Posts Tagged ‘Relacionamento’

Aventuras (mil) em abril

Sexta-feira, Abril 19th, 2013

"Liebe ist alles, was wir brauchen..." "Amor é tudo que nós precisamos..."

Não posso realmente me expressar através das palavras as últimas emoções que vivi nestas semanas… um misto de altos e baixos numa velocidade quase que estonteante!  Lógico que posso estar sendo um pouco exagerada, porém  vivendo num país de extremos é normal que se contagie um pouco (!?). Sim a Alemanha é um país de extremos e quem não se encaixa neste carrocel de alegria estupenda, tristeza profunda, stress diário, amor pelos detalhes e tradiςão – corre o risco de permanecer a margem do mundo alemão e ter uma vida paralela numa sociedade multiculti, exigente, mas solidária.

Quanto a mim depois dos meus doze anos plantada neste país posso afirmar que o aprendizado e os desafios são constantes. Não há qualquer possibilidade onde deixo de tirar uma lição de vida. Naturalmente minha motivação para ter buscado sempre a interação com a cultura e os extremos alemães provém da minha família – principalmente das minhas filhas. E considerando esta interação havia resolvido há tempos que minhas filhas seriam batizadas na igreja católica, sinceramente não por ser extremamente católica, senão por ter nascido numa família católica e por não perceber qualquer diferenςa em estruturas superficiais, prefiro (tentar) cultivar a solidariedade entre todos os seres animais independentemente de seu credo, cor, procedência ou forma. Assim me sentindo de certa forma íntima com os rituais católicos, Laura e Victoria foram batizadas e optaram também, logicamente incentivada por mim, pelo ritual de “Primeira Comunhão”. Esta opção, também foi uma questão mais interativa do que religiosa, já que a minha religiosidade é profunda, mas tão somente encravada no coração e na alma – não preciso de recursos externos para me sentir próxima ao criador. No entanto, eu não queria que minhas filhas se sentissem excluídas de um evento tão importante na região onde vivemos. Assim me informei sobre os detalhes com algumas mães mais simpáticas sobre as primeiras providências a serem tomadas. Ai foi o meu primeiro espanto quando me informaram que eu deveria um ano antes reservar um restaurante ou buffet. Não acreditei muito, mas para a minha sorte segui este conselho e depois constatei que realmente quando não se pretende cozinhar é necessário estar atento às datas pelo menos doze meses antes. Não que eu não goste de cozinhar, mas considerando todos os detalhes desta festa é humanamente impossível para apenas uma pobre mãe cozinhar, fazer vários bolos, colocar todos os talheres, copos, pratos, etc… além da preocupação com o número de cadeiras, mesas e além do mais a decoração, flores, velas e todos os compromissos oficiais com a igreja. Enfim, são tantos os detalhes que nem sei como compartilhar… Mas não importa, hoje estou livre destas preocupações e outras também. Para Vic sua festa foi muito interessante, assim como todos os presentes e euros que ganhou, mas  principalmente o carinho dos amigos e vizinhos. Apenas por ver sua felicidade ao abrir tantos cartões me sinti mais do compensada por todo o trabalho de antes, durante e depois da festa. Sim, esta semana foi também muito dura para ser pontual e compentente com as minhas atividades normais além de limpar, organizar e conferir todos os utensílios domésticos que emprestamos ou alugamos para poder promover um almoςo e um café da tarde razoável para nossos convidados – todos muito simpáticos, e tão próximos que não se esqueceram que neste dia eu também completava mais um ano de vida – por isso mesmo mereciam o melhor… para a próxima festa pretendo  contratar um serviço completo. Frescura? Nem um pouco, acho que ainda preciso de vários dias para me recuperar da canseira!

Não, as aventuras não representaram apenas organizar as mesas, toalhas brancas, velas e todos os talheres, copos, tentar ser atenta e gentil com cada um de nossos convidados e depois organizar tudo de volta (e limpo) nos lugares, mas também uma corrida contra o tempo para colocar nosso novo e possante carro em ordem, pois nos últimos tempos imprimi nele certas marquinhas. Para tanto tive que correr atrás de favores e ônibus de linha, pois queria dar conta de todos os meus compromissos semanais.

Hoje estou bem, é sexta, e me permito tomar uma Bittburger, mas ontem no ápice da correria para pegar Vic e Laura na escola e levá-las ao dentista, aproveitando uma carona inesperada e sensacioanal do meu querido amigo Rubens, esqueci a chave do apartamento dentro do próprio apartamento. Qual seria nossa chance de voltar para o aconchego de casa depois de horas incertas correndo entre Kastellaun e Halsenbach?

Me poupem dos detalhes… digo a vocês, queridos e queridas, que Vic me lembrou, depois de horas de encabulamento, que teríamos uma chance de entrar no apartamento por uma abertura no teto do corredor… para a minha saúde e sorte não me desesperei, embora pensasse constantemente na conta extra ao pagar um profissional abridor de portas ou no preço da própria porta… e para o nosso júbilo a ideia da minha pequena funcionou 100%, ou seja, ontem lá pelas 18 hs pudemos invadir o nosso ninho e para a minha tranquilidade o “nosso possante” reluz de novo na garagem!

Para o coramento de um feliz final de  semana só posso desejar muito bom humor para o meu príncipe, o qual passou a semana em Munique – muito longe dos distúrbios e incertezas do ninho em Mermuth…. bom prá Ele que pôde se concentrar totalmente no seu produto e no seu trabalho…

Beijos e lindo fim de semana para todos nós que merecemos!

Coisas de mãe

Domingo, Maio 8th, 2011

Doces, Anjos, Motivaςão...

O sol se pôs agora pouco, mas a noite ainda não caiu apesar de que são  já quase 21 horas. Estes são os dias longos da primavera-verão que amo neste país. A luz perdura por horas, nos proporcionando a possibilidade de nos reabastecermos da energia do verde, do sol e  das cores que enfim nos rodeiam depois de mais um inverno que parecia não ter fim. Ontem estive lavando a sacada que em breve estará decorada com flores. Todos nós aqui em casa vibramos quando podemos fazer um pequeno churrasco ali e observar o pôr do sol. É uma experiência fascinante…

Hoje foi também o dia das mães. Eu gostaria muito de ter tido como presente a oportunidade de não fazer nada. Quem sabe ainda no futuro? O dia foi cansativo considerando que meu marido e minhas filhas se preocuparam (teoricamente)  muito em me demonstrar que o dia era especial, porém  exeto  Vic que realmente saiu da cama às 7 hs e preparou sozinha a mesa do café, o meu príncipe e minha princesa maior não tiveram qualquer trabalho extra comigo. O resultado é que estou cansada agora e gostaria apenas de ver um programa inútil de TV. Vou fazer isto agora mesmo… afinal amanhã é segunda, a semana será dura e no próximo fim de semana estarei em grandes dificuldades. No entanto, pensando na minha mãe, que foi um doce de mãe e agora é um anjinho lindo que voa através de tempos e dimensões, gostaria de compartilhar um texto que foi traduzido por Paulo Coelho, porém a autoria apesar de pesquisar nao encontrei. Assim que o li, pensei direto na minha mãe, da qual sinto muitas saudades…

“Quando você pensou que eu não estava olhando

Quando você pensava que eu não estava olhando você pendurou minha primeira pintura na geladeira
E eu queria pintar o outro.

Quando você pensava que eu não estava olhando

Você alimentou um gato de rua

E eu pensei que era bom ser gentil com os animais

Quando você pensava que eu não estava olhando

Você fez um bolo de aniversário só para mim

E eu sabia que coisas pequenas eram as coisas especiais.

Quando você pensava que eu não estava olhando

Você disse uma oração

E eu acreditava que havia um Deus com o qual eu podia sempre conversar.

Quando você pensava que eu não estava olhando

Você me deu um beijo de boa noite

E eu me senti amado.

Quando você pensava que eu não estava olhando

Eu vi lágrimas em seus olhos

E eu aprendi que às vezes coisas nos machucam-

Mas  está tudo certo se eu chorar.

Quando você pensava que eu não estava olhando

Você sorriu

E isso me fez querer olhar  bonito também.

Quando você pensava que eu não estava olhando

Você se importou

E eu queria ser tudo o que eu poderia ser.

Quando você pensava que eu não estava olhando,

Eu olhei. . . . .

E queria dizer obrigado

Para todas aquelas coisas que você fez

Quando você pensava que eu não estava olhando.”

Beijos e linda semana!


Ano novo, velhos problemas?

Domingo, Janeiro 2nd, 2011

"A vida é um jogo, jogue-o"! Madre Tereza de Calcutá.

Domingo a noite. Segundo dia do ano novo. Há realmente a sensacao de algo novo? Pensando bem, tenho sim a certeza de poder usar certos novos objetos que para mim parecem um super luxo, como por exemplo o meu novo Laptop (com o qual nao tenho ainda muita intimidade) ou tao ou mais interessante ainda ter a possibilidade de  fazer um pouco de esporte (na esperanca de perder 2 kilos e eliminar uma dor incômoda nas conexoes de alguns ossos) com a ajuda e incentivo de  um treinador pessoal através de um jogo para Wii, denominado Wiifitplus – uma novidade muito agradável, ao menos para mim, Laura e Vic. No entanto, as últimas horas, as quais  nos trouxeram tantas possibilidades de descanso, aconchego e confraternizacao nao foram, infelizmente, preenchidas apenas com momentos de alegria e discontracao. Com toda a família em férias, as oportunidades também para rusgas e discórdias crescem. As criancas precisam de ocupacao enquanto os adultos querem a manutencao da ordem e relativo silêncio. Eu cresci num ambiente meio caótico, entao nao tenho muitos problemas com o vai e vem de pessoas,  porém meu marido nao. Para ele é difícil observar que nem tudo está dentro do padrao da ordem considerada por ele aceitável. Uma das expressoes que mais tenho ouvido nos últimos tempos – hast du kaputt gemacht? (você estragou?) – tem me causado verdadeiro pânico. Estragar algo nao é agradável para ninguém em qualquer lugar do mundo, penso eu. No entanto por aqui, a coisa tem uma outra dimensao – catastrófica mesmo. Prefiro pensar que por questoes culturais, pela heranca incubada dos dias sombrios que as guerras trouxeram para a populacao civil. Para mim, ainda é muito difícil conviver com o medo de a cada minuto poder estragar algo. E, acredito que por este mesmo receio absoluto, eu e as criancas acabamos  organizando pequenos estragos pelo apartamento afora, o que causa logicamente mal estar em todos nós. Por isso, hoje  eu havia planejado escrever um post sobre como “aprender a brigar de forma eficiente” – algo que li e considerei muito importante – mas fui digitando simplesmente palavras que se tornaram frases com uma conotacao mais pessoal do que um artigo com auxílio psicológico para momentos de crise.

Há ainda muito o que escrever sobre os últimos dias, mas nao há tempo ou atmosfera. Nao posso, no entanto, deixar de compartilhar com vocês  que estou aprendendo bastante devagar, mas com certa eficácia os significados das expressoes:  “Plugins” e “Widgets”. Assim estou um pouco satisfeita comigo mesmo apesar dos últimos pequenos estragos que provoquei aqui. Tenho que ressaltar também que aprendi algo mais sobre como conviver com a neve e o gelo. Fiquei de novo atolada com o carro, já de noite, na vila próxima  e por isso levei  uma bronca extra do meu marido, pois eu cheguei em casa sem o carro e o informei que precisa de um trator, o qual nao foi possível conseguir. Na manha seguinte fomos buscar o carro munidos de pás e picaretas, as quais nao foram necessárias, pois depois de ir com o carro para frente e para trás (no mesmo rastro)  pelo menos 10 vezes meu marido saiu – “triunfante” e com um leve sorriso no rosto – do reduto de neve e gelo, no qual eu havia abandonado o nosso mais possante meio de locomocao. Eu me limitei a observá-lo aliviada, pensativa e concluí lá com os meus botoes; “ah, da próxima vez já sei o que devo fazer…”

Beijos e linda semana.