Artikel-Schlagworte: „sociedade“

Das Dunkel Bar/O Bar escuro

Samstag, 9. April 2016

e uma fascinante experiência de „Inclusão“

Ontem tive o prazer de participar de uma excursão a Mainz (capital do nosso estado: Renânia Palatinado) para participar de uma feira sobre todas as possibilidades possíveis  de suporte às pessoas portadoras de deficiências físicas ou psíquicas para suas respectivas „Inclusões“ no contexto sócio-econômico e político do país. Logicamente que este é um tema dasafiador e muito complexo em âmbito nacional e  internacional. No entanto, percebo que  muitos tabus relacionados à deficiências têm, ao longo dos anos (infelizmente bem devagar), sido superados e a expressão „Inclusão“ tem sido levada um pouco mais a sério por todos nós.

Entre algumas novidades e propostas interessantes nesta direção, vivencie ontem uma experiência inédita e marcante! Visitei um bar absolutamente escuro, a única cor que eu podia enxergar no espaço era o preto! Senti na pele o que significa a cegueira! Preto! Tudo preto! Apenas o tom tranquilo da voz da minha guia, que é cega, me confortavam no meu desatino!

Neste bar trabalhadoras cegas conduzem, orientam e servem café, água ou sucos aos visitantes, como eu, temporariamente cegos. Eu, não acreditando que alguém pudesse viver envolta em tanta escuridão, tive que perguntar para a doce voz que servia meu suco se Ela realmente vivia no meio do negro. Ela me disse:

„_ Sim, este é o meu mundo“!

Eu achei incrível e fascinante esta experiência e nem sei explicar o quanto admiro as pessoas que não conhecem outra cor a não ser o preto♥

„É normal ser diferente“

Beijos!

 

Share This:

Unindo gerações!

Freitag, 25. Oktober 2013

Uma iniciativa maravilhosa!

Você também está convidado para  esta festa que promete!

Não há distinção de faixas etárias, cor, nacionalidade ou tamanho!

Beijos e

lindo fim de semana!

Share This:

Ser Chique…

Mittwoch, 1. Juni 2011

"Sonhadores nao podem ser domados. Sonhos nao estao à venda." Paulo Coelho

Nunca o termo „chique“ foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.
A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.
Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas.
Muito mais que um belo carro Italiano. O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.
Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.
Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.
Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.
Chique mesmo é parar na faixa de pedestre. É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.
Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar do aniversário dos amigos.
Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.
Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É „desligar o radar“ quando estiverem sentados à mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção a sua companhia.
Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.
Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite! Mas para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos retornar ao mesmo lugar, na mesma forma de energia.
Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não te faça bem.
Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour! Porque, no final das contas, chique mesmo é ser feliz!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios… mas amor e fé nos tornam humanos!

Nao pude deixar de compartilhar com vocês este texto super interessante escrito por Glória Kalil. O qual tive a oportunidade de ler porque ama amiga muito chic – a Ritinha – gentilmente me enviou ontem.

Beijos.

Share This:

A música do futuro

Donnerstag, 17. Februar 2011

Com esperança...

Aliás, acrescentando: a boa música do futuro, a qual não se trata de qualquer popstar ou banda. A música mais encantadora do futuro, ao menos para mim e para as pessoas que gostam dos pequenos, será o barulho das crianςas – o claro indício de vida, movimento, alegria pura e absolutamente desinteressada. Eu cresci com esta música, pois a casa dos meus pais era muito bem frequentada pelos netos, amigos dos netos  e vizinhos. Quando eu era adolescente, algumas vezes ficava brava pelo caos que predominava na nossa casa pela invasão dos meus sobrinhos menores, mas mesmo assim eu sempre gostei da presença deles no nosso círculo. Poucos anos depois fui trabalhar com crianças e adolescentes e para mim sempre representou um desafio poder olhar direto nos olhos das criancas e dos bebês, eles são absolutamente sinceros e se e o quanto eles te aceitam, gostam de você se sente de uma forma muito rápida e clara.

Quando eu cheguei na Alemanha era outono e o inverno chegou muito rápido. Com ele também minhas aulas de alemão em Koblenz. Eu saia de casa no escuro e voltava no escuro, não via ninguém nas ruas, não encontrava as crianças jogando futebol nos jardins ou brincando nas ruas. As cidades e  vilas eram envoltas num silêncio triste. Eu encontrava somente crianças desconhecidas nos pontos de ônibus e, infelizmente, eu não podia conversar com elas, pois o meu vocabulário, naquele tempo era muito mais pobre que o atual. Eu me limitava a observá-las nas suas preocupações com os trabalhos de classe que teriam que enfrentar daí a poucos minutos. Elas estudavam também no ônibus a caminho da escola.

Quando chegou a primavera, com mais luz eu pude ver com mais frequência as crianças nas ruas com suas bicicletas, rollers ou patins – eu fiquei muito feliz por saber que as cidades/vilas tinham sim mais luz, energia e crianças que brincavam nos parques ou simplesmente passeavam pelas ruas.

Tempos depois, quando eu comecei a entender melhor o idioma e ter interesse pelas notícias de rádio e TV, passei a ouvir vez ou outra uma notícia de cidadaos que moviam „processos contra barulho de crianças“. Eu não podia acreditar nos meus ouvidos e pensava estar entendendo errado a informação. Com o passar do tempo eu percebi que, infelizmente, era normal sim por aqui – o desenrolar de processos contra o barulho de crianças! Grupos de moradores que se reunem para impedir a existência/construção  de escolas nos bairros residenciais, grupos de moradores que exigem que as crianças em suas escolinhas brinquem somente dentro das paredes das instituições, grupos de moradores que exigem o fechamento de escolinhas que se localizam na vizinhança. Eu fiquei chocada a cada reportagem que vi sobre o assunto. Por isso me alegrei muito ontem quando ouvi a boa notícia de que „processos contra o barulho de crianças“ terão cada vez menos chance de terem sucesso“. Está, segundo novas leis, praticamente impossível para moradores impedirem a construção de novas escolas em áreas residenciais, assim como a exigência de que escolas funcionem em lugares distantes aos endereços residenciais. Com isto uma parcela da classe política pretende mudar a imagem desta sociedade – para „uma sociedade amiga das crianças“. Para mim não importa o „chavão“, importa sim  a necessidade de muitos adultos respeitarem o direito das crianças de serem elas mesmas, que possam manisfestar seus sentimentos de tristeza ou alegria, onde quer que estejam – sem se depararem constantemente com „caras feias/repreensivas“.

A propósito, apesar de todos os direitos assegurados inclusive pela ONU, as crianças precisam de mais cuidados por parte da população adulta. É muito revoltante ouvir e ler a explosão de escândalos que envolvem o abuso de crianças. Como se já nao bastasse por pessoas estranhas, também por pessoas do próprio círculo familiar, de „amigos“, vizinhos e até mesmo por pessoas de instituições como a igreja. Onde estamos? Onde vivemos? Até que ponto chega o cinismo de certos adultos que se mostram chefes de família? Chefes de instituições? Eles sim deveriam estar trancafiados para sempre  em quatro paredes de celas ou hospitais psiquiátricos. Quanto às criancas, que possam simples e tranquilamente „fazer música“.

Beijos.

Share This:

Filosofar é necessário…

Donnerstag, 18. November 2010

"Feliz é aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina" - Cora Coralina

Por isso mesmo vamos comemorar um pouquinho o dia da Filosofia.  Segundo a Organizacao Internacional da Cultura (Unesco), desde 2002 deve-se dedicar  a terceira quinta-feira de novembro à Filosofia.  Nao sem motivos, pois a verdade é que a filosofia ocupa um lugar muito importante em nossas vidas. Ela é reponsável pela estimulacao do  pensamento crítico, o que nos direciona para a tentativa de  compreensao do mundo que nos cerca, assim como a fomentacao da tolerância e paz.

Paris, este ano, representa o centro de eventos cujo objetivo é proporcionar mais esclarecimento sobre o papel da filosofia no contexto social e o reconhecimento  da importancia da mesma. Lá, serao realizados encontros entre filósofos e especialistas de outras disciplinas e jovens.  Em outras universidades espalhadas pelo mundo, escolas e comunidades filosóficas promove-se também encontros – desde congressos até conversas com as criancas.                                                                                                                                              Para buscarmos certo  estímulo para a rotina diária, voltemos, por alguns segundos, nossa  atencao para alguns grandes ditados filosóficos:

„Liberdade é o direito de fazer tudo aquilo que as leis permitem“. Montesquieu

„A gargalhada é um tranquilizante sem efeitos colaterais“. Arnold H.Glasow

Beijos.

Ps.: A foto acima traduz um pouquinho da beleza (pura poesia) do Bodensee. Pelo qual me encantei quando estive pela primeira vez neste país.


Share This:

Hoje é o dia internacional do homem!

Mittwoch, 3. November 2010

Vic e Laura em Gimp - detalhes técnicos que um anjo masculino me ensinou.

Claro que o primeiro representante do sexo masculino que recebeu os meus comprimentos foi meu marido, enquanto sentava-se à mesa para tomar o seu café da manha, o qual eu já havia preparado. Este é dos rituais que mais o agrada: sair da cama e se deparar com uma cozinha aconchegante e cheirando a café. Foi muito engracado ver a sua cara de espanto! Ele me disse meio sem graca: ahn? gibt es so was? Ou seja: „existe algo assim?“

Sim, é verdade! Hoje é o dia internacional do homem! Viva o sexo forte! Eu tenho que parabenizá-los e registrar aqui que admiro muito o sexo masculino. Acho fantástico o como a maioria deles consegue se interagir com tanta eficiência e rapidez com elementos técnicos, precisos. A capacidade de orientacao masculina também me fascina. Quanto a estacionar, entao, tenho que admitir… eles sao muito melhores que nós mulheres.

Eu poderia relacionar aqui outra série de competências típicas do sexo masculino –  as quais eu admiro muito! No entanto, a data também é uma oportunidade para se refletir sobre o novo papel da figura masculina no contexto social. Fato é que desde os movimentos feministas da década de 70, os homens vêm perdendo espaco entre nós. Na sua maioria, as mulheres estao cada vez mais seguras do que querem para si mesmas e buscam, incansavelmente, as ferramentas para atingirem as suas metas, entre as quais está a independência financeira, além do que muitos tabus que acercavam as mulheres, ao menos no mundo ocidental, já estao ultrapassados – nao somos mais o sexo frágil. No entanto, o grande problema é que os homens nao superaram ainda muitos dos tabus que supostamente caracterizam o „ser homem de verdade“ – eles ainda têm medo dos sentimentos, eles se motivam rapidamente à concorrência, errar e fracassar pode ser para muitos o fim da linha. A rudeza com que eles mesmos se tratam os colocam, segundo recentes estastísticas (na Alemanha), em posicao de desvantagem com relacao às mulheres:

  • 6 entre cada 10 homens têm tendência à obesidade – entre as mulheres: 4;
  • A expectativa de vida masculina é 77,1 anos –  enquanto que das mulheres é de 82,4;
  • Os homens sofrem mais frequentemente infarto do coracao;
  • Sao portadores em maior número de câncer de pulmao e diabetes;
  • 63,7 % mais rapazes que meninas, concluem sua fase escolar sem a aquisicao de um lugar para se profissionalizar;
  • A grande maioria das meninas planejam investir em uma carreira, porém pretendem também constituir uma família com um parceiro com chances e pretensoes semelhantes as delas próprias;
  • O mesmo número de rapazes afirmam que nao se imaginam vivendo com uma mulher emancipada (!) o que pressupoe dificuldades maiores para relacionamentos duradouros e de qualidade. A consequência é uma taxa menor ainda de nascimentos.

A realidade dos números nao é absolutamente confortável para o sexo forte, que ao ver vem tornando-se o sexo frágil – pobres meninos! Porém é muito importante que nós mulheres nao percamos o foco real e atentemos para os seguintes aspectos:

  • Precisamos ajudar os  „meninos“ a cuidarem melhor de si mesmos para manterem-se saudáveis, afinal precisamos sim deles!
  • O mundo ainda é administrado por figuras masculinas. Nós, mulheres ainda temos um longo caminho a percorrer até obtermos auto-confianca suficiente para ousarmos mais e assumirmos posicoes de lideranca.

Concluindo, para mim resta apenas a esperanca  de que homens e mulheres estejam mais maleáveis e receptivos a aprender um com o outro, senao o que nos resta?

Share This:

Egoisten sterben aus – egoístas em extinςão

Freitag, 1. Oktober 2010

Confiabilidade, responsabilidade, fidelidade - em alta.

Egoístas estao em fase de extinςão… este foi o texto de primeira página que „puxou“ muito rápido os meus olhos para a leitura do jornal, enquanto eu terminava de acordar ao tomar uma deliciosa xícara de café.

Eu nao pude acreditar nas palavras que formavam o título daquela publicacao e pensei em tratar-se de alguma piada para animar o nosso dia. De qualquer forma achei de bom gosto e fui tratando rapidinho de ler as informacoes que continham naquele pequeno texto, o qual tratava-se do resultado de uma pesquisa realizada em Hamburg pelo pesquisador do futuro (Zukunfsforscher) – Prof. Horst Opaschowski. Segundo a pesquisa desenvolvida por ele, desde o ataque terrorista de 11 de setembro 2001 „a cultura do prazer“ passou a tomar novos rumos.

As experiências acumuladas com as crises alteraram as expectativas e valores das pessoas na Alemanha – „das Ich braucht das Wir“ – o Eu precisa do Nós. A partir desta fórmula concebe-se uma nova linha de acao para a vida. A saudade de seguranca, lar, aconchego/aceitacao  social e calor humano aumenta. As pessoas tentam manter-se próximas umas das outras. Matrimônio, criancas e família sao de novo „in“.

O ideal de vida dos anos 80 e 90 – a explosao de experiências – torna-se cada vez mais questionável. As pessoas  valorizam cada vez  os princípios:

  • Confiabilidade;
  • Responsabilidade;
  • Fidelidade.

É interessante também ressaltar o que vêm impulsionando as pessoas a repensarem os seus valores: o medo de um futuro povoado e atormentado por crises de  inseguranca coletiva.

Considero compreensível e bem interessante o resultado deste trabalho. Me ajudou a entender um pouco mais o contexto no qual vivo e sobretudo a ter um pouco mais de esperanca num futuro próximo.

Beijos.

O conteúdo básico e o resultado desta pesquisa foi traduzido por Neusa Arnold-Cortez a partir do texto publicado pelo jornal Rhein-Zeitung em  01.10.2010

Share This: