarefas de mãe e dona-de-casa.  Como se sabe, na  Alemanha não se tem o luxo de uma ajudante doméstica, como no Brasil. Aqui a gente tem que se virar mesmo e fazer tudo sozinha. Quando eu me encontrava disposta, dividia as tarefas domésticas com Laura e Vici, mas quando eu já estava saturada de „encheção de saco“ descarregava meu cansaço cognitivo e frutraçōes na vassoura, no rodo, no aspirador de pó e panelas… Vocês sabem da dificuldade para se envolver adolescentes nas nossas preocupações com a limpeza e organização da casa! Mas ficar reclamando nunca foi meu „slogan de vida“ e procurei na medida do possível, dia-a-dia, superar os desafios da minha própria opção e estou muito aliviada de ter conseguido terminar, até que com bastante sucesso (considerando minha idade e problemas com a língua) minha escola de formação profissional alemã e me sinto feliz por estar exercendo de coração uma profissão (Heilerziehungspflegerin ) reconhecida neste país, do qual  dificilmente vou me afastar. Logicamente para mim me sentir de novo absolutamente integrada no mundo do trabalho é uma satisfação muito grande, mas o que me levou a escrever este post foi a necessidade de motivar outras pessoas a recomeçarem, quando sentirem esta necessidade. Não se deixem abater pelas dificuldades, afinal a sensação de realização é muito boa e dar um „pé na bunda“ da frustração é melhor ainda!

Beijos ♥

 

Share This:

Nada de promessas…

Montag, 26. Dezember 2016

Nem prá este natal, nem pro ano novo!Me sinto absurdamente cansada de promessas para mim mesma… „I promised  may self „- me lembrei da música linda,  me tocou tanto! Um dia perguntei para minha amiga de décadas (Lurdinha), que também curtia a música e sempre foi mais competente em línguas estrangeiras que eu – o significado de „I promised may self“.  Fato é que nunca mais esqueci as „promessas para mim mesma“ e muitas vezes me sinto realmente injuriada de promessas. Assim… Não quero estar me desculpando por um post atrasado de natal e nem os recados atrasados de feliz natal que estive postando hoje… claro que para amenizar um pouco a culpa, estive explicando que na Alemanha hoje ainda é natal… Sim, o segundo dia de natal. Sem dúvida uma excentricidade alemã – como se pode pensar em dois dias de natal? Demorei bastante para me adaptar e me organizar para três dias especiais de festa, mas atualmente acho prático, pois se em  um ou dois dias tem que se trabalhar, no terceiro pode-se relaxar e aos poucos aprendi a não me contaminar pelo stress e correria que antecedem os dias de festas. Não me importa a correria das pessoas , ou os estacionamentos lotados de carros e muito menos listas de presentes e compras. Tudo fica muito mais simples e intenso quando priorizamos o que realmente é importante para as pessoas que estimamos, incluindo a nós mesmos. Resolvi que  faria neste período tão especial do ano  apenas o que fosse  essencial e posso afirmar que o mundo não veio abaixo… tudo está ok! As preocupações prevalecem, mas hoje resolvi que tudo fica adiado para outros dias, hoje foi o meu dia livre e decidi que não faço nenhuma promessa para o próximo ano.

Os dias me esperam para pequenas e grandes realizações… saúde é o que interessa, o resto não tem pressa!

Beijos e

tudo de bom!

Share This:

De Mulher para Mulher

Samstag, 10. Dezember 2016

Até porque penso que nenhum homem deste planeta possa realmente entender o universo feminino: Um complexo desgraçado ou engraçado (como se queira interpretar) de sentimentos, medos, procupações, alegrias, amores e neuras. Logicamente não se pode generalizar, mas assim me percebo, me sinto e assim percebo muitas das minhas relações do sexo feminino. O universo masculino há muito tempo procuro sim compreender, desde os tempos de infância, quando meu meu pai me parecia mais um muro do que que uma pessoa. Assim, falando enquanto mulher para mulheres percebo uma tênue possibilidade de ser entendida, se é que alguém pode ou quer ler este post, afinal o  mundo virtual é outra complexidade entre pessoas, prioridades e sentimentos.

Antes que eu me perca pensei em escrever sobre a idade, as rugas, a deformação corporal, psicológica, espiritual… os tormentos de uma mulher que ultrapassou o 1/2 século de vida. Não sei se é o caso da maioria, mas sei que este é o meu caso… Sim, passei dos 50, nem eu mesma acredito! Mas este é o fato! Procuro entender os preconceitos, as posições das pessoas que estão próximas a mim nesta fase da minha vida. Se estivesse muito preocupada com a opinião delas, estaria muitas vezes deprimida. É óbvia a linha de divisão entre jovens e não-jovens ou jovens e velhos? Algumas vezes me sinto assim… quando me defronto com o comportamento dos meus (alguns) colegas de escola ou vida de forma geral.

Por que escola? Claro, na busca de perspectivas concretas de trabalho, aposentadoria, seguro de saúde num país que não é o meu, me vi forçada a voltar para os bancos de escola, a qual estou prestes a finalizar (Graças a Deus!). Como eu poderia definir esta opção? Complicada, mas necessária! Quais entraves? O idioma,  a idade, o saco! Claro… nada acontece por acaso… estamos nesta vida para aprender…sempre, em qualquer lugar, em qualquer cultura. Conselho? Há alguém que precisa? Há alguém que gostaria de um? Há alguma mulher que necessita urgentemente de se sentir de novo uma pessoa? Há alguma mulher que gostaria imensamente de novo se encontrar? Encare seus problemas nus e crus, arregasse as mangas e vai fazer o que você tem que fazer? As lágrimas? Você pode secar! Os medos? Você pode superar… se você quiser… Se você nao puder? Procure ajuda!

 

Beijos e lindo fim de semana!

 

Share This:

Entre Anjos!

Donnerstag, 25. Dezember 2014

Me sinto quase que  insuportavelmente  feliz num natal tão confortável e quente apesar da temperatura baixa lá fora. Penso no privilégio da saúde física, mental, espiritual, familiar – além do aconchego material que uma casa quente nos proporciona. Sim,  hoje é o dia máximo da esperança, por isso celebramos o nascimento de Cristo, o sinal evidente de esperança. Como eu gostaria de pensar que este sentimento maravilhoso pudesse invadir todas as almas ao menos por alguns minutos!

Me sinto hoje muito bem com a sensação do corpo ligeiramente fragilizado pelo corre-corre do dia a dia e a alma em paz por lutas (internas e externas) bem travadas. Algumas derrotas, mas vitórias imprescindíveis.

Sim meus queridos (as) hoje é um dia muito especial, mas os próximos também! Desejo de coração para cada um de vocês muita força para todas as batalhas que serão travadas depois desta breve pausa natalina. Que vocês, assim como eu, literalmente, permaneçam entre alguns Anjos.

Beijos e muita p a z!

Ps Esta história de anjos conto numa próxima!

Share This:

Para Mamães, Vovós e aspirantes…

Sonntag, 11. Mai 2014
Maes nao podem estar sempre salvando o Mundo. Elas precisam também cozinhar!"

Mães não podem estar sempre salvando o Mundo. Elas precisam também, (ainda), cozinhar!

Share This:

Perpectivas 50 – + x : …

Sonntag, 27. April 2014

Amanhã voltamos para a nossa habitual rotina, afinal as férias de páscoa se foram. A empolgação de

Sim. A decepção tem sabor cítrico.

antes  das férias misturada com a alegria de encontrar pessoas amigas e queridas por acasião do meu aniversário e nossa viagem para o norte, se choca hoje, num fim melancólico de um domingo, com um misto de desânimo e indagações sobre novas perspectivas.

Pensando sobre este lindo termo: „Perpectivas 50 +“, o qual se ouve por aqui (não sei se no Brasil e outros países também) para motivar as pessoas, digamos, mais „maduras“, „experientes“ a darem um novo impulso em suas vidas, resolvi compartilhar um pouco do que tenho vivenciado desde que resolvi (apesar de, ainda, não ter  chegado aos 50!!!) finalmente correr atrás de um diploma alemão, na busca das „perspectivas +“, além do que minhas filhas estão bem independentes, me restando certo tempo para novos desafios.

Esta maratona comeςou  em outubro do ano passado, quando uma senhora muito agradável que trabalha para a AWO me aconselhou a solicitar a avaliação da minha formação acadêmica brasileira. Para isto Ela me apresentou a Anabin e me ajudou, calmamente, a entender o processo burocrático para a futura odisséia da reunião de documentos, traduções oficiais, cópias autenticadas, envio para o departamento oficial em Trier, e a espera interminável por uma avaliação positiva, construtiva, estimulante! Contudo, eu não estava lá muito otimista e estava segura de que este documento me serviria basicamente  para conquistar uma vaga na escola para o meu próximo curso profissionalizante, com a intenção de obter o meu diploma alemão e então ter mais chances de voltar com todo o gás para o mercado de trabalho e obter uma certa independência financeira, além de poder acumular outros créditos para uma aposentadoria tranquila, talvez no sul da Espanha, Itália ou Portugal (sonhar não custa nada!)

Sim, a avaliação oficial dos burocratas me abriu diretamente perspectivas para o banco da escola, porém como não tenho tempo a perder, optei não por uma Uni, mas sim por um sistema dual de formação mais rápida e principalmente porque já está diretamente ligado com a prática. Achei o máximo, fascinante mesmo o sistema alemão:

  • Dois dias de escola
  • Três dias de trabalho,
  • Total=39 horas semanais.

Veja bem,  sem perca de tempo, ideal! Estudar, aplicar a teoria e, fantasticamente, tendo uma recompensa financeira satisfatória pelas horas de prática!

Mas, logicamente, quando algo parece bom demais é melhor ir desconfiando! Desde fevereiro estou procurando esta escola ou instituição que me ofereça a chance de executar a parte prática do meu curso. Fui orientada a me inscrever – e logicamente enviar, registrada formalmente em palavras escritas (curriculum vitae),  toda a minha vida para várias instituições.

A princípio estava muito animada e vibrei de alegria pelos convites de entrevistas. Depois fiquei muito feliz por conhecer meus prováveis futuros clientes e também os colegas de trabalho. No entanto, infelizmente, até hoje, não tenho o meu „Ausbildungsplatz“/local de formação prática. Conclui este fim de semana que a concorrência é acirrada. Me assustei quando me comparei com   jovens, dinâmicos, católicos, talentosos e alemães que estavam também em busca das mesmas intituições que eu e me considerei um pouco ousada.

Estive já decepcionada, triste, cabisbaixa, mas prefiro pensar que a vida sempre nos reserva o melhor e que outras janelas se abrirão. Por isso vou reunindo motivação para pensar em perspectivas + ou  x. Quanto asou : estou tentando ignorar.

Beijos e linda semana para você!

Não se intimide em me escrever para decifrar qualquer dúvida sobre o reconhecimento de diplomas na Alemanha ou outras pequenas burocracias mais. Estamos aqui para compartilhar experiências.

Share This: