Posts Tagged ‘vinho’

Neuelich

Segunda-feira, Julho 18th, 2011

Em Wurzburgo - um dia lindo/raro de verao.

ou seja recentemente. Neuelich… waren wir  in Würzburg. Melhor dizendo, estivemos ontem em Wurzburgo – uma cidade encantadora localizada no estado da Bavaria. Uma das regioes da Alemanha que já visitei com certa frequência. Sim, eu amo a Bavaria, mas viajo com mais frequência para aquela parte da Alemanha basicamente sob influência de marido. Penso que ele por sua vez, por influência do pai. Os dois sempre, quando planejam uma viajem, a direcao é sul, sempre… Ontem, no entanto, nao estávamos na Bavaria em férias. Foi uma viajem curta, de dois dias, mas muito interessante e talvez a mais tranquila que eu tive nos últimos onze anos. Foi inédito para mim o fato de enfrentarmos 2 horas de congestionamento na A3 e nao vivenciar uma crise de nervos em funcao da minha “tripulacao”.  Chegamos em tempo para mudarmos de roupa, melhorar o penteado, recolocar perfume e sair correndo para a cerimônia de entrega de diplomas, do qual o príncipe tomou parte diretamente. Após os discursos das autoridades, durante as quais Vic quase morreu de tédio, participamos de uma sessao de comes e bebes – para o meu espanto – tudo grátis e também para o meu espanto, os lugares nao estavam reservados… os convidados tinham que se virar para se sentarem junto aos seus amigos – muito diferente! Logo que passei a viver aqui observei  que uma grande preocupacao que se tem ao se organizar uma festa ou evento é com a quantidade de cadeiras… eles ficam completamente desconcertados quando uma visita ou convidado nao tem “uma cadeira”, a qual significa claramente “um espaco” a mesa ou seja, quando nao se tem um espaco a mesa – para onde com o prato? O copo? Os talheres? O vexame está armado! Improvisar? Difícil… improvisacao nao faz parte da cultura alema. Sentar-se no sofá? só se for para comer snacks acompanhados  de uma taca de vinho,  cerveja ou o que se preferir. No fundo, o que eu gostaria de escrever é que ainda estou me acostumando com o fato de que aqui no que se refere a refeicoes o lugar mais do fixo é a mesa… ! Que haja mesas suficientes e cadeiras suficientes para todos da família, convidados e cia…

No entanto, neste fim de semana, tive a maravilhosa experiência de vivenciar algo bem diferente – a informalidade dentro da formalidade. Mais tarde fomos para uma festa de vinho. Uma festa organizada na montanha em meio as plantacoes de vinho. Fiquei bem impressionada pela beleza da simplicidade de uma festa que tinha muito charme apesar de toda a rusticalidade de mesas em formato de barris e fornos recheados com  Flammkuchen. A decoracao do ambiente eram as plantacoes sem fim de uvas. A tarde estava linda e ali entre pessoas bem humoradas e uma boa música ao vivo pudemos observar a tarde cair e a noite chegar. Com a chegada das luzes noturnas nao foi mais possível convencer Laura e Vic a permancerem nesta festa, pois daquela montanha as luzes de um parque que estava instalado na cidade ficaram ainda mais atraentes. Era impossível nao se sentir atraida por todos aqueles brinquedos iluminados lá embaixo. Todos nós, inclusive os  colegas de Jörg – com muito bom humor (que satisfacao!!!) descemos para o parque, onde permancemos até muito tarde. Laura e Vic se divertiram muito em brinquedos “brutais” ou nao.

Ontem estivemos na cidade propriamente. Visitamos um mercado nos arredores de uma igreja – Marienkapelle – uma obra arquitetônica muito linda. Na volta para casa ainda tentamos fazer compras num schopping extremamente moderno – nao em formato prédio, mas sim vila – Wertheim Village – que se localiza às margens da A3, entre Würburg e Frankfurt. Nao compramos nada, nao tínhamos energia para experimentar roupas ou sapatos, mas foi uma experiência boa visitar um lugar tao lindo, de tao bom gosto.

Ontem a noite pudemos assistir a final do campeonato mundial de futebol feminino. Achei o jogo tao emocionante que nem cheguei a dormir no sofá. Pena que as meninas alemas e brasileiras puderam apenas assistir a final, mas penso que  com este campeonato todas nós mulheres ganhamos algo. Tenho certeza que o nível do futebol que as meninas jogaram surpreendeu nao apenas à nós outras mulheres, mas senao também a mídia e os homens. Me alegrei pela vitória do Japao. Amei que, enfim, depois de tanto sofrimento, as meninas japonesas deram um motivo para os Japoneses se alegrarem e festejarem um pouco – pelo menos por algumas horas.

Beijos e linda semana.

Federweißer – pena branca

Quarta-feira, Setembro 22nd, 2010

Federweißer - estágio inicial do vinho

Federweißer é um típico e delicioso acompanhamento para a atmosfera que envolve o outono na região  onde  eu moro. É a bebida do outono, a fase inicial do trabalho com as uvas para a producão do vinho. É muito leve, doce e especial, com uma porcentagem pequena de álcool. Com o passar dos anos eu aprecio cada vez mais tomar Federweißer, cuja traduςão que tenho é: Pena branca, pois Feder é “pena” – acho o nome adequado, pois nos lembra da  leveza que representa uma  pena e weißer, de Weiß – a cor branca, o er é por questões gramaticais, a qual prefeiro não entrar em detalhes no momento. No entanto uma tradução oficial para a palavra não encontrei.

Ontem em um dos supermercados da rede REWE não resisti e trouxe uma garrafa para casa e claro não podendo faltar o acompanhamento mais que adequado – bolo de cebola, comprei também uma caixa do bolo, a qual já contêm quase todos os ingredientes, exeto:

_ Para o creme de cebolas:

  • 500 ml de leite
  • 100 a 200 gr de bacon em quadradinhos

_ Para a massa:

  • 100 ml de água
  • 2 colheres de sopa de óleo

Quanto ao modo de fazer encontramos passo a passo na própria caixa do produto. A marca que conheco é RUF e todos os anos ao menos uma vez comemos bolo de cebola aqui em casa e claro tomamos Federweißer. O qual é vendido em garrafas semi-abertas necessitando muito cuidado no seu transporte e deve ser conservado por pouquíssimos (se você conseguir) dias em geladeira.

Beijos e um lindo outono.