Aposentadoria/Perspectivas – 2

Brasilien

Deutschland

Assunto desconcertante este! ou não? A verdade é que ninguém pode fazer o tempo estacionar e queiramos ou não as idades e diferentes fases de vida nos assaltam a todos. Assim é bom curtir intensamente  todas as “primaveras”, sem muitas pressa ou ansiedade com relaςão ao futuro. De qualquer forma estar preparada para Ele significa também aceitar e se adaptar às mudanςas que fazem parte do processo dinâmico da melhor escola que existe – a vida.

Hoje me senti na obrigaςão de compartilhar algo mais sobre a minha aventura de preparar a minha aposentadoria por aqui mesmo já que não penso em voltar a viver no Brasil, onde há quase doze anos abandonei a minha estabilidade profissional, quinze anos de trabalho e fui cortando, sem pensar muito (devo acrescentar), assim toda a minha relaςão com o INSS.

Nos meus primeiros anos aqui eu não pensei no futuro, pois estava tão ocupada com o presente que não tive um milésimo de espaςo na cabeςa para pensar  a longo prazo. Mas desde alguns meses venho me ocupando com o tema, sob pressão – tenho que admitir – Jörg me infernizou com o assunto me fazendo prometer que iria tratar da questão, assim que voltássemos da nossa última viagem ao Brasil. Na verdade eu estava sempre adiando tratar do assunto, pois tinha medo de encarar o fato de que ao abandonar tudo no Brasil meu futuro – enquanto aposentada – já estaria mesmo comprometido. Eu me preparava para, assim como minha mãe,  trabalhar até a morte – o que na verdade, quando se tem a sorte de morrer rápido, não é nada mal, mas a questão é que não posso afirmar que vou ter esta sorte, pois acredito que a morte também se conquista quando se merece. Não estou certa que estarei apta a morrer quando considerar que me convém. Estou longe de uma evoluςão espiritual deste nível. Tenho tanto no que melhorar…

Sem mais filosofias e, enfim, tratando de coisas práticas – já recebi, nas últimas semanas, 5 cartas do Sistema de Aposentadora Alemão (Deutsche Rentenversicherung), as quais – exeto uma  (penúltima, a qual confirma meus direitos com relaςão a dez anos de dedicaςão na  Educaςão das crianςas) –   me solicitavam confirmaςões ou novas informaςões a partir daquelas que foram encaminhas pela funcionária da Prefeitura (Verbandsgemeide) da minha cidade para o Sistema de Würzburg (responsável pela área brasileira). Ou seja, até o momento, o que precisei para ter acesso prático ao Sistema Alemão e que talvez seja interessante para todas as pessoas que vieram (um pouco tarde) do Brasil e pretendem viver “para sempre” em terras germânicas:

  • Marcar uma hora (por telefone) com a pessoa responsável pelo assunto na Prefeitura de seu município;
  • Levar consigo a última correspondência recebida do Sistema de aposentadoria, pois ali existe o seu númer e sua condiςão atual;
  • Provavelmente para um segundo encontro (marcar diretamente) você precisará da certidão de casamento, de nascimento das crianςas e diplomas.

Bem, esta foi para mim a primeira fase  do processo. Além de (tentar) responder com exatidão a todas as perguntas sobre os meus últimos quase 30 anos de vida. No entanto, devo admitir que a funcionária foi muito simpática e atenciosa comigo, além do que me informou de direitos que eu e até mesmo meu marido desconhecíamos, por exemplo a contagem do tempo empregado em qualificaςões profissionais (20 horas semanais) ou até mesmo o meu curso de alemão – 40 horas semanais.

Bem depois de alguns dias recebi de Würzburg as seguintes solitaςões:

1-Cópia da certidão de casamento e comprovaςão da nacionalidade alemã;

2-Cópia do meu passaporte brasileiro o qual constava o visto de permanência na Alemanha e papéis que obtive no consulado alemão daquela época, os quais esclareciam as condições da minha permanência aqui (?!?);

3-Minha assinatura num documento que permitia ao funcionário do Estado acesso ao meu histórico de imigraςão.

Aqui  para a minha sorte Jörg se envolveu na questão e me ajudou a escrever uma carta para o funcionário afirmando de forma  educada, mas muito categórica que ao obter o documento 3 automaticamente Ele teria acesso à todas as informaςões que constariam nos pedidos 1 e 2, afinal como eu ainda teria um passaporte tão velho? E papéis do Consulado? Ficaram no próprio consulado (em São Paulo)!

A boa notícia é que Ele aceitou, sem outras exigências, me incluir no Sistema e me informou que em 2032 estarei me aposentando com alguns benefícios. No entanto ainda está em aberto, o que é compreensível:

  • Meu tempo de trabalho no Brasil – o acordo entre os dois países  ainda está sendo regularizado, mas que bom que existe! Inclusive o Funcionário que trata do ” meu caso” me escreve algumas vezes também em Português e já solicitou-me   meu número de CPF;
  • Meu tempo de Faculdade – preciso de uma assinatura e carimbo da FAFI (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Itajubá) – apenas o diploma com traduςão  juramentada não basta.

Concluindo, não posso reclamar de nada – nem quanto ao último íten (não sei ainda como efetuar “a operaςã”), mas acho que tenho ainda uns 10 anos para isto… ou não???

Beijos, com esperanςa…

Ps. – Por favor entre em contato se você tiver uma pergunta, uma crítica ou sugestão…

Tags: , , , , , ,

3 Responses to “Aposentadoria/Perspectivas – 2”

  1. Regina diz:

    Neusa, me conta essa de 10 anos pela educacao das criancas? Nao sao 3 anos para cada uma?
    Ótimo post, muuuito informativo! Vou compartilhar! Bjs

  2. Neusa diz:

    Oi Re! Tudo bem? Que bom que você gostou! Nao estava mesmo certa de tinha sido clara, afinal o assunto é bastante complexo… e burocrático! Compreende-se já que no Brasil se nao é diferente ainda é pior! Mas fiquei também muito surpresa com os benefícios todos… surpresa boa, apesar que nao se pode contar com isso para uma “velhice tranquila”. De qualquer forma como eu nao contava com nada mesmo até que tudo está ótimooooo! Com relacao a educacao das criancas que denominam “Kindererziehung” tem um peso grande sim… mas o casal tem que definir quem adquire o direito e no meu caso o Jörg assinou um documento onde absteve-se do benefício em meu favor – lógico porque Ele nao precisa disto. No seu caso provavelmente será o mesmo. Você só precisa verificar a questao da nacionalidade, pois nao estou certa se apenas com a brasileira se adquire o benefício. Talvez seja bom você se informar em Emmelshausen a respeito…
    Bjs e tudo de bom… precisamos conversar sobre o sofá… quando você tem tempo? Na próxima semana gostaria também de fazer um programa com a Sarah!

  3. Neusa diz:

    Ah Regina esta questao dos 10 anos chama-se “Berücksichtigungszeiten” – com relacao a Laura já tenho completo e com a Vic vou obter no ano 2014, quando entao provavelmente tenho que acionar o “Aufstokung” – complemento para mini-jobs. Vamos analisar depois se compensa ou nao…
    Vamos conversar mais sobre o tema tomando um Cappuccino aqui em casa.
    Bjs.

Leave a Reply

*