Valores…

Veracidade, simplicidade, beleza rara.

Hoje o dia foi pesado de atividades e literalmente pesado de neve! Nossas vilas parecem de sonho, mergulhadas em branco. Me sinto como se estivesse numa história de príncipes e princesas do século XI. No entanto, as dificuldades em caminhar através da neve, tanto a pé, como de carro e o frio gelado que castiga a pele, me lembram que estamos apenas em pleno inverno rigoroso do século XXI. Penso que a natureza agradece e eu também por nao ter que ouvir os alarmes do “efeito estufa”. Agora, porém, nao pretendia realmente escrever sobre o tempo (um dos temas mais interessantes para os alemaes, seja para xingar ou elogiar!), mas sobre uma notícia que hoje estava em destaque no jornal “Rhein-Zeitung”. Muito boa, por sinal! Refere-se à escala de valores das criancas e jovens, segundo uma pesquisa realizada pela Unicef e a Revista infantil “Giolino”. A pesquisa foi realizada entre agosto e setembro deste ano entre 1500 criancas nas idades de 6 a 14 anos, cujo resultado tenho o prazer de transcrever abaixo:

1°- Amizade e família – sao os sublimes valores dos valores para as criancas na Alemanha;

2° – Seguranca e confianca – sao extremamente importantes na visao dos entrevistados;

3° – Respeito; justica, solidariedade, responsabilidade e educacao – sao também importantes sob a ótica dos pequenos;

  • Os entrevistados foram também questionados sobre a ausência da mae em funcao do trabalho:  elas reforcaram as dificuldades inerentes à questao, mas consideram importante a seguranca econômica que a família adquire quando ambos os pais têm emprego;

4° – Ao fim da lista destacam as criancas como sendo importantes: dinheiro, propriedades e ordem.

Nao é um bálsamo para o coracao e a alma o resultado desta pesquisa de opiniao?

Beijos.

Tags: , , ,

2 Responses to “Valores…”

  1. Sem dúvida! Tenho notado que os valores estao se transformando, e para melhor! Fico feliz por nossos filhos!
    Um beijo,
    Sandra

  2. Neusa diz:

    Oi Sandrinha, que bom receber a sua visita!
    Eu também prefiro ser otimista, observar e curtir o lado positivo dos acontecimentos embora algumas vezes quase me desespero com a angústia que assola milhoes de pessoas nos continentes pobres. Preciso me engajar numa causa “séria”. Me sinto muito egoísta no meu mundo confortável e saudável.
    Beijos.

Leave a Reply

*