Posts Tagged ‘Mosela’

Beleza cinza…

Quarta-feira, Novembro 17th, 2010

Uma das torres do Ehrenburg contra um lindo céu azul de verao.

Hoje ao voltar de Koblenz, pela primeira vez, desde que vivo aqui consegui ver beleza e um certo encantamento na cor cinza. Como eu estava próxima a 49, voltei para a montanha beirando o  Mosela. Normalmente amo caminhar ou dirigir as margens deste rio, mas apenas na primavera e verao. No outono que normalmente o mês de novembro nos traz, predomina até mesmo nos recantos mais lindos dos contornos do Mosela muita neblina, frio, solidao e a cor cinza – assim nao me sinto atraída a passear por lá. Porém, especialmente, hoje a cor cinza combinou bastante com as minhas preocupacoes e me trouxe paz ao invés de angustia.

Ao me aproximar de Alken, observei pela primeira vez em uma nova perspectiva  um dos castelos que eu mais gosto e  que visito sempre com muito prazer. A imponência do Ehrenburg contra o cinza que predominava na paisagem  me encantou novamente, só que desta vez na solidao da baixa temporada, porém ele estava envolvido  numa beleza nostálgica tao grande que me impulsionou  agora a escrever sobre ele.

O Ehrenburg é um dos muitos pontos turísticos aqui da regiao. Fica a apenas 20 minutos da minha casa e oferece uma atmosfera  super discontraída, diferente de muitos outros castelos onde há certa formalidade. É fantástico ir para lá em numa tarde de verao cheia de sol para almocar no pátio um dos pratos rústicos e típicos  que sao  feitos praticamente ao livre. Assim que você ultrapassa o portao principal já é diretamente envolvida no cotidiano normal da “populacao” do castelo – os  funcionários estao vestidos tipicamente e se comportam como se estivessem em casa, ou seja muito “a vontade”. Sao bastante receptivos às visitas, mas o interessante é que as deixam  muito livres  para explorarem  o local e participarem, se quiserem, das atividades que ali sao oferecidas. Há muitas possibilidades de entreterimento, além propriamente da construcao em si e objetos medievais preservados. Há diversao extra para as criancas, as quais podem também trabalhar com madeira, metal ou roca. Há lutas simuladas e flechas ao alvo, com a participacao direta do público, representacoes de pequenas pecas teatrais e o que mais me fascina – a música medieval tocada ao vivo. Com uma grande e velha caneca cheia de uma deliciosa cerveja e embalada ao som desta música eu posso simplesmente me desligar do século XXI e me transportar para aquele tempo, onde os castelos nao eram simplesmente atracoes turísticas, hotéis, restaurantes – senao  vilas de reis, rainhas, príncipes, princesas, soldados, servos,  plebeus…

Beijos.

Outras imagens do Ehrenburg:

Rhein-Hunsrück-kreis/Questão pessoal de Paraíso

Quinta-feira, Maio 20th, 2010

Duas das curvas do rio Mosela, denominado pelos alemães como: "Die Frau Mosel"

Este é o nome da região onde eu moro. Estava pensando muito em como traduzir a expressão que é tão popular por aqui, quando quer se falar ou informar sobre o Município. A conclusão que cheguei é que devo traduzi-la como: Reno-Hunsrück-distrito. Muito estranho, mas para Hunsrück não existe – ao menos que eu saiba – uma traduςão, já que é o nome específico do lugar.

O meu objetivo no entanto não foi aqui comeςar com traduςões e sim escrever sobre uma pesquisa que li no jornal hoje, sobre o porquê as pessoas que aqui vivem consideram a nossa região tão linda (darum ist es im Kreis so schön)! Como eu concordo com a opinião delas eu gostaria de registrá-las aqui:

  • “Esta região é a pérola da Alemanha”;
  • “Aqui temos a paisagem mais linda de Rheinland-Pfalz (o estado) entre os rios Reno, Mosela e proximidades”;
  • “Muitos castelos e cidades cheias de valor afetivo – fazem este distrito ser tão especial”;
  • “Natureza pura e lindíssimos caminhos para se andar de bicicleta ou simplesmente se fazer longas caminhadas”;
  • “Se sente aqui como se estivesse todos os dias em férias. Para apreciarmos  a natureza e paisagens não  precisamos viajar extra de férias”;
  • “Após se abrir a porta sente-se como se estivesse em férias: caminhar, andar de bicicleta, explorar o passado, se espantar com a riqueza cultural ou se alegrar com a beleza das paisagens naturais – fazem com que a região seja tão apreciada e querida, pois nos proporciona uma troca muito rica entre paisagens com grandes histórias e antiga cultura;”
  • “Nós temos aqui muitos monumentos que são necessários serem preservados;”
  • “A alteraςão entre  velha e nova arquitetura fascina e f az com que o nosso distrito seja muito interessante”;
  • “Vinho, florestas e cultura estão em toda a parte”;
  • “Se água, montanhas, vinho ou cultura – tanto faz, nós temos tudo”;
  • “Aqui vivem muitas pessoas simpáticas”;
  • “Ótimo ar para se respirar, temos em toda parte” – destaca um Senhor que mora há cerca de nove kilômetros de Mermuth e faz uma colocaςão muito valiosa – “nao posso imaginar que alguém queira  viver em outro lugar, afinal nós moramos entre o Reno e o Mosela, o que nós queremos mais?”

É verdade, a região é linda! O que nós queremos mais? Esta é uma questão muito pessoal, há muitas pessoas que mesmo vivendo aqui há muitos anos não enxergam qualquer beleza, sendo que a mesma para outros representa  motivo de admiraςão, espanto e quase perda de folêgo… penso que sobretudo está a questão do quanto estamos satisfeitos e felizes conosco mesmos, como escreveu Richard Bach,de forma 100% acertada –  O paraíso é uma questão pessoal. Não é certo?

Beijos.